sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

ENCONTRO DE RIOS...

 

A criança e o poeta



Há! Se o tempo parasse de repente,
E voltasse a ser como era antigamente
Para eu reviver velhas alegrias.
E eu voltasse ser criança novamente,
E se possível, ser criança eternamente...
Envelhecer na meninice dos meus dias.

Como eu queria ser criança a vida inteira!
Cabelo duro todo sujo de poeira,
Chegar em casa e ouvir, mamãe falar:
-O que tu fez com a tua cabeleira?
-Por ventura faltou água a cachoeira
-Vem cá menino deixa que eu vou te banhar”.

-Traz o sabugo e rapa de juá,
-Este cascão hoje vai ter que limpar.
-Mamãe já sou homem macho.
-Vem logo se não quiser apanhar.
E eu saía, pula pra lá e pra cá,
Até chegar a beirada do riacho.
Chegando lá, mamãe dizia: - entra no rio.
Eu brincava até ficar roxo de frio,
Só saia quando mamãe me chamava.
-Vem cá menino, me deixaeu ver o teu ouvido,
-Limpou direito? Coisa que eu duvido.
E com um pano velho me secava.

-Dá a mão filho vamos embora.
E nós saia caminhando estrada afora,
Até chegar a nossa casinha de sapé.
Enquanto mamãe fazia o jantar,
Eu brincava esperando papai chegar
De repente escutava bater o pé.

-Mamãe, mamãe, papai chegou,                                                                                  
-Ele vai pro rio eu também vou.
-Posso ir papai, com o senhor?
-Não filho, papai volta já,
-Fique com a mamãe preparando o jantar,
-Você já banhou.

-Mamãe, mamãe, quero jantar.
-Calma filho, espera o papai chegar,
-Ele já esta vindo.
E de repente ela corria e me abraçava,
Me mordia, me apertava, me beijava,
Eu nem sei, se chorando ou se sorrindo.   

Uma aurora bronzeada sobre a terra!
Era o sol se escondendo atrás da serra,
E os pássaros procurando onde pousar.
Enquanto isso eu olhava da janela,
Vendo papai que abria a cancela,
E eu corria para mesa de jantar.

Papai e mamãe sentavam,
E eu subia na cadeira enquanto oravam.
Mamãe fazia nosso prato, depois o dela.
Depois sentávamos na beira da calçada,
Olhando o céu, observando a passarada,
Eu cochilava e dormia no colo dela.

Quando o poeta, nem pensava em ser poeta,
Era apenas uma criança discreta,
Protegido pelo o rei e a rainha,
Hoje, sou mais um entre os corações contritos,
Um poeta que ninguém ler seus escritos,
Revoada de uma única andorinha.

E a criança que pulava alegremente,
Com o pai e a mãe sempre presente,
De saudades hoje o seu coração ferve.
Com os seus pais tão distantes e tão ausentes,
O poeta é um homem tão carente,
Que se torna uma criança quando escreve.

Se eu pudesse pedir algo ao altíssimo,
E minha voz chegasse ao Senhor justíssimo,
Neste  dia eu pediria um só presente:
Humildemente em nome de Jesus Cristo,
Este poeta que ninguém ler seus escritos,
Só deseja se criança novamente.                                                                                                                            
Que saudade, sinto da minha infância,
Do meu tempo de criança,
Eu, papai, mamãe, nós três.
Há! Se o tempo parasse de repente...
Voltasse a ser como era antigamente,
E eu pudesse ser criança outra vez.   
                                                   Francis Gomes

OBRAS REALIZADAS 2009 / 2010 SEINFRA



PRAÇAS PÚBLICAS E URBANIZAÇÃO:


  • Construção de Praças Públicas: na Rua Antonio Ferreira Lima; em frente ao CSU Sede do Município; no Distrito de Quincuncá; no Sitio Lambedouro; na Vila Umarí; na Vila Monte Pio; no Sítio Oitis com restauração de abrigo (entrada de Cariutaba); e Reforma da praça no Distrito Cariutaba.
  • Reforma da Praça Enoch Rodrigues, Sede do Município (em andamento)
  • Construção de Urbanização da Rua Luis Otacílio Correia, Sede do Município;

