quinta-feira, 16 de fevereiro de 2012

Serviço de Extensão Rural do Ceará completa 58 anos de criação

Nesta quinta-feira (16), mais de mil extensionistas, com orgulho, lembram o dia 16 de fevereiro, consagrado ao Serviço de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará (Ematerce). A data faz retroceder-se à primeira metade da década de 50, quando foi criado, nesse mesmo dia, em 1954, no Ceará, essa modalidade de serviço público estadual gratuito, prestado aos agricultores familiares.

A data apresenta um marco para o serviço de assistência técnica e extensão rural do Ceará, vez que, em 16 de fevereiro de 1954, ou seja, há 58 anos, inaugurou-se o primeiro Serviço de Extensão Rural do Ceará, que recebeu, inicialmente, a denominação de Associação Nordestina de Crédito e Assistência Rural (Ancar). Naquele ano, os trabalhos de campo começaram pelos municípios de Maranguape, Redenção e Quixadá.

Decorridos alguns anos, o Governo do Estado criou, em 1976, com a aprovação da Lei 10.029, de 6 de julho daquele ano, a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará (Ematerce). A Ematerce é um órgão público estadual, de direito privado, sem fins lucrativos, vinculada à Secretaria do Desenvolvimento Agrário do Ceará (SDA).

Com o passar dos anos, a Extensão Rural cearense consolidou-se como um serviço indispensável ao setor primário (Agropecuário) da economia, por contribuir para o aumento da produção, da produtividade das lavouras e da pecuária, além da renda líquida dos agricultores, sem falar das ações, voltadas para a melhoria das condições de vida do homem do campo e para a preservação do meio ambiente.

Para o presidente da Ematerce, Engº Agrº José Maria Pimenta, capacitar os servidores da empresa e os agricultores de base familiar, contribui para ampliar a abrangência de atuação e dotar a Ematerce de equipamentos modernos, por sinal, prioridades da atual diretoria-executiva no exercício de 2012. O órgão oficial de assistência técnica e extensão rural do Ceará recebe apoio irrestrito do governador Cid Ferreira Gomes, por intermédio do secretário do Desenvolvimento Agrário, Nelson Martins, para que continue uma empresa pública, funcionando, de forma eficiente e com eficácia, voltada para melhorar as condições de vida das famílias rurais, sobretudo dos agricultores familiares, responsáveis pela produção de mais de 70% de gêneros alimentícios.

O dirigente da Ematerce adiantou, ainda, que o Dia da Extensão Rural, em nosso Estado, é um momento ímpar, que não deve ser, apenas, de lembranças e de elogios aos que se dedicaram e ainda executam esse trabalho no meio rural. Deve ser - isso sim - uma oportunidade para reflexão a respeito do que a Extensão Rural fez e continua a fazer, de produtivo, útil e salutar, em benefício das famílias rurais.

Deve ser, também, uma ocasião, para se aprender e ter vontade de superar desafios, no dia-a-dia, buscando meios, mais adequados, de agricultores familiares, numa troca de saberes com os extensionistas, produzirem mais, com qualidade, sustentabilidade e sem degradar o meio ambiente. Na opinião de Pimenta, essa, sim, deve ser a principal preocupação dos extensionistas, no transcurso desta expressiva data, respaldados pelo apoio dos Governos Federal, Estadual, Municipal, órgãos parceiros, os próprios agricultores, quando se comemora, embora sem festividades, o Dia da Extensão Rural no Estado do Ceará.

Como educadores não formais, os extensionistas utilizam técnicas e metodologias participativas, que auxiliam o produtor rural a ter uma produção sustentável sob os aspectos ambientais, econômicos e sociais. Sempre agregando o conhecimento acadêmico do técnico e as experiências de anos de trabalho do agricultor, a Extensão Rural visa à qualidade da produção, geração de emprego e renda e à melhoraria da qualidade de vida no campo.

Com o apoio governamental, a empresa, que somente nos três primeiros meses de 2012, contará com 63 novos escritórios, totalizando até março/2012, 134 unidades administrativas, tem sua responsabilidade aumentada e está preparada para assistir, em tempo hábil e eficientemente, um público, composto por mais de 100 mil agricultores, cuja orientação técnica e gerencial, recebida, é produzir alimentos de qualidade, porém com a preservação dos recursos naturais.

15.02.2012
Assessor de Comunicação da Ematerce
Antonio José de Oliveira ( antonio.jose@ematerce.ce.gov.br / 85 3217.7872)
Postar um comentário