sábado, 15 de dezembro de 2012

Crato-CE: Obra do Rei do Baião vira ´Concerto para Gonzaga´







Yaçanã Neponucena
Orquestra Eleazar de Carvalho fez apresentação histórica no Crato, no dia dos 100 anos de Luiz Gonzaga, com repertório dedicado ao músico (Foto: Elizângela Santos)
Entre diversas homenagens prestadas durante as comemorações dos 100 anos de nascimento de Luiz Gonzaga, uma teve destaque. Pela primeira vez, a obra "sanfônica" do músico pernambucano, que ganhou fama mundial e tornou-se símbolo da cultura nordestina, está sendo retratada em modelo sinfônico. Foi lançado em Exu, terra natal do Rei do Baião, o primeiro CD e DVD intitulado "Concerto para Gonzaga". Com uma característica social marcante, o trabalho envolve o forrozeiro Alcymar Monteiro e a Orquestra Criança Cidadã dos Meninos do Coque, formada por meninos e meninas, com idades entre 7 e 15 anos, moradores da comunidade do Coque, bairro carente do Recife, onde são registrados altos índices de violência e o menor Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da cidade.

Diante do ineditismo da atuação, em Exu, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos, apresentou o Concerto para Gonzaga a um público diversificado formado por admiradores do Gonzagão. Na ocasião, os shows de artistas renomados que exaltam o legado deixado pelo Mestre Lua, como o sanfoneiro Dominguinhos, Gilberto Gil e Alcymar Monteiro, atraíram, ao Parque Asa Branca, mais de 50 mil turistas que vieram de várias localidades do País e que estão movimentando todos os setores da economia do pequeno município. Desde o último dia 12, o local vem sendo constantemente visitado.

Com o posicionamento voltado para o desenvolvimento social que Gonzaga pregava em suas composições, o trabalho aposta na inclusão coletiva das crianças que, por meio das melodias, tentam vencer o preconceito. A Orquestra Cidadã dos Meninos do Coque foi criada ainda em 2006, com o objetivo de tirar as crianças e adolescentes do ambiente hostil da comunidade em que eles residem. A luta é pela prevenção da marginalidade e pelo resgate da cidadania, além de dar o pontapé inicial para a formação profissional.

O disco duplo foi gravado ainda em 2011, pela Rede Globo Nordeste. Para elaborar o trabalho, o idealizador do projeto, Alcymar Monteiro, buscou parcerias com Juccy Almeida, um dos fundadores da orquestra Criança Cidadã e com a Organização Não Governamental que tem mesmo nome. Após a elaboração dos arranjos musicais feitas pelo maestro Duda e dos ensaios na sede da orquestra, no Coque, os músicos mirins impressionaram os veteranos, por apresentarem avanços artísticos surpreendentes.

Oportunidade
Com a grandeza do projeto, as crianças da Orquestra Cidadã dos Meninos do Coque tiveram a oportunidade de chegar a palcos representativos, como o do Teatro Guararapes, onde já houve shows de artistas de grande prestígio. Hoje, o grupo é conhecido nacionalmente e já tocou até para o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo Alcymar Monteiro, esse é um dos trabalhos mais representativos de sua carreira. "Esse é um legado que vamos deixar para a cultura. Todo artista deve se preocupar com o lado social e inclusivo de suas obras, como fez Luiz Gonzaga".

Elaborado exatamente para homenagear o Gonzagão em seu centenário, o CD e DVD "Concerto para Gonzaga" foi financiado pelo Governo do Estado de Pernambuco, por meio da Fundação do Patrimônio Histórico e Artístico de Pernambuco (Fundarpe), e teve o apoio logístico da rede Globo Nordeste de televisão. Há 28 anos, Alcymar Monteiro canta músicas do Rei do Baião. O repertório deste disco foi baseado em uma coletânea que ele recebeu das mãos do Mestre Lua, ainda em 1987. O trabalho traz regravações de canções conhecidas como "Asa Branca", "Assum Preto", "A triste partida" e "Juazeiro", regidas por Vittorio Ceccanti e cantadas por Alcymar.

No Cariri, as homenagens ao centenário do Rei do Baião foram encerradas com apresentação da Orquestra Eleazar de Carvalho, com execuções das músicas de Luiz Gonzaga, no Cine Educadora, no Crato. A importância do cantor e músico para o Cariri foi destacada no início da apresentação. "Assum Preto", "Asa Branca", "A Volta da Asa Branca" e outras músicas, que se tornaram clássicos do cancioneiro popular, foram tocadas para um auditório lotado. As pessoas lembravam com emoção as canções do cantor pernambucano. As homenagens a Luiz Gonzaga começaram a ocorrer na região ainda no mês de julho.

As maiores estudiosas da obra artística e os compositores que marcaram a história do baião, xote e xaxado estiveram presentes durante debate realizado pela Universidade Regional do Cariri (Urca). A mesa-redonda "Reflexões sobre a obra gonzaguiana" teve a participação das professoras doutoras Sulamita Vieira e Elba Braga Ramalho, professor mestre Jonas Rodrigues, tendo como mediador o professor doutor da Urca, Edson Martins.

Segundo a reitora Otonite Cortez, o projeto, que também apresentou por seis meses a exposição "(En)cantos: natureza e cultura do Araripe na obra de Luiz Gonzaga o Rei do Baião", teve a finalidade de valorização da cultura, na obra do cantor, como o homem nordestino, as questões relacionadas ao social, a seca, a saudade do retirante.

Reinvenção
Todos esses aspectos foram ressaltados por Sulamita. Para desenvolver o seu trabalho, por três anos, ela ouviu e analisou músicas de Luiz Gonzaga. "Ele mostrou o sertão verdadeiro", disse a professora, ao ressaltar uma reinvenção do Nordeste, em suas peculiaridades, e da forma mais simples.

"Posso dizer que Luiz Gonzaga reinventou o sertão, o Nordeste e um jeito de viver", avalia. Uma missa em ação de graças em alusão ao Rei do Baião foi celebrada na Sé Catedral, no Crato, com a participação do coral da Sociedade de Cultura Artística do Crato (Scac). Em Juazeiro do Norte, também foram realizados shows e celebrações em homenagem ao cantor.

Beneficiados
100 JOVENS são atendidos pela Orquestra Criança Cidadã dos Meninos do Coque (PE). O Projeto do ensino da música promove a inclusão social da garotada.

Fonte: Diário do Nordeste 

Postar um comentário