CALÇAMENTOS

  • Construção de 8.221,32 m² de calçamento em pedra tosca na Sede do Município;
  • Construção de 7.330,48 m² de calçamento em pedra tosca em todo o distrito de Quincuncá;
  • Construção de 9.269,40 m² de calçamento em pedra tosca em todo o distrito de Cariutaba;
  • Construção de 2775,09 m² de calçamentos em paralelepípedo em Nova Betânia;
  • Construção de 2.520,00 m² de calçamento em pedra tosca na Vila Lamajú;

· Construção de 1.482,06 m² de calçamentos no Lambedouro;

· Construção de 5.771,0 m² de calçamentos na Vila Monte Pio;

· Construção de 1890,0 m² de calçamentos no Sitio Soturno;

· Construção de 480,0 m² de calçamentos no Sitio Riacho da Roça;

· Construção de 2.280,0 m² de calçamentos no Sitio Cajueiro;

  • Pavimentação em estrada carroçável da Vila Lamajú a Vila São Romão;
  • Restauração da pavimentação na Rua Antonio Ferreira Lima, Sede do Município;
  • Restauração de calçamento e sarjetas de meio fio no Distrito de Cariutaba;
  • Movimento de terra e restauração de calçamento em pedra tosca no Distrito Nova Betânia;

SANEAMEMTOS:

  • Construção de Rede de esgoto: no Estádio Municipal; no parque de vaquejada Silva Antero; nas Ruas João Pereira de Araujo, Luiz Otacílio Correia na e Antonio Fernandes de Lima, sede do Município; nas sedes dos Distritos de Quincuncá, Cariutaba, e na Avenida Manoel Neri de Oliveira do Distrito Nova Betânia.

PASSAGENS MOLHADAS:

  • Reforma em diversas passagens molhadas em estradas vicinais da Sede do município ao Distrito Cariutaba, no Sítio lagoa, Sítios Baraúnas, Sítio Sousa, Sítio Riacho da Roça, Sítio Catingueira e em muro de contenção no Riacho dos Alexandres da estrada carroçável da sede ao Distrito de Nova Betânia, Sítio Caatingueira, na estrada carroçável do Monte Pio a Carnaúba e no Sítio São Vicente;

DIVERSAS

  • Reforma no Estádio Municipal;
  • Construção de bueiro no Sítio São João e em várias outras localidades do Município;
  • Sistema elétrico da iluminação de canteiro central da rua principal de Nova Betania;
  • Reforma na garagem municipal;
  • Reforma na casa do idoso;
  • Reforma das fachadas do prédio da Prefeitura Municipal e Construção de pavimento térreo;
  • Construção de salas administrativas e galpões para caprinos e ovinos no Parque de Vaquejada Silva Antero;
  • Reimplantação de iluminação pública na Avenida Luiz Otacílio Correia;
  • Recuperação com piçarramento de estrada vicinal que liga a vila Lamajú aos Sítios Juá e Extrema, sede do Município à Vila Lagoa Seca, e recuperação das estradas carroçais sem piçarramento nas demais localidades do municipio;
  • Reforma no Matadouro Público;
  • Construção de calçadas em via pública na Avenida Luiz Otacílio Correia;
  • Serviços de obra d’arte corrente, nos Sítios Cajueiro, Cachoeira e Suturno;
  • Perfuração de 04 poços: 01 na Escola do Sítio São Vicente, 01 Sítio Umburana, 01 Sítio Tabuleiro e 02 na Sede do Distrito Quincuncá, nos Sitios Queimadas, Oitis e Mota.
  • Reforma no Sistema de Abastecimento de água do Distrito Nova Betânia, Sítios Cana Brava e Sítio Sousa;
  • Reforma no Parque de Vaquejada Silva Antero;
  • Serviços de melhorias habitacionais com a construção de 62 unidades habitacionais para controle da Doença de Chagas;
  • Execução do Sistema de Melhorias Sanitárias Domiciliares com a construção de 57 Módulos sanitários, nas localidades Ribeirinha, Queimada e Caatingueira;
  • Perfuração de 04 poços profundos tubulares nas localidades: Quincuncá, Queimadas, Oitis e Mota.

