quarta-feira, 30 de março de 2011

Galera, como eu havia comentado que nesta quarta 30/03/2011 eu estaria na Faculdade UNISUZ,  de Suzano, promessa é dívida estive lá e foi muito bom.
Quero agradecer a todos os professores que colaboraram para que eu fosse a fazer esta palestra na UNISUZ, principalmente o Professor, escritor,  filsófo e Amigo, Marcus  Haurélio,pelo apoi e consideração.
Tambem quero agradecer de coração a todos os alunos e alunas, pela calorosa recepção e por terem gostado do meu trabalho e adquirido o meu cordel.
Bem meu povo, foi muito bom mesmo, falei do cordel desta cultura popular meio que esquecida nas escolas, mas aos poucos estamos levando o cordel até nas faculdades, agora imaginem vocês um caipira falando de literatura de cordel para alunos das faculdades isso é quase inacreditável pela dupla descriminção, além de nordestino, cordelista, mas somos brasileiros e não desistimos nunca. Valeu mesmo. E meu muito obrigado ao meu amigo e poeta Paulo odair pela presença.
vejam as fotos da galera.

RECITANDO O CORDEL AVENTURAS DE UM CAIPIRA

A GALERA ATENTA, ISSO É BOM DEMAIS

OLHA UM CEARENCE ARRETADO

                                              TO RINDO ATOA  VENDENDO CORDEL

HAJA CORDEL MEU AMIGO

A GALERA QUENDO MAIS CORDEIS E ACABANDO

A GALERA ESCOLHENDO OS CORDEIS


AO TÉMINO DE MINHA FALA

terça-feira, 29 de março de 2011

Meus amigos e leitores. Estou em uma correria tremenda, por causa do lançamento do livro, mas acreditem entre uma correria e outra deu tempo para escrever meu 18º cordel. ainda não sei quando vou lançar, mas já esta prontinho e para deixar vocês mais curiosos vou deixar uma palhinha dele, mas tenham plena certeza o final é surpreendente.


O MENINO CABRITO


Foi no sítio mulungu
Cidade Farias Brito
Onde aconteceu um caso
Extremamente esquisito
Nasceu um pobre coitado
Com a feição de cabrito

A coisa foi mesmo feia
Na hora que ele nasceu
O sol  se ocultou mais cedo
O dia escureceu
Igual na morte de Cristo
A terra também tremeu

Um vento soprava forte
Muitos cachorros latiam
Lobo uivava no mato
As galinhas se escondiam
Trovão zoava no céu
Na terra raios caiam...


A velha partiu pro quarto
A onde a filha estava
Se retorcendo na cama
Trincando os dentes  gritava
De tanta dor que sentia
Quando a criança chutava

...A mãe pedia calma
Que já estava saindo
A filha ficando fraca
A força ia sumindo
Pois só ela e Deus sabia
A dor que tava sentindo

Mas quando a vó viu
O que estava nascendo
Se arrepiou de medo
E começou se tremendo
Fez logo o sinal da cruz
Gritou e saiu correndo...


...Parou na porta do quarto
Estatelado ficou
A mulher e o filho vivo
Mas o bebê se assustou
E novamente ao invés
De chorar ele berrou

O homem apavorado
Quis correr não conseguiu
A vista escureceu
Foi sentar quase caiu
Mas porém neste momento
A criancinha sorriu...


...O padre não conseguiu
Disfarçar a  assombração
Começou rezar um terço
Pra virgem da conceição
Vendo que o menino era,
Mais cabrito que cristão...

OBS:
São estrofes intercaladas tem muito mais, muito mais...
 Francis Gomes


Defensoria Pública: Cid Gomes inaugura Alô Defensoria


O governador Cid Gomes inaugura nesta quarta-feira (30), às 9 horas, vai inaugurar a sua Central de Relacionamento com o Cidadão da defensoria Pública do Estado, mais conhecida por Alô Defensoria. Através do número 129. A população poderá obter orientações sobre o atendimento da Defensoria, documentação necessária para apresentar ao Defensor, qual o local de atendimento adequado e mais próximo do cidadão, bem como já deixar pré-agendado o seu atendimento. O serviço irá funcionar na avenida Pinto Bandeira, 1111, no Luciano Cavalcante.

Essa ligação não terá nenhum custo para o cidadão. O Alô Defensoria irá funcionar inicialmente com seis telefonistas, já treinadas para que todas as informações sejam repassadas de forma clara, objetiva e detalhada para o cidadão. Ao todo serão 10 linhas em funcionamento. O cidadão poderá ligar tanto de telefones fixos, como também de aparelhos celulares.

De acordo com o coordenador do Alô Defensoria, Defensor Carlos Levi Costa Pessoa, esse novo serviço será disponibilizado para a população com o objetivo de facilitar e humanizar o atendimento. “O cidadão já vai para o atendimento junto ao Defensor ciente de todas as informações iniciais do seu problema. O Alô Defensoria irá diminuir as longas filas, o tempo de espera do atendimento, bem como redistribuir o número de atendimento dos Núcleos, desafogando aqueles com maior demanda, explicou Carlos Levi”.

O Alô Defensoria irá funcionar das 8 horas às 17 horas, de segunda a sexta-feira. Com o novo serviço, a Defensoria Geral poderá traçar um diagnóstico contendo quais os bairros que mais buscam o atendimento da Instituição, quais os principais casos, os Núcleos mais procurados e, com isso, criar novos Núcleos Descentralizados ou estruturar ainda mais os que já existem.

A Anatel autorizou o uso do código 129 para atendimento aos serviços prestados pelas Defensorias Públicas, em todo o território Nacional De acordo com o Ato Nº 4.882, de 25 de agosto de 2009, publicado no Diário Oficial da União do dia 31 de agosto.

O projeto, que contou com o apoio do Deputado Federal Mauro Benevides e da Conselheira da Anatel Emília Ribeiro Curi, procura facilitar o acesso do cidadão à Justiça, agilizando as orientações daqueles que necessitam do apoio da Defensoria Pública. Isso irá permitir um acesso rápido ao serviço. Os códigos são padronizados nacionalmente e, para ativá-los, as instituições devem contratar o serviço de telefonia com a prestadora de seu interesse.

Independente do local onde o usuário esteja, ele pode ligar gratuitamente para o 129. O serviço é válido para todo o Brasil.

