segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Carnaval vira palanque de campanha eleitoral



José Serra, Dilma Rousseff e Ciro Gomes incluem em suas agendas passagens por Recife e Salvador


São Paulo Três dos principais pré-candidatos ao Palácio do Planalto vão intensificar nos próximos dias suas agendas para tentar garantir exposição nas maiores festas carnavalescas do País. A presença dos candidatos no Carnaval "é uma forma de legitimação social e uma forma também de aparecer", afirma a pesquisadora Rúbia Lóssio, do Núcleo de Estudos Folclóricos Mário Souto Maior, vinculado à Fundação Joaquin Nabuco, de Recife. "Eles têm um benefício com relação à comunicação e na questão do marketing", diz.

Ela explica que a proximidade dos políticos com os eleitores durante as festas de Carnaval propicia uma "comunicação face a face" que faz os foliões terem uma identificação maior com os candidatos. Nesse período as pessoas estão mais relaxadas e abertas à mensagem dos políticos, ou seja, mais "vulneráveis", nas palavras da pesquisadora Rúbia Lóssio.

Em comum na agenda de Dilma Rousseff (PT), José Serra (PSDB) e Ciro Gomes (PSB), caso as agendas permitam, será a participação no bloco do Galo da Madrugada, de Recife, considerado o maior bloco de carnaval do mundo. O tradicional desfile pernambucano, que é realizado desde 1977, pode ser palco de um encontro inusitado entre os pré-candidatos.

Rúbia Lóssio conta que a participação dos políticos no Carnaval de Recife se intensificou quando as prefeituras passaram a participar da organização. "Os políticos (locais), como querem votos, investem nessas agremiações, patrocinam e dão dinheiro", explica. A pesquisadora acredita que participação crescente de políticos nas festas pode dar um "impulso" para o surgimento de blocos "a favor ou contra o sistema, a ordem pública e os políticos". Foi o caso, por exemplo, das "homenagens" de blocos cariocas ao governador do Distrito Federal, José Roberto Arruda, preso na última quinta-feira, 11, em Brasília.

Estratégia

A ministra da Casa Civil e pré-candidata do PT, Dilma Rousseff, tem até o momento a agenda mais intensa no Carnaval. Seu primeiro compromisso é no desfile do Galo, a convite do governador Eduardo Campos (PSB). De lá, a agenda inclui Salvador e, depois, Rio de Janeiro. Segundo a pesquisadora, a estratégia da candidata do governo é acertada, pois alguns eleitores têm o primeiro contato com os candidatos durante o período festivo. "Gente que não conhecia os políticos, às vezes conhece no carnaval", afirma.

Rúbia Lóssio conta que em Recife, onde as máscaras e a sátira dos políticos são um elemento comum nas festas populares, os produtos relacionados à pré-candidata do PT ainda não deslancharam. "A máscara de Dilma aqui não é tão vendida", relata. A pesquisadora acredita que seja uma característica da cultura popular se apropriar de elementos mais próximos do próprio cotidiano. "Quando (o candidato) está próximo, o povo absorve bem mais, então talvez (Dilma Rousseff) esteja muito afastada da realidade neste momento", indica.

O governador do São Paulo e pré-candidato do PSDB, José Serra, também marca presença nas festas de Carnaval. Serra busca exposição no Nordeste do País e, para isso, ontem já esteve em Recife, de onde também planejava seguir para Salvador. Em Recife, Serra assistiu ao assistirá ao desfile ao lado do presidente do seu partido, o senador Sérgio Guerra (PE).

Por sua vez, o deputado Ciro Gomes (PSB-CE), que também recebeu convite de Eduardo Campos, confirmou presença em Recife. De lá, ele segue para o Rio, onde passará o carnaval ao lado de sua mulher, a atriz Patrícia Pillar.

A exceção à folia é a senadora Marina Silva (PV), que vai ficar em Brasília, onde pretende dedicar seu tempo à família. Conhecida por sua religiosidade, a senadora informou através de sua assessoria que não vai participar dos eventos carnavalescos e não pretende desfilar por nenhuma escola.
Fonte: www.diariodonordeste.com.br
Postar um comentário