EDUCAÇÃO

  • Reforma e ampliação de escolas da Rede de Ensino do Município de Farias Brito – CE. (Escolas: Santa Bárbara, Ant° P. de Andrade e Maria Carmosina, na Sede, EEF Joaquim F. dos Santos no Barreiro do Jorge, EEF Joaquim Pereira de Sousa no Sítio Sousa, nas escolas Gonçalves Dias Sítio Fazenda e na José Gonçalves Sítio Contendas, ampliação da escola Evaldo Gonçalves de Pinho na Vila Monte Pio, reforma nas EEF Castelo Branco no Sítio Queimadas, na EEF Castelo Branco no Sítio Timbauba, EEF Manacês Pereira de Alcantara no Sítio Cipó, na EEF Joaquim Ferreira dos Santos Vila Barreiro do Jorge, EEF Pedro Fernandes de Alcantara Distrito Cariutaba, EEI Andrelino Gonçalves de Morais na Vila Umarí, Ampliação e Reforma da EEF Francisco Matias de Sousa no Sítio São Vicente, ampliações e reforma nas Escolas José Cicero Rocha e Cicero Rodrigues de Araujo localizadas na Vila Lambedouro.
  • Ampliações no prédio da Secretaria Municipal de Educação;
  • Reforma e ampliação da escola 1º de Maio do Distrito Nova Betânia (em andamento);
  • Construção de uma escola na Vila Monte Pio (em andamento);
  • Construção de Escola de Ensino Infantil – Pró-infância, na Sede do Município (em andamento);

SAÚDE

  • Reforma nos postos de saúde das localidades Sítio Sousa, Sítio Queimadas, Sítio Baraúnas, Vila Manoel Ribeiro (Lambedouro), Sítio Carás, Vila Lamajú, Vila Monte Pio, Sítio São Vicente e ampliação e reforma do Posto de saúde Celso Pereira, localizado no Distrito Quincuncá.
  • Construção do NASF – Núcleo de Apoio a Saúde da Família;
  • Reforma e Ampliação da unidade básica de saúde Paulo Sarazate;
  • Reforma na Unidade Mista de Saúde
  • Construção de um posto de saúde na Rua João Pereira de Araújo (em andamento);
  • Construção de um posto de saúde no Distrito Nova Betânia (em andamento);
  • Construção de um Posto de Saúde no Distrito Cariutaba (em andamento);
  • Reforma no CEO.

AÇÃO SOCIAL

  • Reforma no Centro Social Urbano – CSU;
  • Reforma de um prédio público para funcionamento de projetos sociais, localizado a rua Duques Pereira no Distrito Quincuncá;
  • Ampliação e reforma do Centro de Referência a Assistência Social – CRAS;
  • Reforma e ampliação do CSU (em andamento);

OBRAS PROJETADAS

  • Recuperação, alargamento e piçarramento de estrada vicinal que liga o Sítio Sousa com a divisa do Município de Nova Olinda;
  • Construção de 30 casas na Sede do Município (Programa Minha Casa Minha Vida);
  • Urbanização e ampliação no parque de vaquejada Silva Antero;
  • Reforma e Ampliação da EEF Duque de Caxias, Vila Lagoa Seca, Quincuncá;
  • Pavimentação em Pedra Tosca Continuação da Avenida Manoel Neri de Oliveira, Distrito Nova Betânia;
  • Construção de uma quadra poliesportiva no Sítio Lagoa Seca
  • Reforma e ampliação da EEF Cosmo Alves Pereira;
  • Projeto de Abastecimento de água do Parque de Vaquejada Silva Antero;
  • Projeto de Abastecimento de água do Sitio Souza;
  • Projeto de Abastecimento de água do Sítio Cipó;
  • Serviços de melhorias habitacionais com a construção de 178 unidades habitacionais para controle da Doença de Chagas, em diversas localidades do município;
  • Projeto para construção de uma escola infantil na sede de nova Betânia;
  • Projeto para construção de uma escola infantil na sede de Cariutaba;
  • Projeto para construção de quadra poliesportiva na sede do município;
  • Projeto para construção de uma escola de ensino fundamental na sede do município.