29.03.2011
Assessoria de Imprensa Defensoria Pública Geral
Ana Sílvia Magalhães ( imprensa@defensoria.ce.gov.br Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. / 85 3101.4372 - 8711.3130)

segunda-feira, 28 de março de 2011

Meus queridos está chegando o grande dia do lançamento do meu livro, ECOS DO SILÊNICIO, a ansiedade é grande, pelo  o lançamento e também para ver se meus convidados iram comparecer.  
Enquanto isso estou na correria para tentar divulgar o máximo possível, na mídia onde tenho acesso.
Quarta feira 30/03/2011, estarei fazendo uma palestra na UNISUZ, as 20:00 horas sobre literatura de cordel, e claro divulgando o lançamento.
Na quinta, 31/03/2011, as 19:00 horas com a galera da Associação Cultural Literatura no Brasil, em uma escola no Colorado, para um Sarau e divulgação do lançamento.
No sábado, feriado 02/04/2011, a parti das 15h30min na Rádio Sat FM, de Suzano para uma entrevista e divulgação do livro.
E na sexta Feira 08/04/2011 as 10:00 horas na Rádio UNESP de São Paulo, com Oscar D'Ambrosio, no programa Perfil Literário para uma segunda entrevista com ele, divulgando o meu trabalho e lançamento do livro. A primeira foi apenas para divulgar meus livretos de cordel agora a lançamento do livro. Como Vos falei é correria.
Abraço a todos.
Francis Gomes

A Segunda Eva - Em Aquarius

Luiz Domingos de Luna*

Outro dia fui convidado, como de costume, para retornar ao meu planeta Natal Aquarius, depois dos procedimentos já devidamente expostos na Série Aquarianos, peguei a nave e fui ao meu velho Planeta Natal Aquarius, nem precisa dizer que tudo estava do mesmo jeito vez lá o tempo real não existir. Entrei na conferência coloquei o chip Aquariano sentei confortavelmente na minha cadeirinha e á frente o telão em 3D, o tema a girar: A Segunda Eva. Senti logo um dor violenta, talvez a ressonância magnética do Chip terráqueo, as lembranças de Eva no Paraíso lembraram Adão, a serpente, o jardim do Éden me veio logo a mente, acenei para o irmão que o meu processador estava com defeito, pois, a memória do Planeta Terra não tinha sido deletada eu estava em Aquarius, mas a memória terrena sempre a rondar minha imaginação – técnico disse que o meu chip seria virtual e real e eu como sempre, seria um cobaia mais uma vez, no meu querido Planeta natal Aquarius. Ora mensagens aquarianas, ora terrestres e a dor sempre aumentado, na verdade um dor imaginária, visto em Aquarius não existir, o conferencista apareceu todo empolgado, já fui ficando desconfiando, vez em Aquarius não existir emoção, mesmo assim continuei a assistir atentamente a palestra, “Irmãos Aquarianos, nosso planeta, como é de conhecimento dos senhores tem a maior tecnologia do universo somos capazes de viajar a 1000 vez a velocidade da Luz e repor a matéria clara em escura, temos o Bóson de Higgs, para construção de vários universos, somos os melhores no espaço sideral na matéria ou na falta desta. E haja palmas e mais palmas eu já estava tonto de tanta confusão, pois em Aquarius não existe emoção. O Sábio Aquariano pediu a palavra, o conferencista imediatamente repassou “Irmãos Aquarianos o que o conferencista discorreu é uma realidade, outrossim, somos assim, e seremos sempre, pois faz parte de nossa existência, porém não estou entendendo aonde o irmão que chegar?” O Conferencista disse: Eu estava pensando em colocar uma segunda Eva em Aquarius: - Uma segunda Eva em Aquarius? -Sim E a primeira como surgiu? -De uma costela -Você tem uma costela? Nós Aquarianos temos costelas? -Não! -Amigo, ninguém propõe quando não se pode oferecer

(*) Professor da Escola de Ensino Fundamental e Médio Monsenhor Vicente Bezerra – Aurora - Ceará

domingo, 27 de março de 2011

DIOCESE DE CRATO CONTARÁ COM UMA FAZENDA DA ESPERANÇA


A Diocese de Crato contará com uma unidade da Fazenda da Esperança. Esta boa notícia foi dada nestes dias depois de um encontro com coordenadores das Fazendas da Esperança, provenientes de todo o Brasil, realizado no Centro de Expansão Dom Vicente Matos, em Crato, com a participação do fundador, Frei Hans Stapel e de dom Fernando Panico, que presidiu a Santa Missa com os participantes na noite do dia 19 de março.
A notícia de que a Diocese ganharia uma Fazenda da Esperança, foi dada no ultimo dia 20 de março pelo próprio Frei Hans, ao final da concelebração eucarística em memória do padre Cícero, na capela do Socorro, às 6h, em Juazeiro do Norte.
A Fazenda da Esperança é uma associação de fiéis reconhecida pala Igreja Católica; é uma entidade que desenvolve trabalho de recuperação de jovens que se envolveram com o mundo das drogas e possui unidades, além do Brasil, no México, Guatemala, Colômbia, Paraguai, Uruguai, Argentina, Alemanha, Moçambique, Rússia e Filipinas; só no nordeste do Brasil possui 20 unidades, das quais três estão no Ceará. As Fazendas da Esperança em funcionamento são auto-sustentáveis. Os jovens internados em suas comunidades se sustentam com o próprio trabalho e são responsáveis pela manutenção da unidade onde moram.
A quarta unidade da Fazenda da Esperança no Ceará será inaugurada em nossa diocese no dia 8 de dezembro, solenidade da Imaculada Conceição, padroeira do município de Mauriti-CE, em cujo território paroquial será construída ao longo deste ano. Dom Fernando, principal mentor dessa grande e solidária iniciativa, acompanhou Frei Hans e outros membros da Fazenda da Esperança, no ultimo dia 20, após a missa em Juazeiro, até o local onde serão construidas as dependências da nova Fazenda da Esperança.
A todos pedimos orações e contribuições para a concretização desta iniciativa de resgate e de vida para nossos irmãos dependentes químicos.
Pascom

sexta-feira, 25 de março de 2011

Toinho da Ponta da Serra


Antônio Correia Lima (foto acima), ou Toinho da Ponta da Serra como também é conhecido... Toinho mantém na sede daquele distrito, a duras penas, uma amplificadora que leva informação e lazer aos quatro cantos da vila. Ele também publica – todos os meses – o Jornal da Ponta da Serra. E ainda tem o Blog da Ponta da Serra, criado e mantido por Toinho, onde ele publica notícias e suas pesquisas genealógicas e históricas, colocando em prática o que aprendeu no curso de graduação de História. Todos esses veículos de comunicação têm por objetivo divulgar a Ponta da Serra: suas tradições, a atual convivência social, reivindicar melhoramentos, enfim, contribuir para o exercício da cidadania naquela comunidade. Tudo feito com idealismo e sem visar retorno financeiro. Grande Antônio Correia Lima! No seu modesto trabalho ele vai modificando – para melhor – o mundo...
Fonte: www.blogdocrato.com

quinta-feira, 24 de março de 2011

Compreender o Nordeste como elemento definidor de nossa Identidade

O autor Durval Muniz em sua obra: Nos Destinos de Fronteira: História, espaços e identidade regional, nos faz compreender como surgiu o conceito de nordestinidade, a partir do elemento “seca”, desencadeador da divisão entre “Norte” e “Sul”.
Ele trata da produção do nordeste numa visão discursiva imagética e tenta compreender o Nordeste como elemento definidor de nossa identidade.
O autor coloca ainda em sua obra como surgiu um nordeste adequado para os estudos da academia, através dos: jornais, cinema, literatura, teatro, músicas, etc.
Como se produziu este recorte espacial, seus sentidos e significados? Por que sua fundação se deu sob o signo da saudade, da tradição e que conseqüências políticas advieram deste fato? São questionamentos que Durval nos coloca de forma clara e objetiva nos levando a compreender o “ser nordestino”.
O escritor foi buscar fazer estas análises a partir das leituras de Gilberto Freyre, Manuel bandeira, Raquel de Queiroz, Câmara Cascudo, José Lins do Rego, Ariano Suassuna, Humberto Teixeira e Luiz Gonzaga.
Alma sertaneja que mesmo diante das intempéries da vida, do desemprego, do preconceito, das injustiças; não desanima e luta; no sentido de ver nossa “autonomia” respeitada. E este sentimento se faz mais forte, no momento em que nossos jovens médicos se submetem a uma banca julgadora, para concurso de residência ou um curso em São Paulo. O nordestino, especialmente o cearense, precisa estar bem preparado, para não ser humilhado por colegas sulistas.
A leitura de Durval Muniz nos fez compreender e sentir mais forte o sentimento de respeito e valorização a nossa identidade, pois só estudando e compreendendo as nossas origens é que podemos nos colocar como sujeitos críticos e construtores de nossa história.

