terça-feira, 19 de março de 2013

Em missa inaugural, Papa Francisco pede pelos pobres e pelo ambiente

Pontífice saudou milhares de fiéis em carro aberto na Praça de São Pedro.
Cardeal argentino Jorge Bergoglio foi eleito pontífice na semana passada.

 

O Papa Francisco apelou nesta terça-feira (19) pela defesa dos pobres, dos idosos, dos mais fracos e do meio ambiente, na homilia da missa solene que marcou o início oficial de seu pontificado.
Ele afirmou que a liderança da Igreja Católica Apostólica Romana e de seus 1,2 bilhão de fiéis deve ser um "serviço humilde", acolhendo a todos, e principalmente aos mais pobres.
No sermão na Basílica de São Pedro, no Vaticano, o primeiro Papa latino-americano pediu respeito "a todas as criaturas vivas e ao ambiente que nos cerca".

"Peço a todos aqueles que ocupam papel de responsabilidade nos meios econômico, politico e social, a todos homens e mulheres de boa vontade, para que cuidem da criação. Do desenho de Deus na Natureza. Cuidem um do outro, do meio ambiente", disse.
O pontífice citou São Francisco de Assis, padroeiro do meio ambiente e inspirador de seu nome papal.
O Papa recordou seu "venerado predecessor", Bento XVI, o primeiro pontífice da era moderna que renunciou ao cargo, mencionou também João Paulo II e pediu aos membros da Igreja que se inspirem em São José, o santo do dia 19 de março, "um homem forte, corajosos e trabalhador", mas de "grande ternura".
Ele afirmou que seu ministério, como chefe da Igreja Católica, é "cuidar das pessoas, principalmente dos mais pobres".
O pontífice, primeiro jesuíta a exercer o cargo, também apelou aos fiéis e principalmente às pessoas em postos de comando para que não deixem que os "sinais de destruição" dirijam o mundo.
"Vamos lembrar que o ódio, a inveja, a soberba sujam a vida", afirmou o pontífice. "Cuidar, então, significa vigiar nosso sentimento, nosso coração, porque é dali que vem as coisas boas e as más intenções. Aquelas que destroem e aquelas que constroem."
Francisco terminou a homilia pedindo a intercessão da Virgem Maria, de São José, de São Pedro, São Paulo e de São Francisco, para que o Espírito Santo acompanhe o seu ministério.
Anel e pálio
Durante a missa, o pontífice recebeu o anel do pescador e o pálio, -longo manto de lã branca com seis cruzes, que pertenceu a Bento XVI-, símbolos da autoridade papal.
Após a cerimônia, começou o tradicional "beija mão", em que membros de delegações de 132 países e líderes religiosos de todo o mundo fizeram fila para cumprimentar o pontífice.
A cerimônia demorou cerca de uma hora e meia.
Entre os chefes de Estado presentes no Vaticano, estava a presidente brasileira Dilma Rousseff.
Saudação aos fiéis
Antes da missa, o novo pontífice, de 76 anos, saudou os milhares de fiéis que lotavam a Praça de São Pedro, no Vaticano, diante da Basílica, para acompanhar a cerimônia.
A bordo do papamóvel versão "jipe", sem cobertura, Francisco chegou por volta das 8h50 locais (4h50 de Brasília), segundo a repórter do G1.
Papa Francisco recebe o anel do pescador (Foto: Alberto Pizzoli/AFP)Papa Francisco recebe o anel do pescador (Foto: Alberto Pizzoli/AFP)
Sorridente, ele saudou a multidão, que acenava bandeiras de vários países, e desceu do papamóvel para cumprimentar fiéis, antes de entrar na Basílica de São Pedro para oficiar a missa.
O cardeal argentino Jorge Mario Bergoglio foi eleito na semana passada, pelo conclave de cardeais, como o 266º Papa da Igreja Católica, após a renúncia, surpreendente, do agora Papa Emérito Bento XVI.
Bergoglio, que adotou o nome de Francisco, é o primeiro papa latino-americano da história, além do primeiro sacerdote da Ordem dos Jesuítas a chegar ao cargo.
O Papa Francisco acena para a multidão nesta terça-feira (19) na Praça de São Pedro, no Vaticano (Foto: AFP)O Papa Francisco acena para a multidão nesta terça-feira (19) na Praça de São Pedro, no Vaticano (Foto: AFP)
O policiamento foi reforçado no Vaticano e na cidade de Roma durante o evento.
Postar um comentário