sábado, 22 de junho de 2013

CNBB descarta alterações na Jornada da Juventude por protestos

Dom Raymundo Damasceno diz que há tranquilidade para visita do Papa.
Entidade católica se reuniu nesta sexta com a presidente Dilma Rousseff.


Após reunião com a presidente Dilma Rousseff nesta sexta-feira (21), o presidente da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), Dom Raymundo Damasceno Assis, disse não estar preocupado que as manifestações atrapalhem a realização da Jornada Mundial da Juventude, evento católico que reunirá milhares de jovens de várias partes do mundo no Rio de Janeiro. A programação da jornada, afirmou, está mantida.

O cardeal afirmou que “uma ou outra manifestação que possa ocorrer” será “normal”. “Isso tem ocorrido em outros países nessa mesma ocasião”, disse. A Jornada Mundial da Juventude ocorre a cada dois ou três anos, sempre em um local diferente do mundo. Nesta edição, no Rio de Janeiro, será de 23 a 28 de julho.
Dilma Rousseff recebe Dom Raymundo Damasceno Assis e Dom Frei José Belizário da Silva, presidente e vice da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)Dilma Rousseff recebe Dom Raymundo Damasceno Assis e Dom Frei José Belizário da Silva, presidente e vice da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) (Foto: Roberto Stuckert Filho/PR)


“Não estou preocupado porque tudo está correndo normalmente, não vamos evidentemente fazer nenhuma modificação tanto na programação quanto na data da realização da jornada”, declarou Dom Raymundo após reunião com Dilma Rousseff, no Palácio do Planalto.

Mais cedo, o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Gilberto Carvalho, disse que a jornada poderá ocorrer “num clima em que esteja ocorrendo manifestações”. A declaração foi feita durante reunião com os organizadores do evento, no Planalto.
A presença do Papa Francisco, de acordo com Dom Raymundo, também está mantida. “Com relação também à visita do santo padre, há uma tranquilidade”, disse.

A presidente Dilma, segundo o cardeal, garantiu a segurança do evento, que tem previsão de reunir 2 milhões de pessoas, sobretudo jovens. “É claro que ela [Dilma] vai nos garantir [segurança] porque se trata de um evento muito grande, um acontecimento”, afirmou.

“O governo, seja federal, seja municipal, tem essa missão, tarefa, de guardar e garantir a segurança daqueles que vão participar da jornada ,de modo que nós temos a certeza de que os jovens que participarão da jornada serão muito bem acolhidos”, declarou o cardeal.
Postar um comentário