segunda-feira, 30 de janeiro de 2012

Feijão Verde da Pré-Estação

                                 No ano de 2011 o Município de Altaneira, Sul do Ceará, foi bastante beneficiado com as chuvas da Pré-Estação, ou chuvas do Caju, que salvou a pecuária com Pastagem Verde nos meses de Outubro, Novembro e Dezembro. Neste período o Pluviômetro da FUNCEME registrou um total de 230 mm na séde do município.


                               O agricultor Antônio Leão da Silva (SITÔNIO), 57 anos, nascido no sítio Umburana, município de Farias Brito, teve que ir vencer na vida em São Paulo no entanto foi acidentado no trabalho de construção civil e teve que voltar ao Ceará. Foi morar na Serra do Valério, distante 6 Km da sede,  e, acreditando no clima, plantou Feijão de Novembro e está colhendo agora com a sua esposa.

Enquanto a mioria dos agricultores nem seguer plantaram o Feijão Sitônio mesmo na cadeira de roda já está colhendo.

quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

Baú de memórias, do nosso Quixará.

Relatos da desavença de Higino José Pereira com Manoel de Brito - quem manda no pedaço



Higino José Pereira era filho do casal, Camilo Pereira e Maria Pereira, nasceu em 1853, no sítio Vacaria, pertencente nessa época a freguesia de São Mateus dos Inhamuns. Casou-se na igreja de Nossa Senhora do Carmo da vila de São Mateus em 1873, com Maria Teresa de Jesus. Dessa união abençoada por Deus, nasceram treze filhos, cinco homens e oito mulheres: Antonio Higino Pereira, Camilo Higino Pereira, José Higino Pereira, Manoel Higino Pereira, Pedro Higino Pereira, Joana Josefa Lima, Simiana Maria de Oliveira, Tereza Higino Pereira, Delfina Higino Pereira, Donara Higino Pereira, Felismina Higino Pereira, Cândida Higino Pereira, Aninha Higino Lima.

Higino Pereira herdou da parte de seu pai Camilo Pereira, o sitio Vacaria com apenas 320 braças (704 m) de frente e uma légua de fundos, cujos limites no sentido leste-oeste se estendiam do Pau d Arco ao riacho Fortuna, e no sentido transversal da Cacimba do Gado ao Recanto.

Como a terra não dava para sustentar essa numerosa família, a maior parte dos filhos de Higino Pereira, teve que migrar da sua querida terra natal para outros lugares, até fora da província do Ceará. Camilo Higino tomou rumo ignorado por algum tempo, mais ou menos na década de 1930, mandou notícias dizendo que tinha assentado praça como cozinheiro da Marinha de Guerra do Brasil, no Rio de Janeiro e relatou por carta as suas façanhas com os militares revoltosos, na deposição do presidente do Brasil, Washington Luís.

Manoel Higino foi morar em São Vicente, perto de Várzea-Alegre, sendo posteriormente acompanhado pela sua irmã Felismina Higino. Pedro Higino se dedicou ao comércio, também, animava todas as festas religiosas de São Mateus ao Quixará, com o seu famoso carrossel da Vacaria. Simiana Maria de Oliveira se apaixonou por Manuel Mandu das Cajazeiras, por esse motivo muito desagradou o senhor Higino, sem acordo entre as famílias, fugiu com o seu amado nas caladas da noite, indo morar no sítio São João no antigo Quixará.

Higino Pereira era agricultor, plantava as culturas de subsistência, milho, feijão e algodão nas quebradas e chapadas, arroz, mandioca, batata-doce e fumo nas vazantes do riacho Fortuna e nas baixadas dos pequenos córregos. Tinha um bom rebanho leiteiro e uma pequena tropa de burros, mas a criação de cabras naquelas paragens era ‘mata’.

Naquela época quase todos moradores da região, criavam muito bode solto, tanto na caatinga quanto nos tabuleiros do Cariutaba. Ao por do sol os pátios e currais das fazendas ficavam apinhadas de bodes.

Certo dia um caixeiro-viajante vindo das bandas de São Vicente das Lavras da Mangabeira, pernoitou numa dessas fazendas que tinha muita cabra, lá nas Cajazeiras dos Martins. No dia seguinte passando pelo casarão do senhor Higino, contou que apesar do sono, não lhe pregaram os olhos, durante toda aquela longa noite, devido o balido ensurdecedor das cabras e bodes.

Enquanto o vendedor mostrava a sua mercadoria no alpendre da casa do senhor Higino, disse em tom bem-humorado:

- Agora só vou vender tecido a quem não tiver bode! Passei quase toda a noite as claras, sem dar nem um cochilo, o bodejado era medonho!