CALÇAMENTOS DETALHADOS

CALÇAMENTOS NA SERRA: 7.330,48 m²

  • Construção de 2.242m² de calçamento em pedra tosca nas ladeiras dos altos doía (Tamboril) e do Euduque Rua Antero Rodrigues Silva no Distrito Quincuncá;
  • Construção de 448,48m² de pavimentação na rua duques pereira, Distrito Quincuncá;
  • Construção de 4640m² de calçamento na Timbaúba,

CALÇAMENTOS NA SEDE; 8.221,32 m²

· Construção de 1190m² de calçamento na Rua Aurélio Liberalino de Menezes, 1.974,0 m² na Rua João Pereira de Araújo, 161,12 m² na Rua de acesso ao Conjunto Habitacional, 712,50 m² na Rua Bejamim Leite, 378,0 m² na Rua Castelo Branco, 700,0 m² numa rua sem denominação no Bairro Boa Vista, 1050,0 m² na Travessa Ana de Souza Lacerda, 803,40 m² na Rua Diocles Almeida Brandão, 1235,87 m² na Rua João Ribeiro da Silva, 171,50 m² na Rua São Vicente de Paula, 588 m² numa rua sem denominação perpendicular a São Vicente de Paula, 492,80 m² na Rua Ana de Souza Lacerda

Calçamentos em Cariutaba; 9269,40 m²

· Construção de 5.502,0 m² de calçamentos em acesso à Cariutaba

· Construção de 300,0 m² de calçamentos na saída de Cariutaba ao Sítio Cajueiro

· Construção de 845,56 m² de calçamentos em paralelepípedo nas Ruas Vereadora Dorací e Deputado Otacilio Correia.

Calçamento na Vila Lamajú: 2.520,0 m²

· Construção de 480,0 m² de calçamentos na rua da escola

· Construção de 324,0 m² de calçamentos do posto de saúde

· Construção de 1.128,0 m² de calçamentos em ruas sem denominação

· Construção de 210,0 m² de calçamentos na rua do campo

· Construção de 378,0 m² de calçamentos do açude

Calçamentos em outras Localidades

· Construção de 1.482,06 m² de calçamentos no Lambedouro;

· Construção de 5.771,0 m² de calçamentos na Vila Monte Pio;

· Construção de 1890,0 m² de calçamentos no Sitio Soturno;

· Construção de 480,0 m² de calçamentos no Sitio Riacho da Roça;

· Construção de 2.280,0 m² de calçamentos no Sitio Cajueiro;

· Construção de 2775,09 m² de calçamentos em paralelepípedo em Nova Betânia;

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

FARIASBRITENSES CONGRATULAM-SE COM DR. DARIVAL

Várias pessoas da cidade de Farias Brito estiveram presentes no Momento da Posse dos 6 novos Desembargadores no Tribunal de Justiça no último dia 18 em Fortaleza. O Dr. FRANCISCO DARIVAL BESERRA PRIMO, um dos 6 Novos Desembragadores, ficou bem satisfeito com a presença dos seus conterrâneos.
Dr. Francisco Darival Beserra Primo é fariasbritense, filho de Gabriel Beserra de Morais e Amélia Primo. Seu Pai foi Prefeito Municipal de Farias Brito no biênio 1970/1972. Foi o Prefeito que trouxe o sinal de TV para a cidade. Dr. Darival iniciou os estudos do Colégio Getúlio vargas em farias Brito. Fêz o ginasial no Colégio Diocesano de Crato e 2º grau em Fortaleza onde foi Bacharel em Direito pela UFC turma de 1973.

Dr. Darival com o Professor Devânio (lado esquerdo) - Diretor da Escola de Farias Brito com o nome do Pai do Desembargador: GABRIEL BESERRA DE MORAIS.

Dr. Darival com o Casal de Nova Betânia José Bispo e Maria.


Danúbio e Danésio, irmãos de Dr. Darival, com Dr. Cazuza e Socorro Meneses.

Ao lado do Professor Devânio o Dr. Jerônimo Correia.

