segunda-feira, 9 de julho de 2012

Expocrato deve gerar R$ 40 milhões


Exposição de bovinos está entre as atrações da feira agropecuária que reúne expositores de diferentes regiões do País, além de possibilitar programação de lazer e cultura para os visitantes FOTO: YAÇANÃ NEPO







Crato Com uma grande movimentação de visitantes, foi aberta na noite de ontem, a 61ª edição da Exposição Centro - Nordestina de Animais e Produtos Derivados (Expocrato). A solenidade de abertura, que teve atraso de mais de uma hora, contou com a presença do presidente do grupo gestor da Expocrato, Francisco Leitão Moura; do vice-governador, Domingos Filho; secretario de Desenvolvimento Agrário do Estado, Nélson Martins; superintendente do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Maria Luiza Rufino; e presidente da Ematerce, José Maria Pimenta, entre outras autoridades. Este ano, o governador, Cid Gomes, não compareceu ao evento.

A Expocrato já se configura como uma das maiores feiras agropecuárias do Nordeste. A exposição busca a promoção e modernização do setores agrícola e pecuário regional.

O evento, que atrai pecuaristas das regiões Centro-Oeste, Norte, Nordeste e Sul do País, este ano terá a participação de mais de 500 animais e cerca 200 expositores. Ao todo, são oito dias de realização de negócios, além de shows culturais.

Durante a exposição, serão promovidos, na quinta-feira, leilões de bovinos. Na sexta-feira, exposição de pôneis. Já no sábado, será a vez dos ovinos e caprinos. Ainda haverá seis exposições pan-americanas de cães e um concurso de animais leiteiros. Na área agropecuária, a expectativa de negócios supera os R$ 40 milhões.

Com a exposição, os organizadores e expositores buscam melhorar geneticamente seus rebanhos, através da comercialização de sêmen.

A Expocrato teve início no dia 4 de outubro de 1944, apenas como uma pequena exposição agropecuária. Ao longo dos anos, devido ao sucesso nos negócios realizados, o evento foi tomando proporções maiores. Hoje, a Expocrato representa a maior exposição agropecuário do Estado do Ceará. Gera empregos e renda para a população da região do Cariri.

Crédito

Como forma de auxiliar o pecuaristas e agricultores, durante os cinco dias, haverá liberação de crédito para os que sofrem com os efeitos da estiagem. Estima-se que cerca de 100 projetos serão beneficiados.

De acordo com o presidente da Ematerce, José Maria Pimenta, mesmo que o Estado tenha vivenciando um período de estiagem, que prejudicou a produção de grãos de sequeiro, gerando perdas significativas, durante a exposição serão apresentados projetos hídricos representativos. "É durante a seca que a construção de grandes obras hídricas são realizadas. Estamos trazendo a ideia do aproveitamento racional dos recursos hídricos, através de projetos de irrigação", afirma.

Nos stands da feira, os visitantes podem conferir produtos trazidos pelos produtores da agricultura familiar, artesãos regionais, empresas que revendem equipamentos e máquinas para o setor agrícola, além de instituições e órgãos que prestam serviços de assistência técnica ao homem do campo.

Grandes pecuaristas do Brasil inteiro estão sendo esperados para o evento. Para esta edição da exposição, os rebanhos da Paraíba e Rio Grande do Norte estão impedidos de participar devido as barreiras sanitárias.

Na abertura da exposição, os membros do movimento grevista dos servidores e professores da Universidade Federal do Ceará (UFC), Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Ceará (IFCE) e também da Universidade Regional do Cariri (Urca) aproveitaram a visibilidade do evento para reivindicar o apoio da bancada de deputados da região quanto a greve nacional da educação.
YAÇANÃ NEPONUCENA
REPÓRTER
Postar um comentário