sexta-feira, 24 de janeiro de 2014

Nota de Falecimento de Dr. Iari Gomes Lacerda

Nota de falecimento.


A família de Dr. Iari Gomes Lacerda em luto comunica o seu falecimento. Ocorrido hoje às 16:00 horas. O corpo será velado em sua residência. O sepultamento e missa serão às 16:00 horas do dia 25/01/2014 no cemitério do Crato.

Iari, estamos hoje aqui para lhe prestar essa última homenagem, saiba que nossas vidas não seria tão boas se não fosse pela sua presença. Todos nós nos orgulhamos a cada dia de termos tido você como o nosso pai, marido, tio, primo, sogro e amigo do seu jeito alegre ao mesmo tempo responsável. Se no nosso mundo tivéssemos mais Iaris com certeza seria um mundo totalmente diferente.

Te amamos muito,
Laice, Marco, Melina, Yuri, Marcos Antônio, Thially, Sabrina, Eduardo, Todos os familiares e amigos.


Biografia de Iari Gomes Lacerda

Nasceu em Santana do Cariri ao dia 30 de Maio de 1941 em frente à praça da prefeitura daquele município. Filho de João Ajury de Lacerda e Lídia Gomes de Lacerda. Ele filho de Luis Furtado de Lacerda e Maria do Carmo de Lacerda, ela filha de Manoel Gomes de Oliveira e Ana Gomes Linard. No lado materno de origem italiana e já no lado paterno de origem espanhola. Em uma família de treze irmãos: Clóvis, Luís, Joary, Ajury, Manoel Ary, João Luzary, Mariene, Iariene, Liariene, Luciene e Lidiene.

Teve um parto difícil e em consequência, foi levado às pressas para o Crato, onde foi  medicado e retornou com saúde, graças a sua madrinha D.Celi Aquino de Lacerda,vida livre e solta; povoada de brincadeiras, banhos de rios, catequese aos domingos e jogos de bolas.

Teve sua educação iniciada nas escolas reunidas de Santana do Cariri, e depois estudou com Lazuli de Queiroz. Em seguida, veio para o Crato seguir com os estudos no Colégio Estadual Wilson Gonçalves e no Colégio Diocesano do Crato, no tempo referências em ensino de qualidade. Onde teve uma adolescencia frequentando a escola e o cinema da época. Participou de movimentos políticos na época, ajudando a eleger o presidente da UNE do Crato.

Concluiu o terceiro ano com conceitos máximos nas disciplinas de física e química. Seguiu os estudos em recife, na Universidade Federal de Pernambuco (UFPE), onde obteve o segundo lugar para ingressar no concorrido curso de Odontologia em 1964. Morava inicialmente na Rua Conde da Boa Vista região central de recife, ia aos cinemas, festas na faculdade e no náutico, próximo  sua residência. Em seguida residindo nos seguintes locais: Rua do Príncipe, Rua da Aurora e por último, na Rua da Hora (no bairro espinheiro). Pertencia a equipe de natação e de remo. Morou em Recife até o ano de 1968. Morando em recife no período da ditadura brasileira, onde havia vibrado pela revolução, imaginando uma retirada dos corruptos do poder, porém, viu que ao passar dos anos estes ganharam força ao se adaptarem com a revolução, aumentando ainda o poder. Não havia violência em Recife no período de roubos ou assassinatos. Recorda que na época havia repressão militar para os que se manifestassem contrários a ditadura. Porém, se não houvesse manifestações, poderia-se levar uma vida tranquila. Foram bons anos, onde se destacou no segundo ano, numa classificação que havia a cada decênio, recebendo um diploma de honra ao mérito, sendo o evento televisionado pela rádio universitária, em uma festa muito bonita.

Ao retornar de Recife no final do ano de 1968, após a sua formatura, montou consultório no Centro do Crato, tendo tirado um mês de férias para o descanso.  O primeiro consultório foi na Rua Dr. João Pessoa, onde hoje é parte da Loja Tomás Osterne. Em seguida, montou consultório vizinho ao Cassino Sul Americano, na praça Siqueira Campos. Por último, comprou um prédio situado a Av. Tristão Gonçalves, 508, conhecida também por Rua da Vala, endereço onde exerce a profissão até os dias atuais. Naquela época, juntamente de seus amigos (Irismar Lucena, alguns da família Peixoto, dentre outros) iam para os bailes da época e para os conhecidos banhos na nascente do Crato, onde na época era um lugar bastante apreciado pelas famílias caririenses. Também participava de vários campeonatos de vôleibol com os seus amigos, vindo a ganhar diversos troféus.

Conheceu a sua esposa Maria Laice no próprio consultório, quando a irmã dela a Srta. Maria de Fátima a levou para realizar um tratamento odontológico onde se encantou pela bela jovem de olhos azuis. Filha do Sr. Aurélio Liberalino de Menezes e da Sra. Maria Teresinha de Menezes. Sendo ele um renomado político da cidade de Farias Brito, na época prefeito da cidade. Onde após isto iniciou o namoro. Namorou durante três anos, vindo a realizar o pedido de casamento aos pais em Farias Brito em Dezembro de 1973. Com a autorização dos pais dela, estes foram a cidade de Santana do Cariri para consultar os pais dele para saber se eram de acordo. Vindo o casamento a se realizar no dia 16 de Fevereiro de 1974 na igreja matriz de Imaculada Conceição. Após o casamento, ouvia-se altíssimos sons vindos de bombas que os seus amigos Marcelo, Valdir (in memoriam) e Luciano acendiam para comemorar o matrimônio. Foram passar a lua de mel em Brejo das Freiras e em Recife

Após a cerimônia de casamento vieram residir no bairro Pimenta, em Crato, vizinho a sua atual residência. Da união do casal foram gerados três filhos: Marco Aurélio, Melina e Yuri. O primeiro é médico especialista em ortopedia e traumatologia. A filha é terapeuta ocupacional e o outro filho, Yuri, é mestre em Ciência da Computação e atua como professor do ensino técnico e superior. Sempre sendo um exemplo para os seus filhos de homem dedicado ao trabalho, à família e as causas sociais. Mostrou desde cedo à todos os filhos a importância do estudo, nunca medindo esforços para oferecer uma educação de primeira qualidade para seus filhos, matriculando estes nos melhores colégios do Crato e, posteriormente, da capital Fortaleza. Marco Aurélio e Melina seguindo os estudos em universidades em Fortaleza e Yuri em Campina Grande, Paraíba.

Sempre mostrou solidariedade aos mais carentes. Há mais de 15 anos promoveu anualmente, juntamente com sua esposa, o Natal do Sítio Patarábia, onde fez doações de alimentos para as famílias e de brinquedos para as crianças. Além de disseminarem a palavra de Deus e de promover o amor e a paz para aqueles que o circula. Fazia parte do grupo EJC da paróquia nossa senhora de Fátima. Exerceu por mais de 44 anos sua profissão.

O seu maior lazer era ir para os seus sítios (Patarábia, Carneiro e o Gavião) cuidar de seu gado e das suas plantações. Dentre os sítios, a Patarábia, com certeza foi o seu destino predileto, onde falava para todos que o significado do nome é “Fim das Raivas”. Nos sítios, cuidava de bovinos e das plantações de banana e côco.


Postar um comentário