sexta-feira, 1 de julho de 2011

Banda Larga chega em 90 dias para consumidores emergentes por R$ 35


As empresas de telefonia começarão a ofertar, a partir de outubro, um serviço de acesso rápido à INTERNET para os consumidores brasileiros. O compromisso para efetivar o Plano Nacional de Banda Larga (PNBL), uma das promessas de campanha da presidente Dilma Rousseff, foi assinado ontem e anunciado pelo ministro das Comunicações, Paulo Bernardo. O serviço custará R$ 35 por mês e dará ao cliente uma velocidade de conexão de um megabit por segundo (Mbps), o que é considerado um patamar mínimo para classificar a oferta como banda larga. O valor da mensalidade vale tanto para o serviço ofertado por meio da rede fixa, quanto móvel. No acordo acertado entre o governo e as empresas Oi, Telefônica, Claro, Vivo, Tim, Sercomtel e CTBC, ficou garantido que os clientes que quiserem pagar pela banda larga popular não serão obrigados a contratar outros serviços, como uma linha de telefone fixo. A expectativa do ministro é que as concessionárias comecem a oferecer o acesso rápido à internet em 90 dias. Haverá, entretanto, um limite para baixar arquivos (download). Essa trava vai variar de acordo com a proposta de cada empresa. No caso da Telefônica, por exemplo, o limite será de 300 Mpbs na Banda Larga fixa e de 150 Mbps na móvel. Isso significa que o cliente poderá ter dificuldades para baixar arquivos muito pesados, como filmes.Os parâmetros de qualidade que deverão ser observados pelas operadoras serão definidos pela Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).

Postar um comentário