Dr. Aurivan Liberalino com as Primas Roseli e Socorro e os primos Cazuza e Dr. Emanuel Pinheiro.

A Agricultura na Serra do Quincuncá

Casal de agricultores na Serra do Pe. Cícero, onde tem início a Chapada da Serra do Quincuncá, comemorando a germinação e desenvolvimento inicial do Milho.

No Sítio Umari na propriedade do Sr. JOSE FERNANDES o milho que foi plantado nas primeiras chuvas já aparecendo as primeiras espigas.

A Produtora no Sítio Umari no campo de Amendoim.
Campo de Milho no terreno de Luis de Vigário em que a vista não alcança o final.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

O pântano de almas protestantes


Eu gostaria de ter um tempo, e debater comigo mesmo, a história do livro não lido, contando a história de uma crônica de saudades, publicada em folhetim.
Mas seu eu falar sozinho, sou louco e debater comigo mesmo me falta argumentos.
Não que eu tenha medo de perder no debate para mim mesmo, mas se eu ganhar pode se uma fraude.
Por isso eu preciso de alguém, alguém que leia e debata comigo, que discorde de mim, e me faça ler mais e me preparar melhor para os próximos debates.
Eu preciso de alguém de coragem para lutar, ao encontrar o mundo. Ao mesmo tempo faça refletir sobre os homens e a sociedade do século passado, enquanto vivo em tempo real.
Eu preciso de alguém com algumas horas disponíveis para guerrear  de portas abertas, com armas certeiras, mas que não seja crime usá-las, as armas  do conhecimento.
Alguém com raiva, que goste das provocações e quebre o tédio corruptor da mesmice. Que saiba usar suas sensações e manifestações de sentimentos a fim de transformar  a história do desenvolvimento humano. E como um deus do olimpos, observe o  mundo lá em baixo, como um pântano de almas, que protesta contra o pai da pátria, ou quem sabe um padrasto sem considerações nem papas na língua.
Eu preciso de um acrobata, mas que não fique na corda bamba. Não importa poetas, jornalistas, polemista, romancista, críticos, fanzineiros, mas que tenha coragem para defender suas idéias, ou que aceite uma boa troca de idéias.
Eu preciso de alguém que morra como Castro Alves, e não como Raul Pompéia. Alguém que mostre ao mundo que é uma pessoa de honra com a vida e não com a morte.
Alguém que saiba tirar do amor, do ódio e da amizade lições constante e quanto encontrar o mundo, possa vencê-lo, e ensinar outros fazer o mesmo.
Que seja um Machado sem ser de Assis, uma Bandeira sem ser Manuel, que esteja em Dias sem ser Gonçalves, que seja Ramos frutífero sem ser Graciliano, e se torne Amado sem ser Jorge.
Alguém que enquanto o dia vai escapando por trás da montanha, exercite as almas por meio da literatura, e faça com que viver não seja um meio termo falso da educação moral. Que seja boêmio, mas faça como Jeremias ao encontrar as palavras do Senhor.