Maria Laice Almeida Lacerda
Graduanda do Curso de História
Universidade Regional do Cariri

quarta-feira, 23 de março de 2011

Acabou de sair do forno ainda ta quentinha

Como eu queria voltar ao meu pé de serra.

Faz muito tempo que deixei meu pé de serra.
E como eu gostaria de voltar novamente a ele,
Mas eu queria muito, que nesta viagem
Eu também pudesse voltar ser criança.
Para estudar na mesma escola,
Getúlio Vargas, ao lado da igreja.
Rever minhas professoras do primeiro ano,
Até o colegial, porque sempre estudei
No mesmo colégio.
Jogar bolinha de gude no intervalo,
Brincar de pega pega.
Pescar, e tomar banho no Carius.
Pular da ponte nas suas cheias,
Das barreiras, das árvores, e pegar
Areia no fundo do rio.
Comer manga colhida no pé,
Descascar como os dentes,
Como diz Drummond, manga é fruta
Para se comer ao ar livre e se lambuzar todo.
Jogar bola nos campinhos de areia,
Correndo descalço pelas ruas e estradas de terra.
Chupa cana a noite, ouvindo vovô contar histórias,
Brincar com fogo ouvindo mamãe falar:
- Para de brincar com fogo menino,
Se tu mijar na rede apanha.
Tomar água de pote,
Carregar água na cabaça,
Montar em jumento, burro, cavalo.
Levar a cabras para pastar,
E carregar os cabritinhos no colo
Quando cansavam.
Dormir no colo de mamãe,
Ah! Como eu queria.
Pedir dinheiro a papai,
Para comprar dimdim,
Geladinho para quem não sabe.
Pegar passarinhos de arapuca,
Criar rolinhas dentro de casa,
Brincar com elas, de tão mansinha que eram.
E na mata,  colher coco catolé,
Bananinha, Mutamba, tamarina,
Ameixa, maracujá selvagem.
Deitar em baixo de um juazeiro
E dividias as frutas caídas
Com os cabritinhos,
Uma pra mim, outra para você
Até dormir.
Nas vazantes, cheias de macaúba,
Batata doce, mamão, laranja.
Sim eu queria voltar ao me pé de serra,
Voltar ser criança.
E quem sebe, eu voltasse ser feliz.
E sonhar no colo de mamãe.

Francis Gomes.


VESTIBULAR: Inscrições para Vestibular da URCA iniciam no dia 28 de março

Será aberto de 28 de março a 25 de abril, o processo de inscrições para o Vestibular da URCA 2011.2. As inscrições acontecem somente pela Internet e haverá abatimento para os interessados que fizerem inscrições de 21 a 31 de março.

Serão destinados 50% de abatimento para os alunos que concluíram todo o ensino médio em escola pública do Estado do Ceará e de 100% para doadores de sangue, com comprovação. As provas do vestibular 2011.2 acontecem nos dias 19 e 20 de junho e o resultado será publicado no dia 15 de julho.

Mais informações no site da Comissão Executiva do Vestibular  - cev.urca.br, ou pelos telefone : 3102.1230/ 3102.1276.
Comissão Executiva do Vestibular - CEV
Rua Teófilo Siqueira, 684
Centro – Crato-CE

terça-feira, 22 de março de 2011

O Encontro de Lampião com Zé Capeta

Meus queridos vejam algumas estrofes do cordel abaixo, se quiserem adquirir o mesmo e ler inteiro, basta entrar em contato pelos os telefones,e e-mail que estão no blog.
abraços a todos e se divirtam lendo cordel.

O Encontro de Lampião com Zé Capeta

Como poeta que sou
Cordelista e nordestino
Peço licença aos colegas
Que tem o mesmo destino
Mas a pedido de um amigo
Vou tentar ver se consigo
Falar sobre Virgolino
Quem não conhece a fama
Do nordeste brasileiro
Pobre terra castigada
Pela seca o ano inteiro?
Mas rica em homens valentes
De coronéis e tenentes
E do maior cangaceiro.
Do Juazeiro do Norte
De Padre Cícero Romão
E Virgolino Ferreira
O temido Lampião.
Sem por os outros pra baixo
Foi um dos homens mais macho
Que já nasceu no sertão.
Famoso rei do cangaço
Do nordeste brasileiro
Seus feitos são conhecidos
Por este Brasil inteiro,
Vou contar feitos incríveis
E algumas senas terríveis
Deste grande cangaceiro.
Mas antes de começar
Amigo preste atenção
Eu vou contar pra você
Logo em primeira mão
O motivo e o porquê
Virgolino veio a ser
Chamado de Lampião
Virgolino tinha um costume
Depois de uma batalha
Tomar um copo de pinga
Fumar um cigarro de palha,
E o tira-gosto usado
Era sangrar um soldado
E lamber sua navalha
Aconteceu que uma noite
Em certa ocasião
O cigarro do cangaceiro
Caiu e se perdeu no chão.
Ele começou atirar
Para poder encontrar
O cigarro na escuridão
Seu rifle jorrava fogo
Clareando a escuridão
Semelhante uma luz
No pavio de um lampião
Então surgiu o apelido
Do homem mais conhecido
No cangaço do sertão
Por um propósito de Deus
Ou artimanha do cão
Na fazendo vila bela
No agreste do sertão
Nasceu então um menino
Por nome de Virgolino
Que veio a ser Lampião...


Ficou curioso? são apenas três páginas, das doze que contam a história.
Francis Gomes

tchekos@ig.com.br
http://www.poetafrancisgomes.blogspot.com/

Dia Mundial da Água: consumo de água cresce desde 2004, no Ceará


Os dados de volume de água consumido de 2004 a 2010 mostram uma elevação constante do consumo de água, em Fortaleza e no Ceará, no período. De 160.823.254 metros cúbicos consumidos no Ceará, durante o ano de 2004, para 212.119.185 metros cúbicos, em 2010. Em Fortaleza, foram 101.244.474 metros cúbicos consumidos em 2004, passando para 130.712.941 metros cúbicos, em 2010. Os números levam a reflexão, no Dia Mundial da Água que coloca como tema de 2011 o desafio da gestão da água no meio urbano e a necessidade de se sensibilizar os atores sociais, para os cuidados no consumo. Em Fortaleza, por exemplo, os dados mostram o crescimento progressivo da demanda.

