terça-feira, 26 de fevereiro de 2013

Obras de transposição do Rio São Francisco são retomadas no Ceará

Obras estavam paradas há dois meses.
Previsão de conclusão da obra é para setembro de 2014.

Do G1 CE
As obras de transposição do Rio São Francisco foram retomadas no início desta semana, no município de Jati, a 526 km de Fortaleza. As máquinas do Governo Federal já trabalham no primeiro lote da transposição do território cearense. Depois de meses paralisada a obra recomeçou.
O diretor de recursos hídricos de Jati, Juarez Nogueira Filho, afirma que os trabalhos estão em lentos. “Mesmo com a volta das obras, elas caminham lentamente. O que é ruim para o Estado. Acredito que não tenha 100 pessoas trabalhando lá", afirmou o diretor.
O trecho da obra faz parte do eixo norte da transposição do Rio São Francisco. O extremo sul do Ceará é um local estratégico. O reservatório de Jati é o primeiro que vai receber as águas do Rio São Francisco.  A transposição deveria estar pronta desde o ano passado. No entanto, o prazo aumentou para três anos e o valor das obras cresceu 80%. O projeto básico orçado em R$ 4 bilhões já ultrapassa a casa dos R$ 8 bilhões. Segundo o Ministério da Integração Nacional a previsão, é que a obra seja concluída em setembro de 2014 ou janeiro de 2015.
Os moradores de Jati estão esperançosos de ter as águas do Rio São Francisco na região. "Nós dependemos muito da agricultura para sobreviver. O inverno é muito fraco e essas águas vai nos ajudar bastante", afirmou o agricultor José Ailton Gomes.
Cinturão das águas
O Cinturão das Águas será o sistema de canais que conduzirá as águas do São Francisco para  93% do território cearense.  Após a conclusão da primeira parte, o Governo do Estado prevê a construção de uma segunda etapa. O investimento total para todo o projeto é de R$ 7 bilhões.
O cinturão será formado por um canal principal que vai margear a Chapada do Cariri, no sentido leste-oeste, para, em seguida, com direção sul-norte, atravessar as bacias do Alto Jaguaribe e Poti-Parnaíba, atingindo a bacia do Rio Acaraú. A previsão é de que a integração disponibilize 45 mil metros cúbicos de água por segundo para o Ceará.

 

Postar um comentário