Uma pessoa que estava ao seu lado, aproveitando a conversa, disse-lhe em tom de brincadeira:

- Então, meu amigo, pode me vender fiado que eu não tenho bode!

O vendedor retrucou, imediatamente:

- Também, não vendo a quem não tem bode!

Naquela época bode era ‘mata’ nas fazendas da região, o animal, também, podia ser utilizado como moeda de troca, para aquisição de bebidas, tabaco e quinquilharias de uso doméstico.

Como era difícil naquela época encontrar uma loja de tecidos! Era um verdadeiro luxo comprar tecido e isso só era feito raras vezes, de ano em ano, quando as safras eram abundantes nas regiões. A maioria das roupas, inclusive a ceroula, era feita em um tear usando o fio de algodão torcido na roca.

Algumas vezes Higino Pereira ia fazer compras em Icó, uma das cidades mais importantes do interior da província do Ceará, naquela época, ponto de encontro dos vaqueiros que vinham do Sertão do Cariri, da Paraíba e dos Inhamuns. Daí se estendia em direção ao litoral, a Estrada Geral do Jaguaribe por onde transitavam as boiadas dos sertões cearenses e a carne salgada, com destino aos centros de armazenamento e distribuição da cidade portuária de Aracati.

Nessas viagens a cidade de Icó, Higino Pereira levava costumeiramente os seus dois filhos mais velhos, Pedro Higino e Manoel Higino. Naquela época a maioria dos fazendeiros comprava fiado, com prazo de pagamento de um ano, geralmente após a colheita da safra do algodão, do tabaco ou da venda do jabá. Caso o comprador precisasse garantir o negócio era só puxar um fio do bigode e afixá-lo nas anotações feitas pelo credor.

Higino José Pereira era um homem pacífico e trabalhador, mas não tolerava desaforos. Porém, um dia ele encontrou o que não queria, ou seja, certo sujeito chamado Manoel de Brito, cabra desaforado que dava surra em gente e gostava de arruaças.

Esse encontro fortuito aconteceu depois de uma missa na capela de Santo Antônio em Cariutaba, dia 11 de junho de 1873. O desafeto e insolente Manoel de Brito se aproximou sorrateiramente, segurou nas rédeas do cavalo de seu Higino e disse em tom intimidador:

- Você sabia que quem manda aqui, sou eu? Se prepare que qualquer dia desses, você vai levar uma surra!

Naquele momento, o sangue lhe fervilhou dos pés a cabaça, mas ele não queria enfrentá-lo de mãos abanando, especialmente depois de ter feito a primeira confissão do ano, antes da sagrada missa.

Voltou para a Chapada, transtornado e com um nó bem grande atravessado na garganta, ao chegar a sua casa, fugiu-lhe o apetite. Naquele mesmo dia, planejou de forma irascível a vingança. Para efetuar os seus intentos, guardou silencio, nem mesmo sua esposa Joana Josefa ficou sabendo.

No dia seguinte, ainda antes da barra clarear, encilhou o seu cavalo braiador, tomou o rumo das Charnecas, à procura de um valentão, de nome Caetano e lhe ofereceu dois mil reis para juntos darem uma boa sova no ‘cabra’ Manoel de Brito.

Manoel de Brito, nessa época, morava lá pelas bandas do Recanto, tinha situado uma lavra de fumo na vazante do riacho Fortuna e estava ansioso para vender as mudas de sua plantação. Higino pediu a Caetano, que de forma dissimulada, disse ao referido desafeto que queria comprar umas mudas de tabaco para fazer uma lavra no baixio da ribeira do Machado. No entanto, o plano era aplicar-lhe uma boa surra num lugar solitário, onde os gemidos fossem sufocados pelo matagal.

Assim como combinado, Caetano levou o atrevido, até a beira do riacho, enquanto o senhor Higino, seguia sorrateiramente por entre a rama da caatinga. Assim, Manoel de Brito partiu em direção ao local de suplício, mas de forma previdente seguia conduzindo à cintura uma afiada jardineira e um facão rabo de galo.

Ao chegar ao local combinado, Caetano disse em voz alta e irascível:

- Prepara-se para apanhar, cabra safado! Tu nunca mais vais insultar homem nenhum!

Manoel deu uma risada zombeteira, pulou para trás e arrastou a peixeira. Nesse instante, Higino surge por entre os arbustos como uma jararaca enfurecida, segurando na mão direita um cacete de jucá. A luta é travada o ‘cabra’ é forte, não se rende facilmente, mesmo lutando contra duas feras embravecidas e com fome de vingança.

Durante o embate, Higino tentava tomar-lhe a faca, mas na puxada súbita, a afiada lâmina decepou-lhe o polegar direito. A adrenalina era forte, ele só percebeu o estrago, quando já voltava para casa. A luta recrudesceu, o cacete caiu, até que finalmente, Manoel de Brito tomba num barranco, nessa situação eles conseguem tomar-lhe a faca. O ‘cabra’ soluça ofegante, está quase sem forças.