Em 2004, 101.244.474 metros cúbicos. Em 2005, 105.994.980 metros cúbicos. Em 2006, 109.023.367 metros cúbicos. Em 2007, 113.883.567 metros cúbicos. Em 2008, 116.958.470 metros cúbicos. Em 2009, 120.329.047 metros cúbicos. Em 2010, 130.712.941 metros cúbicos. Considerando o volume por categorias de consumo, os imóveis residenciais são os que apresentaram maior crescimento, correspondendo a 33,1% de aumento, de 2004 a 2010, no Ceará. Ainda no Ceará, houve um aumento de 29,9% na categoria comercial, 22,1% nos imóveis industriais e 26,4% nos imóveis públicos, comparando 2004 e 2010. Em Fortaleza, de 2004 a 2011, por categoria de imóvel, o aumento foi de 31,2%, na categoria residencial. Na comercial, a porcentagem foi de 27,5%. Na industrial, foi de 21,7%. Já na pública, foi de 13,4%. Os dados demandariam uma análise científica. Porém uma hipótese é que a constância no crescimento do consumo de água se deva, por um lado, ao crescimento populacional e, por outro, à melhoria nas condições financeiras das famílias, proporcionada pela melhoria na economia do País. Esta última afirmação possivelmente poderia se confirmar diante do fato da categoria residencial ser a cujo consumo mais cresceu, proporcionalmente.

Desperdício precisa ser evitado

Dos 1,4 bilhão de quilômetros cúbicos de água no planeta, apenas 0,3% poderia ser usada para consumo. A situação é agravada pelo desperdício e degradação ambiental. O primeiro passo para preservar a água é a conscientização. A água desperdiçada em torneira é dinheiro gasto sem necessidade. Veja só:

Gotejando – 1 mês – 1.380 litros      
Com abertura de 1mm – 1 mês – 62.640 litros
Com abertura de 2mm – 1 mês – 135.360 litros
Com abertura de 9mm – 1 mês – 762.000 litros

A Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece) realiza ações para conscientizar os moradores sobre a importância de economizar água. Uma dessas atividades é realizada durante implantação do sistema de abastecimento de água, quando a equipe técnica distribui material educativo para a população e explica como não desperdiçar o líquido. Outra ação tem como foco o público infantil.

A Companhia vai a escolas e creches com os personagens de teatro de boneco Pingo e Gota, e através de uma divertida história, os pequenos aprendem como consumir água com consciência. É importante ressaltar que ligações clandestinas também danificam a rede e provocam perda de água. A Cagece dispõe do telefone 0800-2750195 para informações a respeito de vazamentos.

Abaixo, algumas mudanças de hábito para reduzir o desperdício no uso doméstico.

- Ao escovar os dentes, deixe a torneira da pia fechada. Reabra apenas para enxaguar a boca e lavar a escova.

- Fechar o chuveiro enquanto passa xampu, sabonete e creme.

- Evitar banhos demorados. Um banho de 15 minutos em chuveiro consome até 144 litros de água.

- Utilizar regador para irrigar plantas. Assim é possível usar melhor a água.

- Direcionar o jato de água do regador para a base da planta, onde ela absorve mais água.

- Utilizar vassoura e balde para lavar calçada e/ou quintal.

- Lavar o carro com o balde, pois são gastos apenas 40 litros de água.

- Limpar as louças tirando todo o resto de comida. Ensaboe primeiro, e só então, enxágue tudo de uma vez.

- Não acionar a descarga sem necessidade e manter a válvula da descarga sempre regulada.

- Lavar as frutas e verduras numa vasilha com água e vinagre. Deixe a torneira fechada.

- Enquanto estiver fazendo a barba, abra a torneira da pia apenas para retirar o creme de barbear.

- Reserve uma quantidade razoável de água para esfregar e ensaboar a mesma quantidade de roupa.

- Reunir as roupas sujas para utilizar a máquina de lavar quando estiver com sua capacidade total.

- Reutilizar a água em processos diferentes. Por exemplo, é possível utilizar a água usada no tanque da lavagem de roupa para lavar portões e janelas.

- Uma piscina de tamanho médio, exposta ao sol e à ação do vento, perde aproximadamente 126 litros de água/dia por evaporação. Com a cobertura plástica a perda é reduzida cerca de 90%.

22.03.2011
Assessoria de Imprensa da Cagece
Sabrina Lemos ( sabrinamlemos@cagece.com.br Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. / 85 3101.1828 - 3101.1826)

domingo, 20 de março de 2011

Azul começa voar para Palmas e Juzeiro do Norte em junho

A Azul solicitou ontem à Anac autorização para começar voar para Palmas, capital do Tocantins, e Juazeiro do Norte, no Ceará, a partir do dia 10 de junho. Tanto para Palmas quanto para Juazeiro do Norte, a estratégia da Azul é a mesma: começar com um voo diário para Campinas em avião EMB-190 com capacidade para 106 passageiros.

Para quem viaja do Tocantins a São Paulo e vice-versa a notícia é excelente, já que finalmente haverá um voo direto entre as capitais, sem conexões em Brasília ou Goiânia. Vale lembrar que a Azul mantém um ônibus gratuito entre Campinas e vários pontos de São Paulo. Além da facilidade de evitar a cansativa troca de avião, o tempo de viagem será reduzido de cinco para duas horas.

Já Juazeiro do Norte entrou definitivamente na rota das companhias aéreas. Além da GOL e Avianca, que já operam com voos para vários destinos, a Trip e agora a Azul aguardam autorizações da Anac para operar rotas no aeroporto Orlando Bezerra de Menezes. Com isso, a expectativa é que tenhamos mais promoções e preços mais baixos nas passagens.

Veja os novos voos da Azul:

AZU-4077 Juazeiro do Norte 3:25 − 6:28 São Paulo (Campinas)
AZU-4078 São Paulo (Campinas) 23:04 − 02:05 Juazeiro do Norte

AZU-4080 São Paulo (Campinas) 11:03 − 13:20 Palmas
AZU-4083 Palmas 13:50 − 16:05 São Paulo (Campinas)

Fonte: Melhores Destinos.

