sábado, 26 de janeiro de 2013

Funceme aponta maior probabilidade de chuvas abaixo da média no Ceará


funcemeO prognóstico oficial para a quadra chuvosa de 2013 no Ceará é de maior probabilidade de chuvas na categoria abaixo da média histórica. A previsão climática foi obtida após estarem reunidos, ontem, em Fortaleza, meteorologistas do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (CPTEC/INPE), da Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme) e dos núcleos de meteorologia dos estados no Nordeste.

Pelo consenso entre os técnicos, nos meses de fevereiro, março e abril deste ano, há uma probabilidade de 45% para as precipitações ficarem abaixo da média. Para a categoria em torno da média, foi apontada uma probabilidade de 35%, e há ainda 20% de probabilidade de chover uma quantidade acima da média no período.

“Sabemos que não é uma notícia boa, principalmente por que tivemos um ano de estiagem em 2012 e poderemos ver esse quadro se agravar. Mas é o que nos apontam os modelos atmosféricos. Para os próximos três meses, as previsões mostram que há um aquecimento na parte norte do Oceano Atlântico. Esse é um quadro desfavorável pra as chuvas no Ceará, pois a convergência de ventos que traz nebulosidade e chuvas nessa época do ano, não deverá descer até o hemisfério sul e atingir o Estado”, explica Eduardo Sávio Martins.

Reunião do Comitê Integrado de Combate à Seca
O anúncio oficial da previsão climática aconteceu na manhã de hoje, 25 de janeiro, durante coletiva de imprensa no Hotel Luzeiros. Logo após a divulgação do prognóstico, foi realizada uma reunião do Comitê Integrado de Combate à Seca, coordenado pela Secretaria do Desenvolvimento Agrário (SDA), para avaliar os impactos que essa perspectiva de poucas chuvas pode causar em setores essenciais, como agricultura e armazenamento de recursos hídricos, e traçar estratégias para diminuir esses impactos. De acordo com o titular da SDA, Nelson Martins, a principal preocupação do Comitê Integrado é com a alimentação animal. “Nós vamos propor ao Governador Cid Gomes que articule com o Governo Federal o envio de uma maior quantidade de milho para o Ceará 300 mil toneladas de milho que serão enviadas para o Nordeste”, afirmou.

O secretário afirmou também que a SDA vai fazer um levantamento dos perímetros irrigados do Ceará para que eles possam produzir reserva alimentar para o rebanho. “Atualmente, nós temos o perímetro irrigado do Mandacaru, em Jaguaribara, que está produzindo forragem e está comercializando a produção no Vale do Jaguaribe e regiões vizinhas”.

Além da SDA, o Comitê Integrado de Combate à Seca possui representantes dos Ministérios do Desenvolvimento Agrário, Desenvolvimento Social e Combate à Fome e das Minas e Energia, além do Exército Brasileiro. Pelo governo cearense, participam as Secretarias de Recursos Hídricos, Cidades, Trabalho e Desenvolvimento Social, e Ciência e Tecnologia, através das vinculadas Funceme, Cagece, Companhia de Gestão de Recursos Hídricos (Cogerh), Superintendência de Obras Hidráulicas (Sohidra), Ematerce e Defesa Civil Estadual, além da Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece), Federação dos Trabalhadores da Agricultura do Ceará (Fetraece) e Federação da Agricultura e Pecuária do Ceará (Faec).

Os órgãos que integram o Comitê formarão um grupo de trabalho para definir as ações de curto, médio e longo prazo que serão apresentadas ao governador Cid Gomes para serem desenvolvidas para a convivência com a seca.

Funceme com modelagem global

As análises das modelagens numéricas feitas pelos meteorologistas tiveram uma novidade neste ano. Durante a reunião climática de ontem, também foi considerado um modelo atmosférico global gerado pela Funceme, único núcleo estadual do Brasil a fornecer esse tipo de informação em escala mundial. O novo produto da instituição foi levado em consideração, assim como os do INMET e CPTEC/INPE.

“O diferencial de um modelo global gerado e rodado na Funceme é que ele nos permite um olhar mais focado no Ceará. É uma nova informação agregada nas análises e discussões dos profissionais envolvidos na elaboração do prognóstico”, explica Eduardo Sávio Martins.

Nova reunião climática em fevereiro

A quadra chuvosa no Ceará é compreendida entre os meses de fevereiro, março, abril e maio. A previsão climática divulgada hoje aponta somente para os três primeiros, isso porque, no fim de fevereiro, haverá, na Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (EMPARN), uma nova reunião climática para apontar um prognostico atualizado, chegando até o fim de maio. As avaliações acontecerão mensalmente em 2013. “Estaremos constantemente monitorando a evolução das condições atmosféricas e oceânicas para enxergarmos possíveis mudanças nesse quadro. Isso aumenta a confiabilidade na nossa previsão”, pondera o presidente da Funceme.

Recursos Hídricos

Presente na coletiva de divulgação do prognóstico, o presidente da Cogerh, Renis Frota, disse que a instituição já se preparava para este cenário de perspectiva de poucas chuvas. “Estávamos torcendo para o melhor, mas também pensamos em uma situação menos favorável, tanto que em 2013 a Cogerh terá o maior orçamento da sua história, de sessenta e um milhões de reais. Além disso, há uma série de atuações no sentido de a gente racionar os fluxos nas bacias. Chama atenção a necessidade de uma melhor gestão nas bacias do Sertão de Crateús e do Curu, onde teremos um grande trabalho de extensão, que nos permitirá racionalizar quem vai tirar, a que volume e em qual momento, para que a gente possa ter uma otimização dos recursos que serão liberados”, informou.

25.01.2013

Assessoria de Comunicação da Funceme
Guto Castro Neto - (85) 8814.4194
Postar um comentário