segunda-feira, 27 de junho de 2011

Juazeiro do Norte é polo de desenvolvimento regional



Juazeiro do Norte O crescimento desta cidade tem sido o principal foco dos novos investidores. A "meca" dos nordestinos jamais experimentou em sua história, nos quase 100 anos de existência, tanta especulação imobiliária. O comércio emprega como nunca. Os setores de serviços dão uma nova cara a cidade. A construção civil avança, sendo colocada como reflexo e propulsora desse novo horizonte. A cidade se tornou referência em desenvolvimento e com características peculiares. A religiosidade e o trabalho são marcas contínuas, apregoadas pelo Padre Cícero, o grande mentor desse processo.

A localização geográfica é um dos motivos do Município ter se tornado polo de atração de novos investimentos. Juazeiro do Norte é uma metrópole de médio porte, com quase 250 mil habitantes. As romarias se instalam nas ruas. Todos os dias. E não são apenas de romeiros, mas de consumidores da macrorregião, que movimentam a cidade.

Para o presidente do Sindicato dos Lojistas do Comércio (Sindilojas), Francisco Alberto Bezerra, essa nova realidade vem acompanhada de um importante requisito para consolidar esse processo, que é o polo educacional, com universidades públicas e particulares. São mais de cinquenta cursos, inclusive voltados para o aperfeiçoamento de profissionais do comércio.

Hoje, as grandes redes atacadistas e do varejo no Brasil se instalam na cidade compondo o processo desenvolvimentista. Juazeiro, para o professor Micaelson Lacerda, do Departamento de Economia da Universidade Regional do Cariri (Urca), vivencia um momento de intenso crescimento econômico. Segundo ele, isso ocorre acima da média do Estado. Entre 2004 e 2008 tornou-se a terceira economia mais importante do Ceará, ultrapassando os Municípios de Caucaia e Sobral que estão mais próximas da Capital.

Entre os setores mais significativos, os serviços constituem-se em importante setor que impulsiona a atividade econômica. "É o Município do Ceará que possui maior participação do setor de serviços em sua economia, em torno de 80%", ressalta Micaelson. Ele cita também a consolidação de polo universitário, os serviços de saúde, com a criação do Hospital Regional do Cariri, e o comércio em geral, atacado e varejo. É também o setor que mais gera empregos diretos.

Grandes redes

Já não se fala mais de um comércio pequeno, mas de grandes redes que se instalam. Esse exemplo vem sendo seguido por grandes nomes. Depois do Atacadão, da rede francesa Carrefour, agora é a vez do Hiperbompreço, do Grupo Walmart, que também trará outro empreendimento do varejo, o Maxx. As Lojas Americanas vieram na dianteira desse processo. Depois da inauguração da primeira unidade da rede no Cariri Shopping, passou a ser "case" nacional, pelo potencial de vendas. Em seguida, instalou mais duas lojas, uma em Crato e outra no Centro de Juazeiro.

Já o Atacadão atrai um público consumidor de várias cidades do Brasil. Segundo o diretor do Sindilojas do Crato, Duda Alencar, é uma das primeiras em destaque de vendas da rede, com mais de 50 lojas. O Hiperbompreço chega acompanhado de uma rede de pequenas lojas. O espaço em que se instala, Cariri Open Mall, ofertará serviços aos clientes da região. A inauguração acontece antes do centenário da cidade. Sem falar em novos investimentos em redes bem mais amplas, que envolvem desde a duplicação do Cariri Shopping, até a construção de novos centros de compras.

O presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), de Juazeiro do Norte, Michel Araújo, a âncora desse processo veio de uma idealização do Padre Cícero. Hoje, segundo ele, esse espaço vem sendo disputado por investidores de grandes redes, com preços de áreas que se equiparam a espaços privilegiados da Capital. Para ele, esse é um crescimento irreversível.

