quinta-feira, 14 de fevereiro de 2013

Arquidiocese lança Campanha da Fraternidade

O objetivo principal da iniciativa em 2013 é motivar os jovens o amor a Deus e ao seu semelhante
Com o tema "Fraternidade e Juventude", a Campanha da Fraternidade (CF) de 2013 foi lançada na tarde de ontem, no Centro de Pastoral Maria, Mãe da Igreja, trazendo, neste ano, o lema "Eis-me aqui, envia-me!". Na ocasião, o arcebispo de Fortaleza, dom José Antônio, disse que o tema foi escolhido por valorizar e incentivar a força dos jovens. Neste ano, o Brasil recebe a Jornada Mundial da Juventude (JMJ), que ocorrerá no Rio de Janeiro, em julho.

Na ocasião, o arcebispo de Fortaleza, dom José Antônio, disse que o tema foi escolhido por valorizar e incentivar a força dos jovens. O tema também está ligado à Jornada Mundial da Juventude, que será no Brasil FOTO: JOSÉ LEOMAR


"A cada ano é definido um tema com o qual a solidariedade e fraternidade é trabalhada. Dessa maneira, acreditamos que os jovens são peças fundamentais para uma sociedade melhor e mais justa", disse o sacerdote, lembrando que, em 2013, a Campanha completa 50 anos.

O texto-base da CF 2013 é "acolher os jovens no contexto de mudança de época, propiciando caminhos para o seu protagonismo no seguimento de Jesus Cristo, na vivência eclesial e na construção de uma sociedade fraterna fundamentada na cultura da vida, da justiça e da paz".

Ainda de acordo com o arcebispo, a Campanha acontece por meio de encontros e momentos de celebração nas comunidades, paróquias e catedrais da Capital, onde os participantes são ouvidos, acolhidos e estimulados a agir de acordo com a Palavra de Deus, amando e servindo ao próximo. "A Campanha é um momento de diálogo com toda a sociedade. É, acima de tudo, um encontro que reúne membros da Igreja Católica, mas que abre os braços para todas as pessoas".

Construção
O arcebispo destaca que a CF visa auxiliar diversos campos da convivência social, além disso, ele afirma que é de responsabilidade dos jovens a construção de um mundo mais fraterno e justo. A ideia, conforme dom José Antônio, é agregar o maior número de pessoas no conhecimento da Palavra de Deus para fortalecer a possibilidade de transformação. "A juventude é muito criativa e sempre apresenta novas ideias. É ela que possui a força que pode ajudar a solucionar muitos problemas", disse.

Joilson de Souza Toledo, representante da Pastoral Nacional da Juventude, acrescenta que o tema "Fraternidade e Juventude", entre outros pontos, abordará três realidades vistas na juventude atual: o temor quanto ao desemprego, o medo de morrer precocemente e o mundo conectado. "É na juventude que percebemos a transformação do mundo. Entender e dialogar com os jovens significa estar aberto ao que o mundo tem de bom para nos oferecer, mas sem deixar a Palavra de Deus em segundo lugar", aponta.

Para os representantes da CF em Fortaleza, a Campanha não abrange somente a parte espiritual, mas está ligada também ao empenho na área social. A união dessas duas bases, para o coordenador de políticas públicas para a juventude do governo do Ceará, Esmênio Bezerra, é fundamental para que haja uma transformação na juventude local e nacional. Bezerra reconhece, ainda, que somente investimento no lado social não é suficiente, se os jovens estiverem espiritualmente carentes.

Futuro
"A juventude está preocupada em construir o futuro, o que é muito bom. Mas, antes disso, é preciso viver o presente com vida e direitos", opina. Com um tema que aborda os mais novos, não faltam jovens estusiasmados em aprender e trabalhar para que a Campanha da Fraternidade seja um sucesso. Um deles é Lucas Guerra, coordenador do setor de juventude da Arquidiocese. Para Guerra, é motivo de muita alegria ter a juventude em evidência na edição de 2013.

Ele conta que os desafios são muitos, mas com o apoio de todo o Corpo de Cristo, espera contribuir para a transformação dos jovens de Fortaleza e do Brasil.

Cristãos celebram início da Quaresma
Durante a homilia, o arcebispo chamou atenção para a caminhada que visa à celebração da paixão, morte e ressurreição de Jesus Cristo FOTO: TUNO VIEIRA
Quaresma é tempo de reflexão e de preparação espiritual durante os 40 dias que antecedem a Páscoa e para celebrar o início do período, milhares de pessoas compareceram, na noite de ontem, à missa de quarta-feira de cinzas na Catedral Metropolitana, presidida pelo arcebispo de Fortaleza, dom José Antônio Aparecido Tosi Marques. Na celebração eucarística, os fiéis receberam as Cinzas simbolizando o pedido de perdão.

No dia seguinte ao Carnaval, o público lotou os bancos do templo, o que não foi um empecilho para aqueles que não conseguiram lugar para sentar, passando a ocupar, assim, cadeiras próprias ou até mesmo o chão para não perder nenhum momento da celebração. É o caso do técnico em máquinas Alex Araújo, de 34 anos, que mesmo sentado no piso da Catedral, não abdicou dos momentos de louvor e de receber a Palavra de Deus.

Frequentador assíduo das celebrações eucarísticas, ele afirma buscar durante a Quaresma algum tipo de penitência, com o objetivo de, assim, seguir para algum propósito maior. "Para mim, é um momento de renovação. É tempo de expressar o meu amor a Deus", ressalta.

A dona de casa Jeane Mary, de 42 anos, participa da celebração de que homenageia início da Quaresma há 18 anos e, atualmente, procura sempre levar os filhos pequenos para vivenciarem o mesmo caminho. "Para mim, é um tempo de penitência, reflexão, mergulhar em todo o caminho que Jesus fez em busca da salvação. A própria liturgia da Igreja nos leva a mergulhar nesse sentido", destaca.

Dom José Antônio, acompanhado de quatro sacerdotes e cerca de 30 seminaristas, enfatizou que a quarta-feira de cinzas, de acordo com a liturgia, é a grande convocação à conversão, importante, pois vem depois de uma festa de exaltação e que mostra que nós somos grandes.

Durante a missa, o público recebeu as cinzas em forma de sinal da cruz, como uma amostra de penitência, de conversão e de mudança de vida.

Ressurreição
Durante a homilia, o arcebispo chamou atenção para a caminhada que visa a celebração da paixão, morte, e ressurreição de Jesus Cristo. "É nesse momento que pulsa o sangue da vida nova, o dom do Espírito Santo, que depois é derramado no coração das pessoas. É a fonte de onde jorra para nós a vida nova, de sermos transformados, de nascer de novo, por isso a Quaresma é um tempo de preparação e renovação, da graça do batismo. O tempo da Quaresma nos chama a uma mudança de direção de vida, de renovarmos nosso compromisso e atualizarmos os compromissos da nossa fé", destaca.

LÍVIA LOPES
REPÓRTER
Postar um comentário