DOM FERNANDO ACOLHE CATECÚMENOS NA CATEDRAL


O primeiro domingo da quaresma, dia 13 de março de 2011, foi marcado pela acolhida de cinco catecúmenos na Catedral de N. Sra. da Penha às 9 horas. A liturgia de acolhida dos adultos que receberão o batismo na Vigília Pascal (Sábado de Aleluia), foi presidida por nosso Bispo Diocesano que, à semelhança dos antigos padres da Igreja, acolheu com muita paternidade os catecúmenos; marcou-os com a Cruz de Cristo e entregou-lhes a Sagrada Escritura; em seguida apresentou-os à comunidade cristã reunida para a Eucaristia naquela manha, que orou por todos eles com preces publicas.
Como os catecúmenos são provenientes das paróquias da Região Forânea 1, que não estão inda habituadas à metodologia do Ritual da Iniciação Cristã, a Preparação Imediata, que, na Igreja, corresponde à preparação feita durante a quaresma, imediatamente antes do batismo, sofre algumas alterações. Assim, no primeiro domingo da quaresma, faz-se a instituição dos catecúmenos, quando deveria acontecer a eleição destes que receberão o batismo. A eleição acontecerá no 2º domingo da quaresma e o restante segue normalmente até o batismo.
O itinerário de formação que inclui encontros de catequese, celebrações e acompanhamento pessoal dos catecúmenos está sob os cuidados do seminarista Weslley.
Pascom

sábado, 19 de março de 2011

Declaração das Nações Unidas para o Dia Mundial da Água


Por ocasião do Dia Mundial da Água, celebrado no dia 22, o alto comissariado das Nações Unidas divulgou uma declaração na qual ressalta o direito à água e o melhoramento das condições higiênicas como um direito humano universal. O documento foi elaborado pela especialista em água e saneamento, Catarina de Albuquerque; pela especialista em extrema pobreza, Magdalena Sepúlveda; e pela relatora para a habitação, Raquel Rolnik.
No documento está escrito que “com o aumento constante do número de pessoas vivendo em centros urbanos, a falta de acesso seguro à água potável e a sistemas de saneamento básico nas cidades é um fator de preocupação permanente”. O documento evidencia que quem não tem acesso a esses elementos, são os mesmos que vivem marginalizados, excluídos e discriminados, explicando o fenômeno como resultado de decisões políticas que deslegitimam as suas existências e perpetuam o estado de pobreza.
“Por ocasião do Dia Internacional da Água desse ano, os especialistas das Nações Unidas convocam os Estados a tomarem medidas imediatas para cessar as violações dos direitos humanos e para garantir que o acesso à água potável e ao saneamento básico sejam usufruídos por todos”, destaca o documento da ONU.
Ainda segundo a ONU, “o mundo está se tornando cada vez mais urbano, já existem mais pessoas vivendo em cidades que nas zonas rurais. 40% desse crescimento é feito a partir da formação de favelas, incluídas aí aquelas já estruturadas e as de estruturação recente. Ambas são consideradas ilegais, e por isso, os Governos recusam-se a estender água encanada e saneamento básico aos seus moradores”.
Contestando tal postura, a declaração afirma que “água e saneamento básico são direitos humanos, os quais devem ser, portanto, garantidos a todos, sem discriminação. Traz ainda o dado de que as pessoas que vivem na pobreza pagam mais por sistemas básicos que os cidadãos médios. O exemplo foi o de que uma pessoa que vive em um assentamento informal em Nairóbi (África) paga de cinco a sete vezes mais por um litro de água que um norte-americano de classe média. Além disso, são obrigados a comprar água de vendedores informais, que oferecem a água de qualidade não comprovada, armazenando-as de maneira imprópria.

quarta-feira, 16 de março de 2011

Conjugando o verbo amar



Eu quero conjugar o verbo amar,
No particípio de sua vida
No presente dos seus beijos
E no infinitivo do nosso amor.
Porque assim que te conheci eu te amei.
E tu me amaste?
Desde criança eu já te amava.
Sem saber se tu me amavas
Tenha certeza  que ainda te amo.
E tu me amas?
E para sempre te amarei.
Será que tu me amarás?
Você poderia ser como fosse que eu te amaria.
E tu me amarias?
O importante é que,
Não precise pedir que eu te ame,
E nem eu que tu me ames.
Porque se eu não te amasse,
E  se tu não me amasses,
Se nós não nos amássemos,
A conjugação estaria errada.
Mas quando eu te amar,
E quando tu me amares,
Todas as vezes que nos amarmos,
Então amemos nós.
Assim eu te amando
Tu me amando,
Serei eu teu amado,
Tu minha amada,
Então o verbo amar
Estará conjugado  corretamente
Em todos os tempos,
Por eu e você.



Francis Gomes

terça-feira, 15 de março de 2011

Graves questões ambientais são destaque do 1º dia do Seminário Nacional de Mudanças Climáticas


“A causa indígena nos traz um serviço supra-evangélico de despojamento de abertura ecumênica e macro-ecumênica que nos ajuda a encontrar Jesus”. A frase, de dom Pedro Casaldáliga, bispo emérito de São Félix do Araguaia (MT) foi citada pelo secretário executivo do Conselho Indigenista Missionário (Cimi), Eden Magalhães, hoje, 14, na abertura do 2º Seminário Nacional de Mudanças Climáticas e Justiça Social, que acontece no Centro de Formação Vicente Cañas, que fica próximo a cidade de Luziânia (GO).
O evento, que segue até o próximo dia 16, têm a participação de 90 pessoas, entre agentes de pastoral, especialistas em clima, professores, movimentos da sociedade civil, ONG’s e entidades privadas, de diversos lugares do Brasil e do exterior. Eles debatem, à luz do texto-base da Campanha da Fraternidade 2011, as mudanças climáticas, o aquecimento global e as consequências da ação humana no favorecimento a esses efeitos climáticos.
Ivo_Poletto_2O evento é promovido pelo Fórum Mudanças Climáticas e Justiça Social (FMCJF), organismo ligado a Comissão Episcopal Pastoral para a Caridade, Justiça e Paz, da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB). Segundo o sociólogo e coordenador do (FMCJF), Ivo Poletto, o clima global vive uma transformação muito abrupta, mais do que os especialistas puderam prever. “Por isso a importância desse seminário nacional, para que possamos compreender melhor o que está acontecendo para que possamos ver o que está se fazendo e o principal, incluir a maior quantidade de pessoas na questão o que se pode fazer, acho que esse é o grande ponto, o despertar para uma nova consciência, social e cultural em relação ao meio ambiente e ao ecossistema em que cada um está inserido”, destacou Ivo Poletto.
Dom_Demtrio_3Para o bispo de Jales (SP) e presidente da Cáritas Brasileira, dom Demétrio Valentini, um fator importante para esse ‘despertar’, sugerido por Ivo Poletto, se da com o lançamento da Campanha da Fraternidade 2011, que trata de “Fraternidade e a Vida no Planeta”. “A CF 2011 trata de dois aspectos importantes para a preservação da vida no planeta. Mudanças Climáticas e o aquecimento global. Se conseguirmos estancar o aquecimento global, consequentemente o primeiro voltará ao seu normal. Acho que os cientistas estão ainda muito superficiais em suas análises sobre o clima, por isso destaco a ação da Igreja, em buscar uma atitude logo sobre o clima. Por isso é uma atitude louvável da Igreja em despertar o consciente nacional sobre essa problemática que atinge a todo o mundo moderno, com suas características mercadológicas e consumistas.
O bispo discursou sobre a teoria dos cientistas em relação ao surgimento do mundo, o “Big Bang”, e a evolução humana ao longo de milhares de anos, destacando as faces climáticas e suas catástrofes globais, como o fim das eras glaciais.
Malte_4Além de dom Demétrio, o representante da organização beneficente Misereor, Malte Reshösft, discursou na abertura destacando a maior atuação da entidade ao longo dos anos 2000. “De 2005 para cá sentimos um elevado crescimento de ajuda às cidades ou localidades atingidas por algum tipo de desastre natural, muito provavelmente decorrido do aquecimento global ou das mudanças do clima. Nós só aprendemos com a dor, tanto é que vimos neste examomento como vivem os japoneses, após esse terrível terremoto seguido de um tsunami. Mas vejo por um lado positivo. Pela primeira vez as nações mais poderosas do mundo estão se reunindo, de forma pacífica, para resolver um problema de escala global. E este simpósio é um dos vários encontros que devem pautar as agendas globais sobre o assunto em questão”, explicou Malte Reshösft.
A primeira mesa de debates ficou por conta do professor, sociólogo e membro da Associação Brasileira de Organizações Não Governamentais (Abong), Ivo Lesbaupin e da professora e, Marijane Lisboa. Ambos destacaram a utilização dos recursos naturais do planeta. Na pauta das discussões, entrou a geração de energia elétrica, que atualmente o Brasil utiliza a menos indicada (queima de combustíveis fósseis ou energia hidrelétrica), pois são grandes fontes de poluição, destruição da vida animal e vegetal.
Ivo_Lesbaupin_5“Não basta só haver coleta seletiva, a troca de carros à gasolina por carros movidos a eletricidade, economia de água, entre outros. É preciso algo mais profundo, é preciso mudar nosso sistema econômico e de desenvolvimento. É preciso se opor veementemente ao agronegócio, ao uso de agrotóxicos, aos transgênicos e dizer sim à reforma agrária, como propõe a Via Campesina. É preciso, urgentemente, mudar nosso sistema de energia utilizando outras formas potencialmente possíveis no país, como a eólica e a solar”, afirmou Ivo Lesbaupin.
Ainda segundo o pesquisador, na próxima geração (50 anos) será possível utilizar menos energia que atualmente, porque as casas terão sistemas para poupar energia. “Então para que tantas hidrelétricas sob o signo de que necessitamos mais e mais energia elétrica? Por que temos mais direitos que os indígenas, pescadores, ribeirinhos, quilombolas e tantos outros povos tradicionais que sequer têm acesso a ela? Queremos um sistema que gere vida, não um sistema que crie coisas descartáveis”, afirmou.
Marijane_Lisboa_6Marijane Lisboa falou da garantia dos direitos e a relação com o uso consciente dos recursos naturais. “A história da humanidade é uma história de injustiças ambientais e garantia de direitos de uns em detrimento dos direitos de muitos”.

