quinta-feira, 15 de julho de 2010

Prefira frases curtas, evite adjetivos, ensina "A Arte de Escrever Bem"




da Livraria da Folha

Prefira frases e palavras curtas. Ponha as sentenças na forma positiva. Opte pela voz ativa. Escolha termos específicos. Use palavras concretas. Limite os adjetivos. Persiga a frase enxuta. Seja conciso. Corra atrás da frase harmoniosa. Busque a clareza e o máximo de legibilidade.

Divulgação

Autoras usam até bom humor nas dicas de como redigir melhor

Essas são dicas do livro "A Arte de Escrever Bem - Um Guia para Jornalistas e Profissionais do Texto", das jornalistas Dad Squarisi e Arlete Salvador, para melhorar a redação de um texto.

O volume de 112 páginas também dedica um capítulo para os gêneros jornalísticos, com conselhos para a elaboração de reportagens factuais e especiais, entrevista pingue-pongue (pergunta e resposta), perfis de entrevistados, editoriais, colunas, análises, entre outros tipos de texto.

As autoras também descrevem as rotinas jornalísticas, como a pressão do fechamento (horário final para entrega das reportagens), as intervenções dos editores e os erros comuns cometidos pelos profissionais da palavra.

Citações de diversos jornalistas, escritores e pensadores abrem cada bloco de texto ao longo do capítulo. São reproduzidas algumas notícias publicadas em veículos como Folha, "Correio Braziliense", "Veja" e "Época", para exemplificar algumas lições.

Apesar de destacar na capa que se trata de um guia para jornalistas, o livro traz ensinamentos de redação úteis a quem busca causar uma boa impressão com as palavras, seja em uma reportagem ou trabalho escolar, seja em um e-mail.

Um trecho interessante está na página 51, na qual as autoras ensinam como testar a legibilidade de um texto. Elas reproduzem uma receita do jornalista Alberto Dines.

São seis passos: 1. Conte as palavras do parágrafo. 2. Conte as frases (cada frase termina por ponto). 3. Divida o número de palavras pelo número de frases. Assim, você terá a média de palavra/frase do texto. 4. Some a média da palavra/frase do texto com o número de polissílabos. 5. Multiplique o resultado por 0,4 (média de letras da palavra na frase de língua portuguesa). 6. O produto da multiplicação é o índice de legibilidade.

Possíveis resultados: 1 a 7: história em quadrinhos. 8 a 10: excepcional. 11 a 15: ótimo. 16 a 19: pequena dificuldade. 20 a 30: muito difícil. 31 a 40: linguagem técnica. Acima de 41: nebulosidade.

O livro dá exemplos práticos da eficácia desse teste: "Se o resultado ficou acima de 15, abra o olho. Facilite a vida do leitor. Você tem dois caminhos. Um: diminua o tamanho das frases. O outro: mande algumas proparoxítonas dar umas voltinhas por aí. O melhor: abuse de ambos."

"A Arte de Escrever Bem"
Autoras: Dad Squarisi, Arlete Salvador
Editora: Contexto
Páginas: 112
Quanto: R$ 27,00
Onde comprar: 0800-140090 ou na Livraria da Folha
Fonte: Associação da Família Almeida
Postar um comentário