quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Identidade Social


Luiz Domingos de Luna*

O Grau de concentração dos seres humanos num ponto geográfico Caracteriza o tipo de sociedade, quando: há uma abertura para a compreensão da heterogenia social, novos valores culturais são adicionados, o respeito às diferenças é base. Incluir todo um patrimônio humano diversificado na formação da identidade do agrupamento social é motor primeiro para a civilidade, progresso e a afirmação do processo interativo e afirmativo do convívio harmônico da tecelagem humana em que está inserido, a que se busca, porém, antes, faz-se necessário um padrão ético aplicado a todos os integrantes da Sociedade, indistintamente. É um grande prejuízo para a sociedade quando o contrato social é privilégio de um grupo ou agrupamento em detrimento da maioria.

A Identidade da sociedade deve ser a congruência de todas as forças afirmativas que definem o espaço maior, daí a necessidade, muitas vezes, renuncia do particular, para o bem estar da conjuntura, da totalidade, sem isso, tem um conjunto de indivíduos, uma sociedade composta de força de coesão do individual, não corresponde ao social, vez que os interesses são norteados para inúmeros vetores individuais, neste caso, o coeficiente da totalidade das partes não define o que é o ser social, pois quanto maior for à concentração do individual, maior será a força individualista na sociedade, não chegando à identidade social, pois, sem a compreensão de que a harmonia do bem estar coletivo é que define o bem estar individual, e não o contrário, é esta abertura de visão de mundo que vai definir o tipo de sociedade que se aspira paras as futuras gerações, pois, quando mais se lutar pelo bem estar da coletividade humana, mais está se fazendo para um por vir de um mundo onde todos possam ser felizes.
(* ) Professor da Escola de Ensino Fundamental e Médio Monsenhor Vicente Bezerra – Aurora.
(*) Colaborador do Blog Farias Brito
(*) Procurar na web
Postar um comentário