Naquele momento, decidiram liquidar de vez o desafeto, tinham medo de uma posterior vingança. Cravaram-lhe duas facadas, mas num último esforço, Manoel consegue se esquivar e finge-se de morto, por sorte penetrou-lhe apenas por entre as costelas.

Após a desforra, os vingadores se levantaram e fugiram, mas por sorte do destino, felizmente senhor Higino não se tornou naquele dia um assassino.

Ficou comprovado de fato, que Manoel de Brito era muito forte, pois depois dessa sova conseguiu se recuperar, mas nunca mais foi o mesmo, ficou com o corpo todo entrevado e passou a depender dos outros para sobreviver.

Esse crime praticado por Higino lhe rendeu muito anos de sofrimento e angústia. Manoel era morador de Adriano de Agostinho e este não deixou por menos, envidou todos os seus esforços para botar o Higino na cadeia.

Tomando as dores de seu morador, Adriano denunciou o agressor no Corpo da Guarda Municipal de São Mateus. A situação ficou complicada, acusação de tentativa de homicídio premeditado e ainda com um agravante, a participação de Caetano, isso lhe rendeu um grande processo e um efetivo mandato de prisão.

Agora Higino estava em extremo aperto, acossado por Adriano e procurado pela guarda policial. Diante dessa situação complicada, ele resolveu tomar conselho com o seu amigo Neném, um político de grande influencia na câmara distrital de São Mateus.

Como a patrulha estava na dependência dos políticos, Neném aconselhou Higino a não se render diante da guarda. Naquela época os policiais da guarda de São Mateus, vestiam uma farda preta, andavam a pé e não podiam usar arma de fogo para capturar o criminoso, depois de passado o flagrante delito, a ordem era segurá-lo pela mão, pois, caso matassem alguém, poderiam ir à forca.

Diante desses fatos, Neném deu o seguinte conselho:

- Olha compadre Higino, não se entregue de jeito nenhum a guarda municipal, senão você vai parar no xilindró!

E acrescentou:

- De hoje em diante você passe a andar com uma um rifle sempre carregado, um bornal de couro cheio de balas e um facão a tiracolo.

- Agora preste atenção, toda vez que a força chegar a sua casa e lhe der ordem de prisão, você aponte o rifle e grite forte, sem tremer: arreda o pé, se não eu toro na bala!

E assim aconteceu por diversas vezes, enquanto isso, Higino foi escapando da prisão. Mas, Adriano era impertinente não deixava de atiçar a polícia de São Mateus, pressionado pelas circunstâncias, Higino resolveu acabar de vez com essa importunação que lhe atormentava noite e dia. Fez uma tocai ao Adriano, por detrás de umas moitas de mofumbo que ficavam na passagem do riacho, bem próximo de um lugar conhecido como Gangorra.

Elaborado o plano sinistro, armou-se de um bacamarte e de um facão e permaneceu na tocai atrás de uma moita. De repente, surge Adriano sozinho e de mãos abanado, o momento lhe era propicio.

Naquele momento, muito ansioso e trêmulo ele apontou o bacamarte em direção ao desafeto, enquadrou-o a altura do peito, mas teve uma grande surpresa, a sua visão embaçou, viu vinte cinco ‘adrianos’ emparelhados, então, meio confuso não sabia em qual direção disparar. Baixou o cano, mirou outra vez e a cena se repetiu.

Então, diante dessa visão, teve um pequeno momento de lucidez e pensou:

- Isso é um sinal divino, não devo levar a cabo tal intento maldito!

Naquele dia Deus colocou a mão no cano da arma de Higino Pereira para que ele não se tornasse um assassino, pois naquela época a pena de morte ainda estava em vigor.

Senhor Higino era um homem muito religioso, essa briga foi uma armadilha do capeta para destruir a sua vida. Ele era um homem de bom coração, como mostram os acontecimentos posteriores. Algum tempo depois da ocorrência desse triste episódio, veio à terrível seca de 1877, que assolou a província do Ceará, de ponta a ponta. Nessa época, milhares de cearenses morrem vítima da fome e da cólera.

A situação de Manoel de Brito era de cortar coração, não tinha onde cair morto, a fome apertava-lhe as entranhas. A sua pobre mulher de cabelos desgrenhados e pele bastante ressequida, queimada pelo sol escaldante da caatinga, rezava pra todos santos que lhe acudisse. Foi aí que surgiu um filho de Deus que lhe deu um conselho:

- Olha comadre eu andei pensando, pensando, sobre a sua situação e cheguei à seguinte conclusão: do Monte Alegre a Vacaria, só há pessoa uma que possa lhe ajudar! Posso dizer: Quem?

