terça-feira, 14 de agosto de 2012

Professores fazem plebiscito para decidir sobre fim da greve, no CE

Urnas estão espalhadas pela unidades acadêmicas da UFC e da Unilab. Resultado do plebiscito será homologado na quinta-feira (16).

Do G1 CE
Os professores da Universidade Federal do Ceará (UFC) e da Universidade da Integração Internacional da Lusofonia Afro-Brasileira (Unilab) decidem nesta segunda-feira (13) e terça-feira (14), em plebiscito, se aceitam ou não a proposta do governo federal e encerram a greve. As urnas de votação estão espalhadas pela unidades acadêmicas das duas instituições, das 8h às 17h. O resultado do plebiscito será homologado em Assembleia Geral na próxima quinta-feira (16).
O presidente do Sindicato dos Docentes das Universidades Federais do Ceará, Marcelino Pequeno, confirmou a realização do plebiscito e disse que terá o resultado em mãos nesta terça-feira (14), por volta das 23h. "Como na quarta é feriado, homologaremos o resultado na quinta (16)", afirma. Sobre o posicionamento dos professores em relação ao plebiscito, Marcelino preferiu se manter imparcial. "Não queremos fazer prognóstico, mas estaremos prontos, na quinta-feira para homologar e fazer valer o resultado que vem das urnas", explica.
Os professores decidiram nesta quarta-feira (8) em assembleia no Restaurante Universitário, no campus do Pici, pela realização do plebiscito. A assembleia contou com a participação de 623 professores, segundo o sindicato. Os docentes das universidades federais do Ceará estão em greve desde o dia 12 de junho de 2012.
Entenda a greve
As principais reivindicações dos servidores são o aumento do piso salarial em 22,8% e a correção das pendências da carreira desde 2007. O piso atual é de R$ 1.034. O Ministério de Planejamento, Orçamento e Gestão (MPOG) ofereceu 15,8% de reajuste salarial até 2015.
O Ministério da Educação enviou na última quinta-feira (9) uma nova circular para os reitores das universidades e institutos federais reiterando que as negociações com os professores em greve está encerrada e de que não há qualquer possibilidade de reabertura.
 

 

Postar um comentário