Ato Público

O Simpósio será encerrado com a realização de um ato público, na próxima quarta-feira, 16 de março, a partir das 14 horas. Na ocasião, estarão presentes, a ministra-chefe da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário Nunes, o ministro da secretaria geral da Presidência da República, Gilberto Carvalho, um representante do Ministério do Meio Ambiente e o presidente da Comissão Episcopal Pastoral para a Caridade, Justiça e Paz, da CNBB, dom Pedro Luiz Stringhini.
O convite para que representantes do Estado participem do ato tem como objetivo trazê-los para o debate sobre a perspectiva da construção de políticas publicas sobre mudanças climáticas. Além disso, os participantes também aprovarão uma carta-compromisso, em que se estabelecerão metas a serem cumpridas e ações concretas para combater o aquecimento global em território nacional. O ato público acontecerá no Centro Cultural de Brasília (CCB), que fica na 601 Norte, módulo B.

segunda-feira, 14 de março de 2011

A todas as mulheres do mundo


O mundo sem mulheres é como um corpo sem coração,
Uma cabeça sem cérebro,
Olhos sem brilhos,
Lábios sem sorriso,
Uma floresta seca sem fauna, sem flora,
Um jardim sem flores,
Um rio sem água.
Um mar sem peixes,
Um céu sem estrelas...
Um corpo sem espírito.
Assim são as mulheres.
E ainda existe quem diga que elas são sexo frágil.
Imagina se fossem fortes! Como seriam?
Os homens precisam admitir,
Podem até dominar o mundo,
Mas as mulheres os dominam,
Porque simplesmente são mulheres,
O horizonte que todo homem busca,
Mulheres, como às compreenderem...
Quanto menos entendemos, mais amamos!
Quanto mais amamos nos enganamos
Na incerteza insana se nos querem.

Impossível é viver e não vos amar!
Quem nunca vos comparou, com a beleza das flores?
Quem vos beijou, sem que o coração transbordasse de amores?
Quem nunca falou alguma frase para vos louvar?

Mas, que poema faria eu para louvar-vos?
Passei dias, meses, anos e mais anos,
Mas está além dos conhecimentos humanos
Palavras para que eu possa comparar-vos!

Tentei comparar-vos á lua, ao sol e às estrelas,
Descrevê-las em versos, rimas e poesias,
Nas músicas, canções e melodias,
E percebi: é impossível descrevê-las.

É uma mistura de suplementos indescritíveis!
Tens a beleza da flor com o cheiro do pecado,
Mistérios que deixam um homem enfeitiçado
Encantos totalmente irresistíveis.

Que seria do mundo sem vocês?
São diamantes lapidados divinamente
Pelas mãos do próprio Onipotente,
Na imensa sabedoria que vos fez.

Neste momento, em que meu poema se encerra,
Sem adjetivos para vos qualificar,
A única coisa que eu posso afirmar
São os seres, mais cobiçados da terra.


Francis Gomes

domingo, 13 de março de 2011

Paulistanos mudam rotina para evitar atrasos e prejuízos com enchentes

Reportagem do Bom dia Brasil, da Rede Globo, entrevista o médico Dr. Marco Aurélio em São Paulo.

Veja o vídeo da reportagem clicando aqui.

Quem mora em São Paulo sai de casa com a certeza de que vai chover. A dúvida é saber quando vai conseguir chegar ao destino.

O paciente com hora marcada não aparece. O empregado falta ao trabalho. A loja fica vazia o dia todo. É o prejuízo que São Paulo enfrenta por causa da chuva. Alguns bairros da cidade ainda estão isolados. É só chover mais forte que essas áreas ficam, literalmente debaixo, d’água.

Isso acontece com uma frequência tão assustadora que os moradores começam a criar estratégias próprias para diminuir os prejuízos. Eles instalam bombas de água, comportas e sirenes e até adaptam móveis para que eles fiquem sempre elevados. Mas o medo de ter a casa invadida pela água nunca vai embora.

Nesta época, quem mora em São Paulo sai de casa com uma dúvida e uma certeza. A certeza é que vai chover. A dúvida é saber quando vai conseguir chegar ao destino. “Atrapalha. Demorei quatro horas para chegar em casa”, conta um jovem.

“A gente já perdeu compromisso, porque não consegue chegar por causa da chuva e do trânsito. Tudo é um caos, você não consegue táxi, porque está tudo engarrafado. É bem comblicado”, reclama a produtora Taís Pereira.

O médico Marco Aurélio Lacerda diz que alguns pacientes desistem da consulta, outros acabam se atrasando – ele também. “Estou bastante atrasado no trabalho, duas horas. Os pacientes reclamam bastante”, comenta o médico.

No comércio, quando a tempestade chega, a freguesia vai embora. “Recebo uns 20 clientes em dias de sol. Em dias de chuva, recebo metade. É prejuízo”, calcula o sapateiro Ronaldo Castro.