O maior número de vagas ofertadas atualmente pelo Sine/IDT é de vendedor varejista e atacadista. O que mostra que com todo o processo de desenvolvimento das indústrias, este setor tem uma prevalência fundamental dentro da dinâmica da economia local.

Para o professor Micaelson, que estuda o processo econômico regional, Juazeiro do Norte funciona como polo de desenvolvimento para os Municípios do Sul do Estado do Ceará e regiões circunvizinhas, acompanhado por Crato e Barbalha. Ele explica que "é um polo atrator e irradiador de investimentos no sul do Ceará. Por essa característica foi um dos Municípios que mais absorveu investimentos dentro da política de atração de empresas do governo estadual fora da Região Metropolitana de Fortaleza, contribuindo para desconcentração econômica em relação à Capital do Estado", avalia.

Os reflexos do crescimento econômico de Juazeiro sobre os demais Municípios da Região Metropolitana do Cariri (RMC), conforme Micaelson, dependerão de planejamento, que envolve a condição do governo estadual em efetivar o Conselho de Desenvolvimento e Integração e o Fundo de Desenvolvimento e Integração da RMC. "Somente nessa perspectiva é que o governo estadual pode esperar pelo resultado desejado, de tornar esse espaço uma alternativa regional, capaz de compartilhar com Fortaleza a atração de população, equipamentos, serviços e investimentos públicos e privados", diz. Mas vem o alerta: caso contrário, podemos esperar por um crescimento bastante concentrado de Juazeiro em relação aos outros Municípios da região. Mas todo esse processo vem exigindo do mercado o que não é muito diferente das capitais: qualificação.

Segundo a gerente do Sine/IDT de Juazeiro do Norte, Conceição Araújo, para algumas vagas destinadas não há sequer cursos ainda na região, como o de Engenheiro do Trabalho. Para outros, falta mesmo profissional preparado e com disponibilidade para as vagas existentes. Em todo esse processo, Micaelson diz que o Padre Cícero é, sem dúvida, o responsável pela forma e conteúdo que caracterizam e singularizam Juazeiro. "Mais do que a qualquer poder público, municipal ou estadual, devemos a esse sacerdote o desenvolvimento e a visibilidade que a cidade conseguiu adquirir ao longo do tempo", destaca.

Os serviços constituem-se em importante setor que impulsiona a atividade econômica do Município. De forma específica, os setores de calçados, borracha e plástico, de máquinas de costura, de folheados, constituem-se também em setores que impulsionam a economia local. Sem esquecer a importância do turismo (religioso, ecológico e científico), com o Geopark Araripe.

Fique por Dentro
Edições especiais

Em homenagem ao centenário de Juazeiro do Norte, o Caderno Regional publica as edições especiais "Juazeiro do Norte - 100 anos", contemplando aspectos históricos, políticos e do cotidiano que tornaram a cidade um dos maiores centros de romaria do País. No caderno de estreia, em 27 de fevereiro, as reportagens abordaram o "milagre", envolvendo o Padre Cícero e a beata Maria de Araújo, e seus desdobramentos. O segundo, Romeiros do Padre Cícero, de 20 de março, conta a relação dos romeiros com o "Padim" em cidades do Pernambuco e da Paraíba. Em 24 de abril, foi publicado o terceiro caderno relatando as várias pesquisas sobre a cidade e seu fundador, Padre Cícero Romão Batista. A edição fez um apanhado sobre o que já foi dito, escrito e filmado sobre o santo do Nordeste e sua cidade. Já, em 29 de maio, iniciamos a apresentar a cidade de Juazeiro do Norte como polo desenvolvimentista da região do Cariri. O estabelecimento do comércio e da indústria; a era do Ouro; e, mais recente, a chegada de grandes redes.

MAIS INFORMAÇÕES
Departamento de Economia da Urca - Rua Cel. Antônio Luis, 1161 Bairro: Pimenta - Crato (CE)
Telefone: (88) 3101.1212; Ramal 2787

Elizângela Santos
Repórter

Fonte: Diário do Nordeste
Postar um comentário