Francis Gomes       








Defasagem na educação

Dom Aldo Di Cillo Pagotto

Arcebispo Metropolitano da Paraíba

Nas últimas três ou quatro décadas a política educacional brasileira apresenta resultados pífios, comparada às nações emergentes, cujo avanço científico e tecnológico é fundamental para o próprio desenvolvimento sócio-econômico. Na teoria, os referenciais de educação básica (vide Lei de Diretrizes e Bases) prima pela excelência. Na prática, porém, a realidade das últimas décadas registra a ausência de investimentos substanciais para a sua consubstanciação. Consequentemente, os resultados, além de pífios, são considerados insuficientes para uma avaliação séria.
A triste conclusão de que os resultados são insuficientes para uma avaliação realista deve-se a falta de garantia de recursos financeiros. Não foram prioridades a qualificação de professores e de alunos, material didático, construção e reforma dos prédios, criação de laboratórios, pesquisas de campo, enfim, de infraestrutura indispensável.
O processo educacional brasileiro foi nivelado por baixo. Pouco se trabalha com metas e resultados. Milhares de adolescentes “vão pra frente” sem dominar as quatro operações aritméticas. O mesmo se verifica na escrita, na leitura, na interpretação de textos num nível elementar. Muitos alunos não conseguem “se ligar”, nem acompanhar a trajetória lógica de um raciocínio elaborado, por um espaço de tempo razoável. O papo é outro.
A avaliação de resultados do processo de ensino, aprendizado e habilidades, “não bate” com as referências fundamentais dos parâmetros curriculares. O que os professores ou diretores de escolas podem fazer se o aluno “tem que ir pra frente de qualquer jeito”? Não se permite que o aluno fique traumatizado se tomar bomba ou talvez desista da escola.
Que futuro terá a geração nova “indo pra frente de qualquer jeito”? Para onde vão milhares de adolescentes e jovens despreparados, sequer para serviços de necessidade básica que, porém, hoje exigem qualificação? Para piorar, também na escola avança o fator droga e violência (bullying) de forma deletéria. Alunos agridem professores, colegas e até os pais.
Nos novos referenciais da sociedade, com novos arranjos familiares, os pais (ou algum responsável) não conseguem orientar os próprios filhos. Sentem-se desmoralizados e são agredidos da mesma forma. Outros “não estão nem aí” para os filhos. Como recuperar décadas perdidas com danos irreparáveis? Um prognóstico realista requer planejamento de metas objetivas, resultados concretos, investimentos assegurados.
O pronunciamento oficial da presidente Dilma (10/02 pp.) resume-se num lema: “País rico é país sem pobreza”. De fato, para erradicar a miséria o caminho é a educação incluindo-se, pois, a profissionalizante. Trata-se de criar condições e oportunidades de estudo e trabalho para as pessoas de classes empobrecidas. Trata-se de investir oportunamente na qualificação das pessoas, não apenas “dar alguma coisa”.
Segundo o IPEA, 10% da população mais rica detêm 75,4% de todas as riquezas. O imperativo ético da superação do empobrecimento do povo brasileiro não é casual. É provocado. O desenvolvimento humano do povo é o foco do qual não podemos nos desviar! Os valores éticos devem estar presentes, pois são referenciais de uma nação livre, soberana, democrática, participativa.
O resgate da cidadania exige a criação de condições e a distribuição de oportunidades de formação humana. Estudo e trabalho geram riqueza e partilha, superando a miséria moral e material. A superação da miséria é proporcional à oferta de oportunidades de inclusão e justiça social.
www.cnbb.org.br

Novo escritório móvel da Ematerce difunde ações extensionistas


A Ematerce adapta mais uma Van, que servirá de escritório móvel, a fim de divulgar as ações extensionistas, quando da realização de exposições e feiras agropecuárias, no interior e na capital, ou de outros eventos, promovidos ou não pela empresa, e que necessitem de sua participação. O escritório móvel dispõe de mesas, birôs, cadeiras, toldo, prateleiras, equipamentos eletrônicos, como: telão, data-show, DVD e caixas de som grandes, gerador de energia e ambiente com ar condicionado.


A nova unidade administrativa móvel da Ematerce vem sendo bastante solicitada, mas a Assessoria de Comunicação da empresa atende as solicitações dos gerentes locais e regionais, mediante um deslocamento planejado, conforme a importância do evento. A van serve, também, para receber a visita de agricultores, de autoridades e da população, por ocasião das exposições agropecuárias feiras da agricultura familiar e dias de campo, realizados nas fazendas assistidas pela empresa ou nas sedes municipais.


Ressalte-se que o escritório móvel da Ematerce foi um pedido da equipe da Assessoria de Comunicação (Ascom) à diretoria executiva, que foi aceito, prontamente, pelo presidente da empresa, José Maria Pimenta, consciente de que se trata de um investimento necessário e um instrumento de trabalho, que possibilita contatos com os agricultores, mesmo fora das sedes dos escritórios fixos, além de exibir, por meio de um telão, vídeos técnicos e institucionais sobre assuntos agropecuários e outros de interesse do homem do campo.

