sábado, 23 de fevereiro de 2013

Funceme mantém previsão abaixo da média histórica



Atualização do prognóstico da quadra não tem maiores alterações com relação ao divulgado em jane
Fortaleza. As chuvas para o período de março, abril e maio deste ano tendem mais a ser abaixo da média histórica do Estado. A avaliação foi divulgada, ontem, pela Fundação Cearense de Meteorologia (Funceme), numa atualização de prognóstico, tendo como parâmetro o divulgado em janeiro passado.

Com isso, não houve maiores alterações com relação à última análise. Mesmo neste mês tendo uma soma pluviométrica superior as da pré-estação, também ficou abaixo da média. Do dia primeiro a 21 passados, choveu cerca de 68 mm em todo o Estado, o que representou um desvio negativo de 40%, com a relação à média histórica, que é de 112,8mm.

A meteorologista Deysiane Quaresma informou que houve uma melhora no quadro de chuvas durante este mês. No entanto, a zona de convergência intertropical que prepondera na quadra da região encontra-se agora afastada da região.

Veranicos
Do mesmo modo, Deysiane informou que a previsão de chuvas para as próximas horas deverá ocorrer de forma isolada, atingindo a faixa litorânea cearense. "As chuvas no Ceará se comportam de forma bastante irregular, tanto no aspecto espacial quanto temporal", disse.

A meteorologista observa que essa situação explica porque os veranicos deverão atuar na quadra, entendidos como períodos chuvosos interrompidos por hiatos prolongados de estiagem. Lembrou que uma nova atualização deverá ser divulgada pela Funceme em março próximo, em data ainda a ser estabelecida. Pelo quadro de chuvas caídas nos primeiros 21 dias deste mês, a maior pluviometria ocorreu no Litoral Norte, com 95mm, enquanto que a média é de 127,8mm, representando um desvio de 25% negativos. A mais baixa pluviosidade aconteceu no Sertão Central e Inhamuns 42, enquanto a média histórica é de 89,3mm, representando uma variação negativa de 52%. A divulgação do prognóstico atualizado deu-se após a reunião dos técnicos do Instituto Nacional de Meteorologia (INMET), do Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (CPTEC/INPE), da Funceme e dos núcleos de meteorologia dos estados no Nordeste, para atualizar o prognóstico de chuvas para a Região.

O encontro aconteceu na Empresa de Pesquisa Agropecuária do Rio Grande do Norte (Emparn), em Natal, e, segundo consenso dos meteorologistas, a previsão climática para os meses de março, abril e maio no Semiárido Nordestino, incluindo o Estado do Ceará, aponta probabilidade de 40% para as precipitações ficarem abaixo do normal.

Para a categoria em torno da normal, foi apontada uma probabilidade de 35%, e há ainda 25% de probabilidade de chover uma quantidade acima da normal no período. Para chegar a essa conclusão, os meteorologistas analisaram assim as condições termodinâmicas dos oceanos, principalmente o Atlântico, e da atmosfera, na comparação com janeiro. Os meteorologistas são unânimes em descartar a influência de fenômenos como El Niño ou La Niña, que agem no Oceano Atlântico.

Comparação
No dia 25 de janeiro, a Funceme havia divulgado probabilidade de 45% de chuvas abaixo da normal, diferente dos 40% divulgados hoje. Essa diferença se deve a dois fatores, o primeiro foi a leve melhora nas condições do Oceano Atlântico e o segundo é o fato de que as duas previsões apontam para períodos diferentes. Em janeiro, abrangia os meses de fevereiro, março e abril, e o de fevereiro se refere aos meses de março, abril e maio.

Assim como aconteceu em janeiro, também foi considerado um modelo atmosférico global gerado pela Funceme, único núcleo estadual do Brasil a fornecer esse tipo de informação em escala mundial. O novo produto foi analisado assim como os modelos do Inmet e CPTEC/INPE.

Mais informações:
Funceme
Avenida Rui Barbosa, 1246 - Aldeota, Fortaleza
Telefone: (085) 3101-1088
http://www.funceme.br/

MARCUS PEIXOTOREPÓRTER
Postar um comentário