domingo, 23 de março de 2008

Poesia "Felicidade Nordestina "


FELICIDADE NORDESTINA
Antonio Ferreira de Oliveira (Ocires)

Parece coisa de menino
O que acontece no sertão.
É lindo ver o Nordestino,
Esquecer o seu destino,
Quando a água molha o chão.

Saindo da terra
Ou caindo do Céu,
Para ele? " Faz diferença Não. "
O importante é manter sua crença
Na terra que lhe dá o Pão.

Se ajoelha e agradeçe
A Deus, Nossa Senhora,
São João e São José.
Alegre, dá muitos vivas
Prá plantação que tá de Pé.

É belo ver a legumada crescendo
Seus olhos de lágrimas enchendo,
Quando lança o olhar,
Naquele vasto verdão.

Agora não tem tristeza.
Só o Rio, o Riacho e a correnteza
Lavando e banhando a plantação,
Tal qual o oxigênio e as artérias
Que irrigam o seu coração.

A felicidade é geral
E tome festa e festival
A esperança renasceu
E o Sertanejo se esqueceu
de deixar o seu TORRÃO.

Obs. Antonio Ferreira de Oliveira (Ocires)
Nascido em Farias Brito e filho de Antonio Loló

Colaborador: Carlos Airton de Oliveira
Postar um comentário