Sempre que chove forte no bairro Campo Limpo, Zona Sul de São Paulo, ruas ficam alagadas. Por isso, os moradores fizeram adaptações nas casas. Em uma delas, por exemplo, logo na entrada tem um portão de ferro para impedir o avanço da água.

Dentro da casa, os moradores fizeram outras alterações. Num dos quartos, por exemplo, o guarda-roupa nunca fica no chão, e sim em um local elevado. No quarto ao lado, os moradores instalaram canos nas paredes para que as camas e os colchões fiquem sempre suspensos em dias de chuva.

A dona de casa diz que na maioria das enchentes a porta de ferro impediu que a casa ficasse alagada. “Resolveu em 90% das vezes”, garante.

Apesar dos cuidados, qualquer previsão de chuva tira o sono dos moradores do bairro. “Ficamos a madrugada inteira esperando que não vá encher a rua para poder dormir sossegado. Não fecha os olhos. Tem de esperar acabar a chuva para poder deitar e dormir tranquilo”, conta a cabeleireira Cibele Alce.

Lavouras de milho e feijão estão se desenvolvendo bem no sul do Ceará

O reportagem do Globo Rural, realizada pelo jornalista Franzé Souza, mostra a cidade de Farias Brito.

Veja o vídeo da reportagem no site da Globo.com clicando aqui.

Agricultores que plantaram no início de dezembro começaram a colheita.
A maioria dos 28 mil trabalhadores do Cariri pertence à agricultura familiar.

As lavouras de milho e feijão estão se desenvolvendo bem no sul do Ceará. Quem plantou no início de dezembro já começou a colher.

As chuvas de janeiro e fevereiro mudaram a paisagem no sertão do Ceará. Na área de oito hectares em Farias Brito, no sul do estado, o agricultor José Alcântara plantou milho na primeira quinzena de dezembro e já está colhendo as espigas.

Este ano, os produtores esperam colher quase 3,5 mil quilos de milho por hectare, com um crescimento de 80% em relação à safra passada, que ficou quase toda comprometida pela seca.

O agricultor José Luis da Silva está contente porque já começou a colher a roça de feijão de corda. O milho também promete uma boa produção. “Esse ano a situação está bem diferente”, comparou.

A maior parte dos 28 mil trabalhadores rurais do Cariri pertence à agricultura familiar. Eles produzem apenas para o próprio consumo. Mas este ano muitos devem se preparar para vender o excedente da produção.

“O estado está trabalhando, no primeiro momento, com uma superssafra recorde acima de 1,3 milhão de toneladas de grão envolvendo arroz, milho e feijão”, explicou Adonias Sobreira, agrônomo da Ematerce.

O milho na região do Cariri responde por 35% do cereal produzido no Ceará.

 

sexta-feira, 11 de março de 2011

Governo do Estado entrega primeira etapa da Rodovia Padre Cícero


O governador Cid Gomes entrega nesta sexta-feira (11) a primeira etapa das obras de restauração e pavimentação da rodovia Padre Cícero, encurtará os trajetos atualmente existentes entre a Capital e o município de Juazeiro do Norte, na região do Cariri. A solenidade de entrega dos 50 quilômetros de pavimentação da CE-153 acontece às 19 horas, em Banabuiú, com a presença do Governador; do secretário da infraestrutura do Estado, Adail Fontenele; do superintendente da Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Quintino Vieira, além de lideranças da região.

Com 50 km de extensão, a obra compõe uma das etapas a serem asfaltadas da Rodovia Padre Cícero, que liga Fortaleza a Juazeiro do Norte, via Quixadá, Banabuiú, Solonópole, Orós, Cedro, Lavras da Mangabeira e Caririaçu, perfazendo um total de 500,08 km. Os traçados já existentes do trecho Fortaleza-Juazeiro são mais extensos, sendo 552 km, via Russas, Jaguaribe, Icó, Milagres e Barbalha e 526 km, via Quixadá, Mombaça, Iguatu e Farias Brito.

O trecho da CE-153, que liga Banabuiú a Solonópole, recebeu investimentos de R$ 26 milhões do Governo mediante o Programa Rodoviário Ceará III, celebrado em parceria com o Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). Os trabalhos foram executados pela Construtora Terrabrás e fiscalizados pelo DER, órgão vinculado à Secretaria da Infraestrutura do Ceará (Seinfra). O reflexo das obras será sentido no melhor deslocamento de pessoas e mercadorias, com benefícios diretos para os municípios de Banabuiú, Solonópole e Jaguaribe.

Rodovia Padre Cícero

A Rodovia Padre Cícero compreende a pavimentação dos trechos Caririaçu-entroncamento com a rodovia BR-230 (Rodovia Transamazônica), de 49,90 km de extensão, cujos trabalhos estão em execução; a restauração do entrocamento da CE-282/Lima Campos-Orós, com 19,70 km, também em execução; o trecho Solonólope-Nova Floresta-Orós, de 68 km, em fase de conclusão; e o trecho Banabuiú-Solonópole, de 50 km de extensão, já concluído e que será entregue nesta sexta-feira. O investimento nestes trechos chega a R$ 94,6 milhões.

Os trechos recebem os serviços técnicos de terraplenagem, pavimentação, drenagem, sinalização, bueiros, pontes e proteção ambiental. Todas as estradas estão recebendo pavimentação do tipo Tratamento superficial Duplo (TSD).

A previsão de entrega das quatro etapas das obras de pavimentação e restauração de 187 quilômetros da via deverá acontecer antes dos festejos em homenagem a Padre Cícero, que atingem o ápice em novembro. Quando concluída a rodovia passará por 18 municípios, como Pacatuba, Banabuiú, Solonópole, Jaguaribe, Orós, Cedro, indo até Juazeiro do Norte, reforçando a infraestrutura voltada ao turismo religioso da região, como a romaria de Padre Cícero, de Nossa Senhora das Candeias, ambas em Juazeiro do Norte; e a festa de São Pedro, em Caririaçu.

O TRAJETO DA RODOVIA PADRE CÍCERO

- A Rodovia Padre Cícero foi concebida por meio do somatório de trechos da CE-060, da CE-368, da construção de 50 km da CE 153, e da CE- 385.
- Saindo de Fortaleza segue-se pela Avenida Godofredo Maciel, pelo bairro do Mondubim, indo até a rodovia CE-060, pelo município de Maracanaú, ainda na Região Metropolitana de Fortaleza;

- De Maracanaú, segue-se pela rodovia CE-060 passando por Pacatuba, Guaiúba, Acarape, Redenção, Aracoiaba, Capistrano, Itapiúna, chegando ao município de Quixadá ;

- De Quixadá, o percurso é pela CE- 368 com destino ao município de Banabuiú;

- A partir dali, na rodovia  CE-153, passa-se pelo distrito  de Cangati antes de chegar em Solonópole, distante 378 km de Fortaleza;

- De Solonópole, o motorista continua pela CE-153,  percorrendo os distritos de Nova Floresta e Amêndoa no município de Jaguaribe, até Orós,  passando por Lima Campos em (Icó);

- Ainda na CE-153, chega-se ao município de Cedro e atinge-se a localidade de Mangabeiras, em Lavras da Mangabeira.