===============================================================
Assessor de Comunicação e Ouvidor
Jornalista Antonio José de Oliveira – antonio.jose@ematerce.ce.gov.brEste endereço de e-mail está protegido contra SpamBots. Você precisa ter o JavaScript habilitado para vê-lo.
Fone 85.3217.7872

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Luiz Domingos de Luna*

A Cela do existencialismo dos seres humanos é inexorável. A inteligência em projeção pouco, ou nada tem feito para outros dados amostrais da arte do existir. A busca de fundamentação teórica dos componentes químicos para a composição da existência somente consolida a tela da fortaleza da prisão, pois em nada acrescenta ao substrato de outras formas de se fazer presente no panorama permeado a todos, vez o estudo do passado, seja como principio ativo ou não, o processo culminará sempre com a realidade do agora.
A filosofia tem se debruçado sobre a justificativa para a devoradora de vida no planeta terra – Na verdade, a peregrinação epistemológica tem sido mais para a justificativa da morte, dificilmente, se encontra uma escola filosófica para um estudo sério de como vencê-la, a ciência pouco tem feito para derrotar esta assassina de vidas. Dessa forma até parece que a morte é soberana é algo que está acima da compreensão humana. O reinado da morte parece ser eterno.
A morte de fato não derrota ou devora a vida, mas sim, apenas limita, pois a sobra da morte, a história, que a seqüência, forma a epistemologia genética da humanidade que é base para a civilização humana.
O Problema nasce quando a vida é estudada como a variável e a morte como a certeza, quando de fato, deveria ser o contrário, a vida como certeza e a morte como variável, isto acontece porque a humanidade se curva a inferioridade de uma existência perecível, ou seja, o presídio é concreto, vive em todas as abstrações dos humanos e sempre é vencedor, sendo a morte a heroína que fecha qualquer ciclo vital.
A solução se torna inatingível, pois tanto a inteligência quanto a ciência qualifica este caracteres como parte do Carrossel existencial, pois, a falta de uma forma diferenciada de existir faz sempre a vida no encaixe do tempo: passado, presente e futuro, até hoje esta fatalidade tem sido uma constante na vida dos seres vivos no planeta ainda azulado.
A desfragmentação da existência em outros patamares é base a libertação do homem, se não existe espaço dentro da lógica real, palpável, ou do alcançável, que seja oferecido novos modelos existenciais, se esta possibilidade inexiste dentro do campo racional do existencialismo que se busque uma ferramenta para tal fim, assim, a fé será sempre um caminho de Luz.
(*) Professor da Escola de Ensino Fundamental e Médio Monsenhor Vicente Bezerra – Aurora - Ceará.

Chuvas na Região do Cariri em 21-02-2011

                        
        Chuva Relativa ao Período: 7:00 de 20/2/2011 às 7:00 de 21/2/2011

MACRO REGIÃO 7 - CARIRI

POSTO MUNICIPIO QTD(mm)
Lameiro Crato 55.0
Mauriti Mauriti 44.0
Vila Feitosa Caririacu 40.0
Brejinho Barro 33.2
Caipu Carius 31.0
Milagres Milagres 29.0
Ingazeira Aurora 25.0
Crato Crato 24.8
Umari Umari 24.0
Amaniutuba Lavras Da Mangabeira 24.0
Sitio Tipi Aurora 20.0
Poco Do Pau Brejo Santo 18.0
Porteiras Porteiras 15.2
Jati Jati 13.0
Missao Velha Missao Velha 12.5
Cuncas Barro 12.4
Abaiara Abaiara 11.0
Juazeiro Do Norte Juazeiro Do Norte 11.0
Mangabeira Lavras Da Mangabeira 11.0
Barbalha Barbalha 10.0
Arrojado Lavras Da Mangabeira 9.3
Sitio Macapa Jati 9.0
Jucas Jucas 8.0
Sitio Saco Porteiras 7.8
Brejo Santo Brejo Santo 6.5
Ipaumirim Ipaumirim 4.0
Santana Do Cariri Santana Do Cariri 4.0
Aurora Aurora 4.0
Varzea Alegre Varzea Alegre 3.0
Farias Brito Farias Brito 2.0
Jamacaru Missao Velha 2.0
Postos com chuva: 31 / Postos informados: 31
                                   Dados extraídos automaticamente às: 08:55 de 21/2/2011 
www.funceme.br