terça-feira, 23 de julho de 2013

Morre uma Estrela

Morre mais um bocadinho
Da musica de verdade
Da poesia mais pura
Transcrita em oralidade
Vai em Paz ó Dominguinhos
deixara muita saudade

72 anos de luta
De forro e de Baião
De estilos mais diversos
De tanta composição
Sempre tendo a sanfona
Por sua inspiração

Cabra lá de Garanhuns
aos 16 Abençoado
dito pelo próprio rei
pra levar o seu legado
e com essa honraria
não se fez-se de rogado

O tom Jobim do sertão
Incrível compositor
Mostrou a MPB
A sanfona o seu valor
E chegando de mansinho
De Grammy foi ganhador

E o filho de Chicão
Hoje fez a despedida
Foi tocar no paraíso
Sua valsa merecida
Abraçou a eternidade
dando adeus a essa vida

Sei que lutou bastante
Batalhou tão bravamente
Também sei que o seu legado
Nunca vai estar ausente
Foi um filho tão ilustre
De um nordeste carente

Artista de repertorio
Sanfona internacional
Agora esta tocando
Num palco celestial
De lembrança ao mestre lula
Que a saudade é sem igual.


(Wilton Silva)
Postar um comentário