sexta-feira, 15 de maio de 2009

Caos na segurança pública

Por Luiz Domingos de Luna.

Enquanto a impunidade, o desemprego, a corrupção, o descaso, a falta
de seriedade com a coisa pública assola o país como um todo, como fogo
abrasador, em todas as direções "uma besta fera louca", nós
brasileiros assistimos toda esta paisagem social caótica, estupefatos
e, sem nada poder fazer, é uma situação horripilante, pois senão
vejamos: os nossos detentos que deveriam ser cuidados pelo estado,
numa política de ressocialização, em respeito aos direitos humanos e
no cumprimento da sua pena especifica, como determina a lei.Mas não,
tudo vira uma bagunça generalizada, presídios superlotados, pelo
visto, o detento está mais seguro nas ruas do que dentro da própria
cela. O Vandalismo imperara nos corredores e nos pavilhões da
miscigenação de presos, formando assim, uma verdadeira escola do
crime. Não é a toa que os grandes grupos organizados do crime nascem
dentro dos presídios e com certeza outras células de ataque a
sociedade serão embrionalizadas dentro da própria casa de detenção.
Ainda assim, o Estado procura o culpado; Ora, se o próprio estado não
oferece as condições mínimas para o bem estar da população carcerária,
como é que este, pode oferecer segurança à população?

 Precisamos urgentemente de um plano nacional de segurança plena , é
um direito do Cidadão e um dever de do Estado; pois O caos que nós
estamos presenciando é fruto de um estado gastador, que gasta mal, não
planeja suas ações, não tem uma preocupação em assistir as comunidades
carentes. É um estado que trabalha bem, mas trabalha bem para os
interesses dos monopólios, oligopólios financeiros, para os grandes
mercados de capitais, é um fomentador do fogo do capitalismo selvagem
que formam duas forças antagônicas na sociedade: os afortunados e
poderosos a serviços dos interesses do capitalismo e os ricos de nada,
ricos da miséria, do descaso da violência; assim, estamos formando a
bomba que dilacera a sociedade, os vencidos e os vencedores. Os heróis
e os bandidos,os donos do poder e os donos da miséria, os donos do
tudo, os donos do nada .

Quero ver é quando estes dois mundos diferentes resolverem prestar
contas, ai sim,já é tarde demais. Ficará a pergunta por que não
fizemos algo quando ainda existia solução?

Postar um comentário