sábado, 20 de dezembro de 2008

SEM SONHOS, E HOMENS HONESTOS NÃO TERIAMOS CRESCIDO TANTO

Terra de sonhos e sonhadores


Já andei por muitas terras
De sonhos e sonhadores
Eu vi espinhos nos vales
E em pedras brotarem flores
Vi homens escravizados
Mais felizes que os senhores.

Terras de muitos artistas
Atrizes e grandes autores
De muitos homens guerreiros
Que se tornaram vencedores
Patriotas como eu,
De sua pátria defensores.

Mas nenhuma destas terras
De sonhos e sonhadores
Compara-se a minha terra
Na soma de seus valores,
Na alegria do meu povo
E na coragem dos lavradores.

Terra de mulheres valentes
E homens trabalhadores
Violeiros, cordelistas
Humoristas e trovadores
Onde o caboclo repentista
Cantam a vida e seus amores.

Falo do meu Ceará
E onde quer que eu vá
Defenderei suas cores.
E do meu Farias Brito
Sempre serei o grito
Da terra de meus amores.

Em cada verso que faço
Descrevo cada pedaço
Da terra onde vivi,
Pois o meu Farias Brito
Tem o sol mais forte e bonito
De todos que eu já vi.

No ano de inverno bom
As matas mudam de tom
E os pássaros voam nos céus
E o sertanejo valente
Alegre e sorridente
Cantando agradece a Deus.

A chuva mata a sede
Do mato que fica verde
E do verde que vira luz.
Sem falar na exuberância
Do glamour e da elegância
Das enchentes do Carius.

Quando há seca é um inferno
Mas no ano que tem inverno
Falar a verdade é preciso,
Com indescritível beleza
Minha terra com certeza
Transforma-se em um paraíso.





Francis Gomes
tchekos@ig.com.br
(011) 47490384/76154394
Postar um comentário