quinta-feira, 31 de julho de 2008

Figura do vaqueiro é o mais novo bem cultural do país

Quinta-feira, 31/07/2008
O dia-a-dia de trabalho e a maneira simples de vida receberam um reconhecimento importante. Essa figura típica do sertão nordestino foi tombada Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

O vaqueiro, figura típica do sertão nordestino, foi considerado um bem cultural do país. O reconhecimento é do Iphan, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional.

Velocidade, domínio do animal, atenção à cada obstáculo da mata são alguns dos requisitos do vaqueiro. O seu Antônio João da Silva é um deles há 47 anos. Ele disse que não poderia ser bom sem a fé. “Eu peço a Jesus Cristo que me proteja e me livre dos tabuleiros e das pedras grandes que meu cavalo passa por cima”, disse.

A figura do vaqueiro surgiu pela necessidade de reunir o rebanho que ficava muitos dias solto. O que sempre foi trabalho duro inspirou a vaquejada, um esporte popular no Nordeste. O vaqueiro também desperta a curiosidade de turistas como um casal de franceses.

Mas agora o universo do vaqueiro não tem mais só a atenção de quem é da zona rural, de quem gosta de vaquejada ou de quem é turista estrangeiro. O dia-a-dia de trabalho e a maneira simples de vida deles receberam um reconhecimento importante.

A figura do vaqueiro foi tombada pelo Iphan, Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. É o mais novo bem cultural do país.

Nos intervalos entre perseguir uma novilha e outra não ficam de fora uma boa conversa, a carne de bode e uma boa cantoria.

O Iphan está analisando atualmente o reconhecimento de outras manifestações populares como o caboclinho e o maracatu.

Veja reportagem:


Aproveite e visite o site da XIX Grande Vaquejada de Farias Brito, clique aqui.
Postar um comentário