domingo, 25 de março de 2012

Relator, reitor da UFC e professores querem apressar criação da Universidade Federal do Cariri


Relatório do projeto de lei vai reforçar vocação para o desenvolvimento regional, extensão e licenciaturas
Ricardo Ness, Ariosto Holanda, Henry Campos e Jesualdo Farias
Será entregue ainda este mês o relatório de criação da Universidade Federal do Cariri (UFCA) na Comissão de Educação da Câmara pelo relator do projeto de lei, deputado Ariosto Holanda, que anunciou a intenção de pedir a antecipação de votação da matéria nas duas semanas seguintes. “Como está prevista para 2013 a criação da UFCA, temos de correr”, disse o parlamentar, sexta-feira, ao discutir o projeto com o reitor Jesualdo Farias na reitoria da UFC com o diretor do campus Cariri, Ricardo Ness, e sete coordenadores dos grupos de trabalho da UFC que planejam a nova universidade federal no Ceará.

Ficou acertado na reunião no gabinete do reitor que o projeto de lei reforçará a vocação do campus de modo a ampliar a atuação, já como UFCA, na linha do desenvolvimento sustentável, extensão e licenciaturas, com uma formação diferenciada de professores de ciências. Ao defender a extensão como transferência de conhecimento da Universidade para a população excluída da educação formal, o deputado foi informado de que o campus Cariri é, na UFC, o de maior vocação para esta atividade, hoje com mais de 100 projetos, um deles, oMulheres de palha, de design, premiado pelo Banco Santander.

Jesualdo Farias
Jesualdo Farias observou que professores do campus Cariri, mesmo na pesquisa, focam no desenvolvimento regional. O reitor antecipou a intenção de dotar a UFCA de um programa de licenciaturas em ciências “que seja contemporâneo, de vanguarda e referência nacional”. O modelo de educação na Coréia, a serviço de um projeto de país, e do Japão, com ênfase em centros de formação de instrutores para aperfeiçoamento de professores, segundo Ariosto Holanda, são exemplos de sucesso no ensino aplicado à transformação social.

O deputado informou que o presidente do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq), Glaucius Oliva, informou que vai começar a pontuar como produção acadêmica os trabalhos de extensão, e não apenas somente a pesquisa e publicação. Na matriz orçamentária de 2014, as universidades federais vão ter orçamento para extensão, informou Jesualdo Farias.

Ariosto Holanda
Conforme Ariosto, a bancada federal do Ceará, a exemplo do que fez este ano ao destinar emenda de R$ 25 milhões no orçamento do MEC à UFC, Unilab e IFCE, poderá colocar recursos para a UFCA em 2013. Hoje, a UFC no Cariri tem 11 cursos de graduação, dois de mestrado, 186 professores, 60 técnicos administrativos e cerca de 2.500 estudantes em Juazeiro do Norte, Crato e Barbalha. Todo o quadro, os bens móveis e imóveis da UFC Cariri serão transferidos para a UFCA, que deverá abrir mais 16 cursos de graduação, contratar mais 197 professores, 212 técnicos administrativos com nível superior e 318 cargos de nível intermediário e dois novos campi em Icó e Brejo Santo, cada um com cinco ou no máximo seis cursos, informou o reitor.

O reitor destacou a expectativa da UFC com relação à conclusão do processo na Câmara, para em seguida acompanhar a tramitação no Senado, antes da sanção presidencial. Segundo ele, a discussão com o relator Ariosto, que é professor aposentado da UFC, vai contribuir “na construção de um relatório que expresse o mais fidedignamente aquilo que esperamos da Universidade em trabalhos de extensão e de pesquisa. Compreendemos que é extremamente importante esta universidade estar implantada até 2014, ainda no período deste governo, pois sabemos que na mudança de governo estes processos atrasam bastante”, afirmou.

A obstrução das votações de projetos de interesse do governo na Câmara, como o da criação de 19 mil novos cargos nas universidades federais, não atinge a criação da UFCA, pois o seu quadro de pessoal está definido no projeto de lei, assinalou Jesualdo Farias. O secretário de Educação Superior do Ministério da Educação, Amaro Lins, pediu ao Ariosto Holanda apoio na aprovação do projeto dos novos cargos na Comissão de Constituição e Justiça e aconselhou o deputado, no que diz respeito ao PL de criação da UFCA na Comissão de Educação, a não mudar a essência do projeto que veio do Executivo, para evitar que seja vetado.

O processo de instalação do campus da UFC no Cariri ainda não se completou. Três novos cursos não foram ainda lançados porque ainda precisam do bloco das salas de aula. A intenção do reitor Jesualdo Farias é de somente colocar na praça os editais de concurso para contratação de pessoal do quadro da UFCA após a conclusão das obras, das instalações físicas.

O reitor quer evitar a criação de novos cursos às pressas. Este critério não impede, todavia, que a UFCA comece em 2014 mesmo que seja só com os cursos atuais. A contratação de alguns profissionais, como arquiteto, engenheiro, bibliotecário e pessoal de tecnologia da informação, pode ser antecipada para trabalhar no plano diretor, biblioteca, rede lógica e parque de informática. A intenção é avançar com os projetos e licitar as obras ainda este ano, se possível, ou em 2013, para ter condições de inaugurar em 2014.

O calendário de instalação da UFCA prevê a nomeação de um reitor e vice-reitor pró-tempore que vão conduzir o projeto da nova universidade no período de transição da UFC para a futura instituição federal. A escolha, de caráter técnico, incidirá em nomes da própria instituição. O reitor assinala que a intenção de federalização da Universidade Regional do Cariri não está no âmbito da criação da UFCA. “É outra discussão”, pontua.

Participaram da reunião o vice-reitor Henry Campos, o chefe de Gabinete José Maria Andrade Neto, e os coordenadores dos grupos de trabalho de implantação da UFCA Marcelo Oliveira Santiago (aspectos acadêmicos), Roberto Rodrigues Ramos (aspectos organizacionais), Aura Celeste Santana Cunha (consolidação do campus Cariri), Joselina da Silva (desenvolvimento e apoio à comunidade acadêmica), Ivânio Lopes de Azevedo Júnior (plano de desenvolvimento institucional) e Henry Poncio (tecnologia da informação).
Postar um comentário