- É Higino Pereira, pois em toda região é o fazendeiro mais abastado. Pode ir até lá, pois tenho certeza de que não lhe negará ajuda!

Não lhe restava mais nenhuma alternativa, então, resolutamente a pobre mulher albardou o jegue alazão, munido de dois caçuás de cipó e foi até a Chapada. Muito encabulada e temerosa, a pobre e desvalida criatura, bateu a porta da casa do senhor Higino, ao pingo do meio dia.

Que supressa agradável! Higno, sem titubear lhe atendeu com a maior presteza, convidou-a para sentar-se a varanda, enquanto, Joana Josefa lhe servia um café bem quentinho. Subiu até paiol, desfolhou milho, abriu os surrões de couro batido e despejou feijão e arroz, sem pena e sem dó, atendendo prontamente as necessidades de seu velho inimigo.

Assim, com esse simples gesto de generosidade, ele jogou um balde de água fria no seu passado réprobo, daí em diante nunca mais, Adriano o perturbou.

Higino contava sempre esse lamentável capítulo da história de sua vida, sentado num tosco banquinho de madeira no alpendre de sua casa, lá na Chapada, enquanto isso, o mancebo Antonio Gino guardava silente essas coisas no seu coração, planejado os rumos de seu proceder. Posteriormente, tornou-se o sucessor de seu pai e o morador mais ilustre da Vacaria.

“A vingança nunca é plena: mata a alma e envenena”

“Se teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer. Se tiver sede, dá-lhe de beber. Pois fazendo isso, amontoarás brasas sobre a sua cabeça. Não te deixes vencer pelo o mal, mas vence o mal com o bem” (ROMANOS 12. 20-21).

Meu sertão, minha gente e minha vida. Relatos de Antonio Ferreira Lima, escritos por Antonio Anicete de Lima.

SDA inaugura novas unidades da Ematerce nesta quarta

O secretário da SDA, Nelson Martins, e o presidente da Ematerce, José Maria Pimenta, inauguram as unidades de Apuiarés, Miraíma, Amontada e Uruburetama

O Governo do Estado, por meio da Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA), prossegue com inaugurações de escritórios da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ematerce). Amanhã (25), o secretário da SDA, Nelson Martins, e o presidente da Ematerce, José Maria Pimenta, inauguram as unidades de Apuiarés, Miraíma, Amontada e Uruburetama.
Com investimento do projeto Pacto Federativo, a ação irá expandir a assistência técnica aos agricultores familiares. O projeto conta com investimento total superior a R$ 44 milhões, sendo R$ 22 milhões do Governo Federal e mesma contrapartida do Governo Estadual.
O Pacto Federativo é um convênio firmado entre o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) e o Governo do Estado do Ceará. Até 2012, o convênio implantará mais de 44 escritórios da Ematerce e ampliará 39 escritórios, nos 102 municípios que compõem os seis Territórios da Cidadania. O intuito é atender mais 68.100 novos agricultores familiares.

Através do projeto, foram contratados e capacitados 341 técnicos (78 de nível superior e 263 de nível médio) em 2011, que assumirão as novas unidades. Além disso, foram adquiridos máquinas, equipamentos e veículos. Sendo entregues 94 carros, 100 motos, 475 computadores e 206 estações de trabalho com cadeira.
Horário das inaugurações
Municípios Data         Horário
Apuiarés            25/01/2012    9h
miraíma             25/01/2012    15h
Amontada         25/01/2012    17h
Uruburetama     25/01/2012    19h
Assessoria de comunicação da SDA – Cícero Lacerda (estagiário de jornalismo) 85 3101.8105
 

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Chuvas na Região do Cariri em 24.01.2012




 


Chuva Relativa ao Período: 7:00 de 23/1/2012 às 7:00 de 24/1/2012
Legenda determinada pela chuva máxima no município
MACRO REGIÃO 7 - CARIRI

POSTO MUNICIPIO QTD(mm)
Altaneira Altaneira 95.6
Cedro Cedro 59.0
Farias Brito Farias Brito 44.0
Sao Sebastiao Carius 42.0
Missao Velha Missao Velha 33.5
Granjeiro Granjeiro 31.0
Caipu Carius 31.0
Ingazeira Aurora 28.6
Amaniutuba Lavras Da Mangabeira 22.0
Carius Carius 19.0
Ponta Da Serra Crato 17.0
Quixabinha Mauriti 13.0
Arrojado Lavras Da Mangabeira 11.0
Juazeiro Do Norte Juazeiro Do Norte 11.0
Milagres Milagres 8.6
Barbalha Barbalha 6.5
Varzea Alegre Varzea Alegre 6.0
Lavras Da Mangabeira Lavras Da Mangabeira 5.8
Aurora Aurora 5.0
Sao Miguel Mauriti 5.0
Lameiro Crato 5.0
Cuncas Barro 4.5
Brejinho Barro 4.2
Jamacaru Missao Velha 4.0
Mangabeira Lavras Da Mangabeira 3.0
Vila Feitosa Caririacu 2.0
Sitio Tipi Aurora 1.0

