quarta-feira, 13 de março de 2013

Com seca, animais são abandonados nas ruas no interior do Ceará

Proprietários de fazendas não possuem condições de manter os animais.
Com isso, os centros de zoonoses de cidades do interior estão lotados.

 


A pior seca do Ceará dos últimos 40 anos traz consequências além dos prejuízos no agronegócio. Nas cidades da região Cariri, no Sul do Ceará, há um grande número de animais abandonados nas ruas. No Centro de Zoonoses de Juazeiro do Norte é possível encontrar facilmente cavalos e cães resgatados.
No entanto, as apreensões estão reduzidas porque a carrocinha, que retira os animias das ruas, não está funcionando, segundo a diretora do Centro de Zoonoses de Juazeiro do Norte, Ivânia Neri. “Nossos carros tiveram um problema e neste momento estamos apenas com uma parceria com a 21ª Séries para animais de pequeno e grande porte”, disse.
No Centro de Zoonoses do Crato há o mesmo problema. A entidade teve aumento com gastos na alimentação. Na terça-feira (12) foram apreendidos 12 cavalos e um garrote, abandonados por agricultores que não tinham condições de criá-los, segundo o diretor do centro, Ricardo Martin. “Eu acredito que 30% do gado que é apreendido e levado para cá são de donos de fazendas que não possuem condições de mantê-los”, diz.
De acordo com  Centro de Zoonoses do Crato, existe uma legislação que prevê a permanência do animal  do curral da instituição por três dias. Mas a situação climática é tão grave que já foi feito outro curral que já lotou.
Postar um comentário