terça-feira, 30 de julho de 2013

Músicos e amigos de Dominguinhos celebram missa em Fortaleza

Celebração acontece na Paróquia da Igreja do Otávio Bonfim.
Sanfoneiro cearense Waldonys que era amigo íntimo de Dominguinhos. 

 

Gioras Xerez Do G1 CE
Dominguinhos durante show em 13 de dezembro de 2012, em Exu (PE), terra natal de Luiz Gonzaga, na comemoração do centenário. (Foto: Luna Markman / G1 PE)Dominguinhos durante show em dezembro de 2012,
em Exu (PE) (Foto: Luna Markman / G1 PE)
Amigos e admiradores de Dominguinhos vão se reunir em uma missa de sétimo dia do músico, nesta terça-feira (30), às 19h, na Paróquia da Igreja do Otávio Bonfim, no Bairro Otávio Bonfim em Fortaleza. A missa é organizada pelo músico e sanfoneiro cearense Waldonys que era amigo de Dominguinhos.
Sobre a celebração, Waldonys falou, ainda emocionado, que trata-se de uma homenagem para aquele que foi ao lado de Luíz Gonzaga o maior sanfoneiro do Brasil. "É uma singela homenagem para um irmão, amigo, conselheiro e músico Dominguinhos. Vão estar presentes na missa vários amigos dele como os músicos Adelson Viana e Fausto Nilo. Será um momento para lembrarmos o quanto ele foi importante para cada um de nós e para a cultura brasileira", afirmou Waldonys.
Amizade e último encontro
Waldonys afirmou que a última vez que esteve com o músico, foi durante a homenagem aos 100 anos de Luiz Gonzaga, em Exu, Pernambuco. "Eu participei das festividades do centenário do Rei do Baião em dezembro de 2012. O Dominguinhos tocou numa segunda-feira, dia 12 de dezembro, e eu no dia seguinte, na terça-feira. Conversamos muito e colocamos o papo em dia. Ele estava feliz e animado com as festividades. Foi o último show dele", contou.
Waldonys (Foto: Tiago Pedro)Waldonys conheceu Dominguinhos ainda criança em
1983, durante um show de forró (Foto: Tiago Pedro)
Waldonys ainda lembrou como conheceu Dominguinhos. Segundo o sanfoneiro cearense o encontro ocorreu em 1983, quando Waldonys tinha apenas 11 anos. "O primeiro encontro aconteceu quando eu era uma criança. Foi em um show em Mossoró, Rio Grande do Norte. Ele me viu tocando e gostou do meu estilo. Depois desse dia jamais perdemos contato. Sempre viajava com ele e foi durante essas viagens que conheci Luiz Gonzaga e outros artistas. Devo minha carreira ao Dominguinhos e por isso que até hoje sinto sua morte", diz Waldonys emocionado.
Dominguinhos lutava contra um câncer de pulmão havia seis anos. Ao longo do tratamento, ele desenvolveu insuficiência ventricular, arritmia cardíaca e diabetes. Dominguinhos faleceu aos 72 anos na última quarta-feira (24)  em decorrência de complicações infecciosas e cardíacas, no hospital Sírio-Libanês, em São Paulo, onde estava internado desde 12 de janeiro.
Dominguinhos
Instrumentista, cantor e compositor, Dominguinhos ganhou em 2002 o Grammy Latino com o “CD Chegando de Mansinho”. Ao longo da carreira, fez parcerias de sucesso com músicos como Gilberto Gil, Chico Buarque, Anastácia e Djavan.
Ainda criança, Dominguinhos tocava triângulo com seus irmãos no trio “Os três pinguins”. Quando ele tinha 8 anos, foi “descoberto” por Gonzagão ao participar de um show em Garanhuns. A “benção” lhe foi dada pelo rei do baião quanto tinha 16 anos.
Postar um comentário