Postos com chuva: 27 / Postos informados: 35



MACRO REGIÃO 8 - SERTAO CENTRAL E INHAMUNS

POSTO MUNICIPIO QTD(mm)
Assare Assare 102.0
Lacerda Quixeramobim 67.0
Mineirolandia Pedra Branca 65.0
Varzea Nova Antonina Do Norte 57.4
Assentamento Novo Canaa Quixeramobim 51.0
Senador Pompeu Senador Pompeu 49.0
Pedra Branca Pedra Branca 33.0
Saboeiro Saboeiro 28.0
Mombaca Mombaca 17.8
Milha Milha 16.0
Solonopole Solonopole 16.0
Bau Iguatu 12.0
Catarina Catarina 11.0
Iguatu Iguatu 11.0
Aeroporto(Crateus) Crateus 10.0
Boa Viagem Boa Viagem 8.0
Itatira Itatira 8.0
Monsenhor Tabosa Monsenhor Tabosa 7.0
Aiuaba Aiuaba 6.4
Manituba Quixeramobim 6.0
Cruz Quiterianopolis 6.0
Caixa Acopiara 6.0
Independencia Independencia 5.0
Piquet Carneiro Piquet Carneiro 5.0
Ac. Sao Mateus Caninde 4.6
Quixelo Quixelo 3.0
Trapia Santa Quiteria 3.0
Caridade Caridade 1.6
Potengi Potengi 1.0

Raiz da Educação Pública no Cariri - Monsenhor Vicente Bezerra - 85 anos

No dia 07 de Setembro de 1920, ao som do apito do trem é formalizada a inauguração oficial da linha férrea, Aurora – Fortaleza- Fortaleza-Aurora a população aplaudia como um presente do Estado do Ceará, a chegada à plataforma na agencia da estação em Aurora-CE, o povo boquiaberto com aquela enorme máquina do progresso sobre linhas, os mais céticos a observarem como tão potente estrutura se equilibrava em retas tão finas de aço – Trilhos. Aurora passa a ser o centro do cariri, pois todos os viajantes teriam que vir a Aurora para a capital alencarina, Era uma festa só, pois ao ritmo do progresso velhas casas se transformaram em restaurantes, as famosas “bodegas” em tempo recorde passaram a ser mercearias de secos e molhados, enfim,o fluxo econômico foi multiplicado em cem por um. Com o terminal em Aurora, ao retorno a Fortaleza foi necessários vários funcionários para atender as demandas crescentes, assim inúmeros iluministas sociais vieram de outras urbes residir na terra do sol nascente. Cria-se uma solução no sistema de transporte coletivo, mas um problema para os filhos dos humanistas sociais. - Como educar os filhos em Aurora? O Que existia, tão somente, as Escolas Reunidas na função de “desarnar” os filhos da região, principalmente, os filhos dos mais abastados, vez os jovens, cuidarem com os pais das atividades campestres, pois na época exigia-se todo o esforço da família, às vezes precisando contratar trabalhadores para o famigerado trabalho de alugado. Foi ai que a comissão de humanistas, iluministas sociais, tiveram a brilhante idéia de consolidar a educação pulverizada das Escolas Reunidas com autonomia geográfica e estrutural em um prédio feito em alvenaria. A comissão com o apoio dos proprietários, comerciantes, agricultores e o povo em geral, com anuência do Estado do Ceará, conseguiram alavancar o sonho do povo com a sua primeira casa de Educação Publica no Cariri Cearense – Aurora-CE, a hoje, Escola de Ensino Fundamental Médio Monsenhor Vicente Bezerra, que garbosa ao tracejado dos pioneiros sempre em reforma estrutural e intelectual para entregar ao cariri cearense o modelo de luta, tenacidade, determinação a servir sempre ao povo da linda região do cariri e, neste próximo dia 15 de março, 2012 - 85 anos educando na eterna dialética de envelhecer no rejuvenescimento. Núcleo Gestor atual - 2012 Diretora Administrativa: Profa. Francisca Edvania Tavares Coordenadora Escolar: Profa. Fátima Pereira da Silva Coordenador Escolar: Prof. Vicente Luna Alencar Secretária Escolar: Francisca Auristela Fernandes França Artigo feito pelo professor da Escola - Luiz Domingos de Luna-

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Reconhecimento dos Serviços do Doutor Aureliano Pinheiro.

