segunda-feira, 3 de março de 2008

O Cariús que enchia nossos olhos.

Passeio de canoa de Enoch, Carmosina, e filhos, pelas águas do Rio Cariús
O rio Cariús tem um simbolismo muito especial,
em todos os ribeirinhos que tiveram no passado
não muito distante, um contato mais presente,
e mais afetivo com a sua trajetória.
Numa história escrita como a de qualquer grande rio,
carregando fatos e personagens, o Cariús teve
seus momentos de glória, quando as suas pescarias
significavam, o maior evento turístico da região.
Considerada uma população hospitaleira e festiva,
os Quixaraenses, prezavam de um grande círculo
de amizade, que não conheciam fronteiras.
Nossos embaixadores sabiam como ninguém,
dar mostras de como receberem com uma
hospitalidade ímpar, todos aqueles forasteiros
que se transformariam, em irmãos e filhos de fato,
do nosso torrão.
A igualdade entre todos, sempre foi um fato marcante
em todos os eventos que eram comemorados,
e neles estavam inclusos, os sociais, os festivos,
os religiosos, e as obrigações de sobrevivência.
Quem não tem saudade das velhas apanhas de
arroz, dos Caretas, das renovações, das festas
da Padroeira à luz das Petromax, dos festejos juninos,
dos banhos de rio, e das tradicionais pescarias?
O Quixará tem bonitas lembranças, que aos poucos
irão aparecendo, sempre que se desnudar aos olhos,
as imagens e estórias da saga do Rio Cariús.

Elmano Rodrigues Pinheiro

Postar um comentário