sábado, 7 de maio de 2011

Em homenagem a minha mãe e todas as mães do mundo, estes poemas deste poeta. Minha  progenitora, minha heroína, uma rosa nascida nas brechas das rochas na sequidão do nordeste,  resistente como o mandacaru e a macambira. E dela, jorra amor do seu coração como a rocha jorrou água no deserto quando foi ferida por Moisés. A ela meu amor, minha vida.


                                


                                                  
                                Mãe


Se eu soubesse fazer um poema;
Que falasse do amor;
Do brilho do sol e o seu resplendor,
Das aves que voam na imensidão do espaço
Das flores e seu agradável odor,
Das obras perfeitas do Deus Altíssimo
Em tudo que Ele criou!
De Jesus Cristo seu Filho,
O quanto ele nos amou!
Há! Se eu soubesse fazer um poema
Contando tudo que meu coração pensou,
Do principio ao fim
Descrevendo o amor;
Há! Se eu soubesse fazer tal poema!
Que pena! Poeta não sou;
Mas se eu soubesse fazer tal poema,
Que descrevesse o amor;
Eu descreveria: “você minha mãe”
A razão maior de eu ser o que sou
A você “minha mãe”,
Que no seu ventre me gerou
Descrevo estes pequenos versos
Ainda que poeta não sou
Mas se falei de minha mãe
Certamente descrevi o amor
Na eficácia de sua glória,
No auge do seu resplendor.
                                                          
                                                               Francis Gomes


 

Mãe meu tudo



Neste momento,
Elevo meus pensamentos...
E busco sabedoria
Para descrever em versos
Minha mãe,
Minha maior alegria,
Meu motivo de sonhar,
De viver, de lutar e vencer,
A razão da minha vida,
Sem ela não sou ninguém,
A vida perde a magia!
Sem ela eu nem existia
Por ela eu faço tudo,
Choro, canto e pulo,
Por ela eu dou minha vida.

É o meu maior tesouro,
Nada é tão valioso,
Seu preço não tem valor,
É a obra mais perfeita,
Entre o céu, a terra,
O mar e toda natureza,
Em tudo que Deus criou,
Das estrelas, a que mais brilha,
E como brilha, brilha muito!
Do sol ela é  o resplendor,
É a essência da vida, sim ela é,
Uma nascente e fonte de amor,


E a mulher mais guerreira,
Lutadora, vencedora ela é perfeita,
Entre todas, que outra mulher gerou.

Minha mãe,
A mulher que me trouxe ao mundo,
Que me deu a vida e me ensinou a viver,
A mulher que  nas noites tenebrosas,
Quando eu chorava de frio,
Ela me enrolava,
Pegava-me em seus braços
Para meu corpo aquecer,
E quando eu estava doente
Sem saber falar o que tinha,
Ela chorava, chorava,
Com medo de me perder,
Oh, minha mãe,
Como eu gostaria de ser um poeta
Sim gostaria,
Para fazer um poema perfeito,
E dedicar a você;
Pena que não sou,
Mas nestes rabiscos que eu escrevo,
Quero gritar com muita alegria ao mundo inteiro,
Que eu, seu filho,
O seu filho ama você.





Francis Gomes


Postar um comentário