São Romão já conta com serviço de Fisioterapia

O Governo Municipal de Altaneira através da Secretaria de Saúde implantou logo após a posse do Prefeito Delvamberto Soares o serviço de Fisioterapia no Distrito de São Romão.

O novo serviço possibilita atendimento domiciliar a pacientes que não podem se deslocar até a cidade, dentre eles estão os portadores de Acidente Vascular Cerebral (AVC), crianças acometidas por Paralisia Cerebral, idosos com artrose e outros.

O serviço de fisioterapia é um dos destaques da Administração Municipal e atualmente conta com quatro fisioterapeutas, sendo 3 atuando na cidade (Dra. Maria, Dra. Hellen e Dra. Tatiane) e agora um no Distrito São Romão, o Dr. Aureliano Pinheiro.

O Secretário Municipal de Saúde, Dariomar, enfatiza a importância destes profissionais e pretende para este ano a ampliação dos atendimentos em todas as comunidades da Zona Rural, bem como a melhoria da infraestrutura dos Postos de Saúde para melhor atender os pacientes.

Foto: O fisioterapeuta Aureliano em atendimento domiciliar no Distrito do São Romão.

fonte: www.altaneira.ce.gov.br


sexta-feira, 20 de janeiro de 2012

Funceme divulga prognóstico da quadra chuvosa de 2012


A Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) divulga nesta sexta-feira (20), às 9 horas, o resultado oficial do prognóstico da quadra chuvosa de 2012, correspondente aos meses de fevereiro, março, abril e maio (correspondentes à estação chuvosa no semiárido Nordestino, incluindo o Ceará). O documento está sendo elaborado nesta quinta-feira (19) por representantes dos Centros Estaduais de Meteorologia dos estados no Nordeste, além de CPTEC/INPE, INMET, Instituto Internacional de Pesquisas do Clima e da Sociedade (IRI – EUA) e Escritório de Meteorologia do Reino Unido (UK Met Office). No relatório serão apontadas as probabilidades de cada categoria referente ao período chuvoso no Estado (em torno da média histórica, acima da média e abaixo da média). É importante lembrar que a média de precipitação no Ceará entre fevereiro e maio é de 750mm a 800mm. O resultado do prognóstico será anunciado no auditório da Funceme (Av. Rui Barbosa, 1246 – Aldeota).

La Niña

Desde novembro de 2011, a Funceme divulga boletins Clima Alerta, nos quais fica evidenciado um resfriamento anômalo da Temperatura de Superfície do Mar (TSM) no Oceano Pacífico equatorial. Este resfriamento é conhecido também como fenômeno La Niña. Para o primeiro semestre de 2012, há uma consolidação do La Niña e este fator indica, historicamente, uma tendência de não haver chuvas abaixo da média no Ceará. Entretanto, os meteorologistas também precisam levar em consideração a análise da TSM do Oceano Atlântico equatorial, que está sendo feita durante o Workshop, que acontece até esta sexta-feira (20), para apontar como será a quadra chuvosa no Estado.

Em sua 14ª edição, o Workshop Internacional de Avaliação Climática para o Semiárido Nordestino promove uma discussão sobre 'O Contexto Atual da Meteorologia no Brasil', reunindo pesquisadores e gestores das principais instituições do País. Além disso, a programação do evento também inclui um curso sobre Salinidade e Umidade do Solo a partir de dados do satélite SMOS.  O workshop acontece  no Hotel Oásis Atlântico Imperial (Av. Beira Mar, 2.500 – Meireles).

Serviço:


Apresentação da Previsão Climática para o período chuvoso no Ceará
Data: 20 de janeiro de 2012
Hora: 9 horas
Local: Auditório da Funceme (Av. Rui Barbosa, 1246 – Aldeota)

19.01.2012
Assessoria de Comunicação da Funceme
Guto Castro Neto ( comunicacao@funceme.br / 85 3101.1102 - 8814.4194)

quinta-feira, 19 de janeiro de 2012

Movimentação no Aeroporto de Juazeiro do Norte aumenta 40,11%

Ao todo, 342.958 passageiros embarcaram ou desembarcaram no Aeroporto de Juazeiro do Norte no ano de 2011. Isso corresponde a um aumento de 40,11% em relação a 2010, onde passaram 244.776.
O aumento se deve, entre outros fatores, a chegada de novas companhias aéreas a a ampliação do aeroporto. O crescimento da região também favorece bastante.

