sábado, 19 de fevereiro de 2011

Centec demite mais de 200

Instituto elimina empregos para enxugar a folha de pagamento. Alunos temem fim das atividades dos centros

Os funcionários do Instituto Centro de Ensino Tecnológico (Centec), organização social ligada ao Governo do Estado, através da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Educação Superior (Secitece), estão sendo surpreendidos com a notícia de que terão seus empregos cortados no Interior e na Capital. Mais de 200 pessoas devem ser demitidas, em uma ação que visa enxugar a folha de pagamento da entidade e realocar recursos em investimentos para a melhoria dos centros.

"Tais medidas se fazem necessárias e inadiáveis para promover o equilíbrio da Instituição e consequentemente continuar sua missão provendo uma educação profissional de qualidade", disse, em nota publicada no site do Centec, a diretora-presidente do Instituto, Geórgia Andrea Aguiar Almeida.

Conforme o texto, as ações de todos os Centros Vocacionais Tecnológicos (CVT), Centros Vocacionais Técnicos (CVTec), Núcleos de Informação Tecnológica (NIT) e as Faculdades de Tecnologia Centec (Fatec), pertencentes à organização, ficam garantidas, sem possibilidade de fechamento de cursos ou de turmas.

Entretanto, os alunos temem ser prejudicados, pois acreditam que o Instituto deixará de funcionar. Ontem, estudantes do Campus de Quixeramobim fecharam a CE-040 em manifestação contra a demissão dos funcionários. Na unidade, nove pessoas foram dispensadas, incluindo quatro professores.

Nas sucursais de Juazeiro do Norte e Crato, também houve protesto. Alunos e professores paralisaram as aulas para questionar o corte de 35 trabalhadores da Faculdade de Tecnologia de Juazeiro e de dois no CVT cratense.

Corte

O corte dos funcionários surge em um momento no qual o Governo do Estado, principal injetor de recursos no Centec, pretende cortar cerca de R$ 500 milhões em custeio. Uma das medidas fundamentais para cumprir o esforço é reduzir em 20% a verba de terceirizados de todas as pastas e entidades ligadas à máquina estadual.

Fonte: Diário do Nordeste
Postar um comentário