- De Quitaiús segue-se pela rodovia CE-385 até Caririaçu. Dali, pela CE-060, são cerca de 22 km até Juazeiro do Norte.
Municípios beneficiados: Maracanaú, Pacatuba, Guaiúba, Acarape, Aracoiaba, Capistrano,  Itapiúna, Quixadá, Jaguaretama, Banabuiú, Solonópole, Juaguaribe, Orós, Icó, Cedro, Lavras da Magabeira, Caririaçu e Juazeiro do Norte.

10.03.2011
Assessoria de Imprensa da Seinfra
Marcos Cavalcante / Luiz Guedes ( marcos.cavalcante@seinfra.ce.gov.br Este endereço de e-mail está protegido contra spambots. Você deve habilitar o JavaScript para visualizá-lo. / 85 3216.3764)

quarta-feira, 9 de março de 2011

As conseqüências do tempo



Quando eu era criança bem criança
O progresso quase nem tinha,
E eu corria descalço por estradas de terra,
Tomava banho de rio,
Contava carneirinho,
E observava as estrelas.
O tempo passou começou chegar o progresso.
Eu continuei tomando banho de rio,
Correndo descalço  por ruas estreitas de paralelepípedo.
O tempo passou mais, e mais rápido,
Inventaram o chuveiro,
E não deixaram mais eu tombar banho de rio,
Não pude correr mais descalço,
O asfalto quente queimava meu  pé.
O tempo  continuou passando cada vez mais rápido,
O progresso avançou, e eu regredir,
Não corro mais, não tomo mais banho de rio,
Não conto mais carneirinhos, nem observo as estrelas.
As pernas  não deixam a visão ta turva, os braços sem força,
E se eu me lembro bem, nem sei mais contar.


Francis Gomes

Quarta de Cinzas é dia de reflexões

Para alguns, a Quarta-Feira de Cinzas é apenas um feriado que anuncia o fim do Carnaval. No entanto, para os fieis da Igreja Católica a data representa o começo da Quaresma, uma caminhada espiritual de quarenta dias até a chegada da Páscoa.

"É um momento de preparação para a Páscoa, é a conversão das nossas mentes e corações", afirma o padre Francisco Ivan de Souza, pároco da Igreja Nossa Senhora de Fátima e coordenador de Pastorais da Arquidiocese de Fortaleza.

De acordo com ele, na Quaresma, as pessoas são convidadas a refletir sobre seus hábitos e a buscar uma transformação de vida, que começa na igreja, com o recebimento das cinzas, um simples ato que simboliza a purificação dos pecados. "Ao receber as cinzas, o cristão está renovando a opção batismal e afirmando querer ressuscitar com Cristo. É morrer para o pecado e nascer para Deus", explica o pároco.

Por outro lado, o padre diz que a reflexão sem ação não é suficiente para que as mudanças ocorram. Para ele, é necessário que, durante os próximos quarenta dias, todos procurem ajudar mais ao próximo. "Como diz a Bíblia, a fé sem obras é morta. Temos que lutar por uma sociedade mais justa através da partilha", comenta.

CF -2011
Com o tema "Fraternidade e a Vida no Planeta", e lema "A criação geme em dores de parto", a Campanha da Fraternidade deste ano vai abordar diversos problemas ambientais, como o desmatamento e a poluição, fatores que contribuem para o aquecimento global, assunto discutido em todo o mundo.

O tema, escolhido pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, tem o objetivo de fazer com que a sociedade se una em defesa da vida. Conforme o padre Ivan Souza, a abertura oficial da Campanha, em todo o Brasil, acontece hoje.

Em Fortaleza, o lançamento será realizado amanhã pelo arcebispo Dom José Antonio Tosi, às 9h, no Centro de Pastoral Maria, Mãe da Igreja.
www.diariodonrdeste.com.br

terça-feira, 8 de março de 2011

Uma simples homenagem a todas

 

Mulheres



Razão maior da nossa existência.
Batalhadoras, vencedoras, heroínas!
São capazes de fazer um homem sorrir e chorar,
Pular de alegria, cair de tristeza,
Ser muito feliz, e também triste,
Elevá-lo as alturas, até mesmo a glória,
E também perder tudo que tem.
Por elas os homens matam e morrem,
Vestem-se bem, (se as têm) e andam deselegantes, (se as perdem).
Bebem para esquecê-las,
E tentam fingir que elas nem existem,
Ainda que elas estejam presentes dentro deles todo momento.
Na verdade as mulheres são simplesmente tudo.
O mundo sem mulheres é como um corpo sem coração,
Uma cabeça sem cérebro,
Olhos sem brilho,
Lábios sem sorriso,
Uma floresta seca sem fauna, sem flora,
Um jardim sem flores,
Um rio sem água.
Um mar sem peixes,
Um céu sem estrelas...
Um corpo sem espírito.
Assim são as mulheres.
E ainda existe quem diga que elas são sexo frágil.
Imagina se fossem fortes! Como seriam?
Os homens precisam admitir,
Podem até dominar o mundo,
Mas as mulheres os dominam,
Porque simplesmente são mulheres,
O horizonte que todo homem busca,
O porto que todo homem precisa para ancorar,
Simplesmente a razão da existência humana.

Francis Gom
Meus queridos, como eu havia comentado, que estaria sempre falando do meu livro, ECOS DO SILÊNCIO, que será lançado dia 09 de Abril, no Centro Cultural Francisco Carlos Moriconi, 682 Centro de Suzano. como já postei a capa, agora estou postando a capa,mas uma parte da orelha onde fala um pouco de minha história literária.
Este, podem ter certeza, é um bolo preciso, com recheios de poemas e poesia que  provavelmente, mexerá com vossas emoções, em todas as fases da vida.
Tenho a honra de vos apresentar a capa do meu Livro:












É por ser mais poeta que gente que sou louco.
(Fernando Pessoa)

Se eu morrer novo sem poder publicar livro nehum,
sem ver a cara deste meus versos impressos,
não fiquem tristes.
se assim acontecesse, assim teria que ser.
mesmo que os meus versos nunca fossem impressos,
eles teriam sim alguma beleza se fossem belos.
mas eles não podem serem belos e ficarem sem imprimir.
mas se eu morrer muito novo. Não chorem, não terei morrido antes
nem depois certamente será o exato tempo determinado.
e acreditem nunca fui se não uma eterna criança
a brinca com as palavras, sendo gentio com o sol,
e enamorado pela lua.
sem querer ir mais longe do que sou capaz,
mas sem desistir dos meus sonhos.
sinto um alegria enorme
por que meus versos ão de serem publicados
antes de eu morrer.
mas se eu soubesse que amnhã morreia,
morreia contente,
portando eu pederia que não chorassem em volta do meu caixão
se quiserem dancem, cantem, celebrem a vida.
e se quiserem escrever minha biografia,
tem apena duas datas,
o dia do meu nascimento e da minha morte.
e saibam que vim como um danado ao mundo,
apesar de sentir-me humano dos pés a cabeça,
sei que é por ser mais poeta que gente que sou louco.


Adaptações de textos do poeta Fernado Pessoa


Francis Gomes