Jovens criam site “Catecismo Jovem” e são parabenizados por dom Odilo Pedro Scherer


Cinco seminaristas da arquidiocese de Florianópolis (SC), ao ter o primeiro contato com o YouCat (site católico que os jovens de todo o mundo comunicam criativamente sobre a sua fé), pensaram e desenvolveram o site “catecismojovem.com.br”, que busca convergir as redes sociais (blog, twitter, facebook) e espaços do Catecismo Jovem, já utilizados.
“Para a criação desse site, nós nos inspiramos em algumas palavras do Santo Padre, o papa Bento XVI, no ato de lançamento do Youcat, como por exemplo, quando o papa diz que devemos formar grupos de estudo nas redes sociais. ‘Permanecei deste modo num diálogo sobre a vossa fé’, disse o papa. Então, atendendo a este convite e ordem do Papa, resolveram criar um blog, twitter, facebook e orkut, para divulgar e motivar estudos do Catecismo Jovem na internet, e incluir tudo numa só página, foi aí que surgiu o Catecismo Jovem”, disso um dos criadores do site, Guilherme Pontes.
O projeto se expandiu rapidamente pela internet e atualmente conta com 40 colaboradores de todo o Brasil, que auxiliam na divulgação de matérias, na produção dos conteúdos e na parte operacional das redes sociais.
O blog trás diariamente temas de formação, baseados no YouCat. Já o site, traz matérias sobre a utilização do YouCat, informações sobre a Igreja, além de todas as redes sociais do projeto.
O arcebispo de São Paulo, cardeal Odilo Pedro Scherer, enviou uma mensagem aos seminaristas, parabenizando pelo trabalho desenvolvido. Disse o arcebispo: “Parabéns turma do Catecismo Jovem. Gosto do que vocês fazem. Continuem firmes! A boa semente, um dia, brotará”, afirmou dom Odilo Scherer por meio de seu twitter.
Outras informações estão disponíveis no site www.catecismojovem.com.br

quarta-feira, 18 de janeiro de 2012

Marketing Digital é alvo das empresas do Cariri

As empresas estão buscando meios para capacitar seus colaboradores. A região é carente de profissionais qualificados para desenvolver ações digitais.

A internet já se consolidou como um dos principais veículos de comunicação e marketing, e também como um canal de comercialização de produtos e serviços, destacando-se por ser uma alternativa viável de mídia mesmo para pequenas empresas ou profissionais liberais. O mercado de profissionais de marketing digital está em aquecimento. Existe uma demanda crescente por esses profissionais, porém falta pessoal qualificado, motivo esse pelo qual muitas empresas investem recursos próprios na formação de seus empregados dessa área.

O marketing como função está muito mais ligado à postura das pessoas e seu comprometimento. A falta de profissionais capacitados para atuar nestes segmentos tem atrasado as estratégias de muitas empresas e impedido o crescimento de outras, que sem alternativas, buscam criar outros canais de comunicação interna e ficar ausente das redes sociais. Os negócios na região do Cariri estão acompanhando o crescimento do mercado do Estado e Nacional. Com pouco conhecimento e prática, os profissionais da área de marketing digital na região precisam criar novos métodos e perspectivas a serem apresentadas ao empresariado da região do Cariri.

Segundo o especialista em Marketing Digital, Rafael Galdino, diz que o mercado digital é que pode colocar a indústria do país no século 21 e que as grandes oportunidades não estão ficando com os profissionais da região, por falta de oportunidades de conhecimento. “Muitos dos que já estão atuando nas empresas privadas do Cariri são oriundos da capital ou estados vizinhos. O mercado está em ascensão e os negócios também funcionam pelas veias virtuais”, afirma.

Para o empresário e especialista em mídias digitais, Leandro Cipriano, lembra com a propagação da internet e o aceleramento da globalização quem chegar primeiro terá mais chances de sobreviver ao amanhã. “Para os empresários/empresas da região devem buscar o topo, já que a região está crescendo mais rápido do que o país como um todo. Para valorizar é preciso aparecer, para aparecer é preciso divulgar e hoje o meio mais acessível em termos de custo-benefício é a internet”, completa.

Um mercado que ganha ainda mais impulso com os governos procurando cada vez mais democratizar o acesso à web. Ao mesmo tempo, faltam profissionais qualificados no mercado. “Quem se especializar larga na frente. Costumam atrair profissionais de comunicação, marketing, designers e jovens empreendedores, também de olho nesse filão. As oportunidades estão em agências especializadas ou nas próprias empresas, que investem em equipes particulares. Além das redes sociais, há outros nichos, como os games, a telefonia celular e o comércio virtual”, finaliza Rafael Galdino.

Mais informações:
Encontro de Marketing Digital no Cariri
Dias 09 e 10 de março de 2012
Faculdade Leão Sampaio, Sede Lagoa Seca
http://caririmarketingdigital.com.br/

Justiça no CE dá acesso à redação do Enem para todos os candidatos


Decisão também concede direito de pedir revisão para uso da nota no Sisu.
Juiz Praxedes defende que a Constituição assegura o acesso a informações.

