quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Último adeus a Nelson Mandela

Johanesburgo. Dominados pela emoção, milhares de sul-africanos deram seu último adeus, ontem, ao herói nacional Nelson Mandela, com a fila para se curvar diante de seu corpo alcançando um quilômetro durante a tarde.

Militares carregam a o caixão de "Madiba", em Pretória. O corpo do ex-presidente da África do Sul chegou ontem à capital, onde será velado Foto: reuters
Muitas pessoas compararam a cena com as enormes filas formadas em frente aos locais de votação nas primeiras eleições democráticas pós-apartheid no país, em 1994, que levaram Mandela ao poder.

No grande anfiteatro ao ar livre no Union Buildings, a sede do governo, o mesmo onde Mandela foi empossado como presidente, os sul-africanos passaram, um por um, em um fluxo lento, mas constante, pelo caixão aberto revelando o rosto e o busto do pai da África do Sul moderna. Os visitantes, muitos dos quais à espera desde a madrugada, oravam e agradeciam em silêncio. Outros, brutalmente atingidos pela realidade da perda, choravam ao lançar um último olhar para o líder.

Primeiros da fila

No final da manhã, os líderes estrangeiros e as personalidades estavam entre os primeiros da fila depois da família. Em lágrimas, Graça Machel, a viúva de Mandela, permaneceu por um longo tempo ao lado do caixão. O cortejo fúnebre o conduziu até a sede do governo.
Postar um comentário