sábado, 7 de fevereiro de 2009

Enquanto a Terra chora, o Céu se abre em festa.


Antonio Almeida partiu.

Vai deixar na Terra, principalmente no velho Quixará,
um vazio que não se pode mensurar, pois as virtudes
estão acima de qualquer juízo.

Herdou e deixou como herança, uma limpeza de caráter
só comparável, as que costumamos atribuir aos santos.

Na vida fez uma caminhada, onde a paz era
a sua principal imagem, e a sua mansidão era
a sua marca registrada.

Sorriso largo nos olhos sabia como ninguém,
transmitir um sentimento de confiança
que o fazia ímpar entre todos que o conheciam,
tendo deixado para a memória de Farias Brito,
toda a pureza que carregava na alma.

Ficamos por demais tristes, mais entendemos
que a nossa passagem, faz parte das regras
que nos foram impostas aos chegarmos a essa vida.

A comitiva angelical o estará esperando,
e sabemos que o seu aceno lá de cima, vem apenas
acompanhado de um " Até breve " .

Daqui de baixo só nos resta desejar " Boa viagem ",
e que o Céu o receba com todas as honras,
de braços abertos.
Postar um comentário