Giselle Dutra e André Teixeira Do G1 CE

A Justiça Federal no Ceará concedeu na tarde desta terça-feira (17) o direito aos candidatos de todo o Brasil que fizeram a prova do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) a terem acesso às cópias das provas de redação, e respectivos espelhos de correção. Além disso, a Justiça Federal concedeu o direito de pedir revisão administrativa das respectivas provas para permitir a utilização das novas pontuações eventualmente obtidas no resultado do Sistema de Seleção Unificada (Sisu).
O Ministério da Educação (MEC) informou em nota nesta terça-feira (17) que não tem como colocar à disposição dos alunos as provas de 2011 e vai recorrer da decisão por inexequibilidade. O MEC diz ainda que o termo de ajustamento de conduta feito nesta terça-feira vai permitir aos candidatos ter acesso à correção das provas a partir do Enem 2012.
Em sua decisão, o juiz federal da 1ª Vara no Ceará, Luiz Praxedes, defende que a Constituição Federal assegura o acesso a informações, "ao contraditório e à ampla defesa". O magistrado também justifica decisão devido ao prazo para inscrição no Sisu, sistema que seleciona alunos com melhor desempenho na prova do Enem, para que ingressem à universidade.
O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep), responsável pela prova do Enem, foi intimado pelo juiz para o cumprimento imediato da decisão. O juiz intimou ainda o Ministério Público Federal se manifestar em até cinco dias.
Entenda o caso
Na última terça-feira (10), o Ministério Público Federal enviou requerimento à Justiça Federal no estado pedindo que fosse estendido a candidatos de todo o Brasilo direito de ter acesso à prova de redação do Enem e de pedir a revisão da nota obtida. A medida foi tomada a partir de decisão judicial que determinou o acesso à redação por 12 candidatos do Ceará, que entraram com ações individuais.
Na decisão, a Justiça Federal no Ceará determinou que 12 alunos tenham acesso às redações corrigidas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Os alunos entraram com ação individual, alegando insatisfação com o resultado obtido e que acreditam terem tirado nota maior do que a apresentada no resultado.
 

terça-feira, 17 de janeiro de 2012

Arranque a ignorância da máscara

Luiz Domingos de Luna*

O Processo de civilidade dos seres humanos é um objetivo que remonta os mais distantes períodos da história, ou mesmo da pré-história. A civilidade tem um gráfico que oscila de forma muita violenta na escala existencial, não rara, ser paradoxa, pois a brutalidade de uma época pode fomentar o seu nascimento em outra, assim como a normalidade não assegura a sua continuidade linear na esfera do espaço tempo.
A Cultura deveria ser um bem comum para o convívio interativo dos seres humanos, o que cria uma grande disformia ,quando a cultura de um agregado social passa a ser um instrumento de diferença com o outro com o agravante quando, o outro se sente ameaçado pela diferença, a abstração ao modelo é betume de unificação social, outrossim, o exemplo é fonte de atrito.
A Inquietação das inúmeras formas de analisar um mesmo dado amostral na realidade deveria ser instrumento de construção social afirmativa, porém a tonalidade destoa quando há o abandono das técnicas da harmonia social já vistas, provadas e aprovadas  nas mais distintas situações para {o ódio emocional dirigido}, ou seja,  quando a causa em si, perde a substância, e o defensor um alvo de violência, assim nasce na sociedade o terrorismo  moral, pois a distorção de um ver difente, pensar de um ângulo  distante ao alcance  do outro sendo  uma  fonte geradora da bestialidade humana  para destruir o outro,  retirar do convívio social, expulsar do quadro existencial, é uma situação sempre temerária, pois a  uniformia do pensar coletivo é sempre um atraso, o certo dando continuidade ao certo, ou o errado  dando continuidade ao errado, são, a luz da razão, a base  para o  a criação de dogmas  sociais, que pode gerar a civilidade em um dado momento,  e a bestialidade em outro.
Essa quebra no convívio interativo do seres humanos tem como vetor básico: ver os acertos no que é oportuno e as falhas desprezíveis ou um mal necessário na forma conjuntural, e ver as falhas do outro como um fim negativo e maléfico a todos e os acertos do outro como uma distorção de princípios falhos que redundarão sempre em um mundo inoportuno. A falta de aprofundamento a exaustão do pensar do outro, para gerar uma visão sólida em todas objetivas possíveis, formará sempre a máscara que esconde a ignorância.

(*) Professor da Escola de Ensino Fundamental e Médio Monsenhor Vicente Bezerra – Aurora – Ceará.