segunda-feira, 4 de agosto de 2008

A TODOS OS PAIS DO MUNDO

Pai estou aqui,
Talvez um pouco atrasado é verdade,
Para te falar, o que eu deveria ter falado,
Há muito tempo atrás e faltou coragem.
Gostaria de falar olhando nos olhos
E por não consegui, escrevi esta mensagem.

Vamos voltar ao passado.
Juntos. Eu e você.
Não é o senhor aquele homem forte?
Que falava que homem não chora?
Mas vibrou quando minha mãe
Descobriu que estava grávida e foi te dizer?
E chorou de emoção ao me ver nascer?

Que pulou de alegria?
E falou aos amigos:
Hei, meu filho nasceu, vai lá ver.
Pôs-me na escolha, cuidou de mim,
Me deu a vida.
Guiou os meus passos e me ensinou a viver.
À noite quando chegava cansado do trabalho
Ia ao meu quarto.
Acariciava-me, e dizia baixinho: filho amo você!

Mas eu cresci pai, e as palavras sumiram...
O amor continua, eu sei,
Mas nunca mais te ouvir dizer,
Aquelas palavras mágicas...
Filho eu amo você.
Eu sei pai, também estou te devendo isto:
Um abraço, um carinho...
E falar a magia daquelas palavras para você.

Hei pai não chores, chegou à hora.
Na verdade já passou da hora, mas vou te dizer.
Os seus cabelos podem está grisalhos pelo tempo,
Mas o amor se renova, ele nunca vai envelhecer,
Por isso pai quero gritar bem alto ao mundo:
Pai vem cá, vem meu amigo,
Vem me dá um a braço eu amo você.

Francis Gomes
Postar um comentário